Education and games: educomunicative analysis on the implementation of games in teaching environments

Carlos Alberto Coletto Bürger, Taís Steffenello Ghisleni

Abstract


The traditional school finds, at present, difficulties to maintain the concentration of the student and to foment its desire to learn. Faced with this reality, the use of educational games is one of the ways to motivate the student to participate actively in the activities. The main objective of this article is to analyze, from educomunicative premises, how the use of games in the classroom is made. As specific objectives was defined: Characterize what are educational games and games; to make a bibliographical survey of the case studies of game application in classrooms; emphasizing how to use games in the classroom can improve learning; reflect on possibilities of applying these games from the view of educommunication. This is a qualitative research, from a bibliographical survey and content analysis that investigated the case study articles published in scientific journals, through an educomunicative perspective. En el caso de que el uso de juegos en el aula ayuda al aprendizaje.

Keywords


Teaching; Educommunication; Educational games.

References


Alves, L. R. et al. (2014). Gamificação: diálogos com a educação. In: Fadel, Luciane Maria et al (Org.). Gamificação na educação. São Paulo: Pimenta Cultural [e-book].

Angeloni, M.T. (org.). (2003). Organizações do conhecimento: infra-estrutura, pessoas e tecnologia. São Paulo: Saraiva.

Fardo, M. F. (2013). A gamificação aplicada em ambientes de aprendizagem. RENOTE – Revista de Novas Tecnologias na Educação, 11(1). Recuperado em 18 dezembro, 2018 de https://seer.ufrgs.br/renote/article/view/41629

Fleming, D. M. (2009). Jogos como recursos didáticos nas aulas de Matemática no contexto da Educação Básica. Educação Matemática em Revista. 14(26):34-40. Recuperado em 10 dezembro, 2018 de http://www.sbem.com.br/revista/index.php/emr/article/view/8

Freire, P. (2000). Pedagogia da autonomia. São Paulo: Paz e Terra.

Gaia, R. (2001). Educomunicação & mídias. Maceió: Edufal.

Huizinga, J. (1990). Homo Ludens: o jogo como elemento da cultura. 2. ed. São Paulo: Perspectiva

Kapp, K. M. The Gamification of learning and instruction: Game-based methods and strategies for training and education. Pfeiffer. Hoboken, NJ.

Kishimoto, T. M. (1994). O jogo e a educação infantil. São Paulo: Pioneira.

Lévy, P. (2005). Cibercultura. 2. ed. São Paulo: Editora 34.

Kiili, K. (2004). Digital game-based learning: Towards an experiential gaming model. The Internet and Higher Education, 13-24.

Kishimoto. T. M. O Jogo e a Educação infantil. In: Kishimoto, T. M. (org). (1996). Jogo, Brinquedo, Brincadeira e a Educação. São Paulo: Cortez Editora.

Moraes C. R. & Varela S. (2007) Motivação do aluno durante o processo de ensino aprendizagem. Revista Eletrônica de Educação. Ano I, n. 01. Recuperado em 12 dezembro, 2018 de https://www.unifil.br/portal/images/pdf/documentos/revistas/revista-eletronica/educacao/jul-dez-2007.pdf

McGonigal, J. (2011). Reality is broken: why games make us better and how they can change the world. Penguin Press HC.

Perrenoud, P. (2000). 10 Novas Competências para Ensinar. Porto Alegre: Artmed.

Piaget, J. (1972). Desenvolvimento e aprendizagem. In: Lavattelly, C. S.; stendler, F. Reading in child behavior and development. New York: Hartcourt Brace Jonovich. 7-19.

Prensky, M. (2001). Digital Game-Based Learning. McGraw-Hill.

Soares, M.H.F.B. (2008). Jogos e atividades lúdicas no ensino de química: teoria, métodos e

aplicações. Em: Departamento de química da UFPR (Org), Anais, XIV Encontro Nacional de

Ensino de Química.2008. Recuperado em 20 novembro, 2018 de www.quimica.ufpr.br/eduquim/eneq2008/resumos/R0309-1.pdf

França M. R. & Reategui B. E. (2013). SMILe-BR: aplicação de conceitos de gamificação em um ambiente de aprendizado baseado em questionamento. II Congresso Brasileiro de Informática na Educação, XXIV Simpósio Brasileiro de Informática na Educação.

Tapia, J. A. % Fita, E. C. (2006). A motivação em sala de aula: o que é, como se faz. São Paulo:

ª edição – Edições Loyola, 2006.

Vila, M. & Santander, M. (2003). Jogos cooperativos no processo de aprendizagem acelerada. Rio de Janeiro: Qualitymark.

Zichermann, G. & Linder, J. (2010. Game-based marketing: inspire customer loyalty through rewards, challenges, and contests. Wiley.




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v8i4.900

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com