The brain that learns: an experience withreading practices in the early years of schooling

Silvana Costabeber Guerino, Janaína Pereira Pretto Carlesso

Abstract


The aim of the present article is to present the results of a research that aimed to verify if projects to encourage reading in the daily school life can contribute significantly to the performance of students in the first years of schooling. The research conducted is a case study. The sample consisted of 16 students from a fifth grade class from Elementary School I of a public school. The data collection was carried out in the year 2017, being carried out the tests of the Diagnostic Evaluation of the Projeto Evalu-BH and observations of reading practices in the classroom. The encouragement of reading practices contributed significantly to the cognitive development of students not only in Portuguese but also in science and mathematics. Therefore, in order for teaching to promote important meanings for the cognitive development of students, it is suggested that teachers and managers of the Initial Years invest in reading practices allied to pedagogical action in the school context.


Keywords


Learning;Cognitive Development;Reading.

References


ARANA, A.R.A; KLEBIS, A.B.S.O. A importância do incentivo à leitura para o processo de formação do aluno. In: Anais (...) XI Congresso Nacional De Educação – Educere, II Seminário Internacional de Representações Sociais – Educação – SIRSSE e IV Seminário Internacional Sobre Profissionalização Docente – Sipd/Cátedra Unesco. Curitiba. 2015.

BARROS, P. M.; HAZIN, I. Avaliação das funções executivas na infância: revisão dos conceitos e instrumentos. Psicologia em Pesquisa, v.7, n.1, 13-22. 2014. Disponível em:

http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1982-12472013000100003

Acesso: 26/12/2018.

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes. 2011.

BRANDÃO, H.H. MICHELETTI, G Teoria e prática da leitura. In: Coletânea de textos didáticos. Componente curricular Leitura e elaboração de textos. Curso de Pedagogia em Serviço. Campina Grande: UEPB. 2002.

BRONCKART, J. P. Entrevista com Jean-Paul Bronckart. Revista Virtual de Estudos da Linguagem – REVEL v.4, n.6, 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502004000200006. Acesso: 26/12/2018.

BUNZEN, C.; MENDONÇA, M. Múltiplas linguagens para o ensino médio. São Paulo: Parábola Editorial. 2013.

CARDOSO, C.J. O que as crianças sabem sobre a escrita? Cuiabá, MT: Central de texto: EdUFMT. 2008.

CARLESSO, Janaína Pereira Pretto. Os reflexos da aplicação do planejamento interdisciplinar no ensino de ciências no 1º ciclo de alfabetização. 2015. Tese (Doutorado em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde), Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2015.

CORDEIRO, I. C. Argumentação e leitura: a importância do conhecimento prévio. In: Encontro cientifico do curso de letras, 3. Anais.2005.

CONSENZA, R. M.; GUERRA, L. B. Neurociência e Educação: como o cérebro aprende. Porto Alegre: Artmed. 2011.

CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. Porto Alegre: Artmed. 2010.

DANCEY, C; REIDY, J. Estatística Sem Matemática para Psicologia: Usando SPSS para Windows. 7º Ed. Porto Alegre: Artmed. 2018.

FARIA, E. L. B. Estratégias de compreensão da leitura: perspectivas teóricas. Mal-Estar e Sociedade, v.4, n.6, 83-98. 2011.

FARIA, E. L. B.; MOURÃO-JÚNIOR, C. A. Os recursos da memória de trabalho e suas influências na compreensão da leitura. Psicologia, Ciência e Profissão, v.33, n.2, 288-303. 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414-98932013000200004&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso: 26/12/2018.

FLAVELL, J. H., MILLER, P. H., MILLER, S. A. Desenvolvimento cognitivo. Porto Alegre: Artes Médicas. 1999.

HERCULANO-HOUZEL, S. Neurociências na Educação. Editora Cedic: Belo Horizonte. 2010.

IZQUIERDO, I. A arte de esquecer. Cérebro, memória e esquecimento. Rio de janeiro: Vieira & Lent. 2010.

IZQUIERDO, I. Memória. 3. ed. Porto Alegre: Artmed. 2018.

KATO, M. No mundo da escrita: uma perspectiva psicolinguística. São Paulo: Ática. 1986.

KLEIMAN, A. Oficina de leitura: teoria e prática. Campinas: Pontes. 2012.

KLEIMAN, A. Ação e mudança na sala de aula: uma nova pesquisa sobre letramento e interação. In: ROJO, R. (org.). Alfabetização e letramento: perspectivas linguísticas. Campinas: Mercado de Letras. 1986.

LENT, R. Neurociência da Mente e do Comportamento. RJ: Guanabara Koogan. 2008.

LIMA, T. C. S, MIOTO, R. C. T; DAL PRÁ, K. R. A documentação no cotidiano da intervenção dos assistentes sociais: algumas considerações acerca do diário de campo. Textos & Contextos, v6, n.1, 93-104, 2007. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/fass/ojs/index.php/fass/article/view/1048. Acesso: 26/12/2018.

MAIA, H (org). Neuroeducação: a relação entre saúde e educação. Rio de Janeiro. Ed.Wak. 2011.

MARCUSCHI, L.A. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. Parábola, São Paulo. 2008.

MOITA LOPES, L. P. Oficina de linguística aplicada: a natureza social e educacional dos processos de ensino/aprendizagem de línguas. Campinas: Mercado de Letras. 2002.

OLIVEIRA, G. G. Neurociência e os processos educativos: Um saber necessário na formação de professores. Uberaba. 2011.

PINHEIRO, M. As bases biológicas da neuropsicologia: uma contribuição à formação de educadores. Temas sobre desenvolvimento, São Paulo, v.14, p.83-84; 4-13. 2006.

PRADO, M. D. L. O livro infantil e a formação do leitor. Petrópolis: Vozes. 1996.

RELVAS, M. P. Neurociência na prática pedagógica. Rio de Janeiro: WAK Editora. 2012.

RELVAS, M.P. Neurociência e Educação, gêneros e potencialidades na sala de aula. Rio de Janeiro: 2ª ed. WAK Editora. 2010.

ROGOFF, B. Apprenticeship in thinking. Nova York: Oxford University Press. 1990.

SOARES, M. Letramento: um tema em três gêneros. 3ª ed. Belo Horizonte: Editora Autêntica. 2012.

SOLÉ, I. Estratégias de Leitura. Trad. Cláudia Schilling. 6 ed. Porto Alegre: Artmed. 1998.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas. 1987.

VIGOTSKI, L.S. Pensamento e Linguagem. São Paulo: Martins Fontes. 1962.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 5.ed. Porto Alegre: Bookman. 2014.

ZACCUR, E.G.S. (Org.). Alfabetização e letramento: o que muda quando muda o nome? Rio de Janeiro: Rovelle. 2011.




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v8i3.849

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Redalyc, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com
Facebook: https://www.facebook.com/Research-Society-and-Development-563420457493356