Characterization of the impacts caused by ecotourism in Cachoeira da Santa, Catas Altas (MG)

Bruna Shenéider Arruda, Ana Paula Nascimento, Juni Cordeiro, Paulo Eduardo Alves Therezo, Cibele Andrade de Alvarenga, José Luiz Cordeiro

Abstract


Ecotourism is a result of sustainable tourism, which enables the development of tourism activities in contact with nature, encouraging cultural and environmental preservation. However, this activity can have negative and positive impacts where it is developed. Thus, this research aimed to evaluate the infrastructure and the impacts triggered by tourism in Cachoeira da Santa, in Catas Altas (MG). For that, a field research and a guided observation were used, covering aspects related to the characterization of the infrastructure available for the development of tourism. It was noticed that access to Cachoeira da Santa, in despite there are signs, they are badly posted. There is not a suitable parking area. Several negative impacts were seen in the study area, such as erosion and landslides along the access road to the waterfall, improper disposal of residues, bonfire remnants, and damage in rocks. Given the problems found, the compulsory measures are the definition of the parking area, besides the development of environmental education programs for tourists and residents. Thus, it highlights the utmost importance of a tourist planning so that the ecotourism does not cause negative impacts, also seeking the optimization of those impacts considered positive.


Keywords


Degradation; Environmental education; Environmental preservation; Sustainable tourism.

References


ALCÂNTARA, L. C. Trilhas interpretativas da natureza: planejamento, implantação e manejo. Monografia (Especialização). Especialização em Turismo e Desenvolvimento Sustentável. Universidade de Brasília, Centro de Excelência em Turismo. Brasília: UnB, 2007.

ALVARES, P. B. Lixo Turístico e a Importância da Gestão Integrada de Resíduos Sólidos Urbanos Para um Turismo Sustentável: o caso de Caldas Novas, Goiás. Dissertação de Mestrado (Desenvolvimento Sustentável), Universidade de Brasília. Brasília, 2010. Disponível em: < http://repositorio.unb.br/handle/10482/7937?mode=full>. Acesso em: 07 jul. 2018.

ANDRADE, J. V. Turismo: Fundamentos e dimensões. 8ª ed. São Paulo: Ática. 2001.

BARRETO FILHO, A. Marketing turístico para o espaço urbano: comentários acadêmicos e profissionais. In: Castro Giovanni, Antônio Carlos (Org.). Turismo Urbano. São Paulo: Contexto, 2001.

BOWLES, A. E. Responses of wildlife to noise. In: Wildlife and recreationists: coexistence through management and research. Eds. R.L. Knight and K.J. Gutzwiller. Washington, D.C.: Island Press, 1997.

BUENO, C. et al. Ecoturismo responsável e seus fundamentos. 1. ed. Rio de Janeiro: Editora Technical Books, 2011.

CASTRO, S. S.; HERNANI, L. C. Solos frágeis: caracterização, manejo e sustentabilidade. Selma Simões de Castro e Luís Carlos Hernani (Eds). Brasília, DF: Embrapa, 2015. 367p. Disponível em: . Acesso em: 03 nov. 2018.

CÉSAR, P. A. B.; STIGLIANO, B.; RAIMUNDO, S; NUCCI, J. C. Ecoturismo. Livro do aluno: Caminhos do futuro. São Paulo: IPSIS, 2007.

CIRCUITO DO OURO. O Circuito e seus roteiros. 2018. Disponível em: < http://circuitodoouro.tur.br/sobre-o-circuito-do-ouro/>. Acesso em: 12 mar. 2018.

CIRCUITOS DO TURISMO. Cidade de Catas Altas. 2018. Disponível em: < http://www.circuitosturismo.com.br/turismo-regional/pontos-turisticos/cidade-de-catasaltas>. Acesso em: 12 mar. 2018.

DIAS, R. Turismo sustentável e meio ambiente. São Paulo: Atlas, 2012.

FRANÇA, R.; AMARAL, C. Destinos Competitivos – Metodologia para regionalização e roteirização turística. Salvador: Sebrae, 2005.

GERHARDT, T.; SILVEIRA, D. T. Métodos de pesquisa. Coordenado pela Universidade Aberta do Brasil – UAB/UFRGS e pelo Curso de Graduação Tecnológica – Planejamento e Gestão para o Desenvolvimento Rural da SEAD/UFRGS. – Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009.

GIATTI, L. L. Ecoturismo e impactos ambientais na região de Iporanga – Vale do Ribeira. Tese (Doutorado em Saúde Pública) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.

GOOGLE. Google Earth. Versão 7.1.5.1557. 2017. Nota (Município de Catas Altas - MG). Disponível em: . Acesso em: 16 mai. 2018.

GUIMARÃES, A. J. A.; CARVALHO, D. F. de; SILVA, L. D. B. da. Saneamento básico. Disponível em: < http://www.ufrrj.br/institutos/it/deng/leonardo/downloads/APOSTILA/

Apostila%20IT%20179/Cap%201.pdf>. Acesso em: 15 ago. 2018.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Carta Internacional ao Milionésimo. 2010b. Disponível em:

servicos/wms-do-arcgis>. Acesso em: 05 mai. 2018.

KAUARK, F. S.; MANHÃES, F. C.; MEDEIROS, C. H. Metodologia da pesquisa: um guia prático. Itabuna: Via Litterarum, 2010.

MACHADO, A. Ecoturismo: um produto viável – a experiência do Rio Grande do Sul. Rio de Janeiro: SENAC, 2005.

MINISTÉRIO DO TURISMO. Ecoturismo: orientações básicas. Ministério do Turismo, Secretaria Nacional de Políticas de Turismo, Departamento de Estruturação, Articulação e Ordenamento Turístico, Coordenação Geral de Segmentação. Brasília: Ministério do Turismo, 2008.

MORAES, R. Análise de conteúdo. Revista Educação, Porto Alegre, v. 22, n. 37, p. 7-32, 1999. Disponível em . Acesso em 19 set. 2018.

MORAIS, F. M.; CARVALHO, R. R.; MURY, D. F. T.; SANTOS, F. I. O.; FERREIRA, C. B.; ARAÚJO, K. E. R. Ecoturismo em comunidades rurais: uma proposta para o desenvolvimento econômico, cultural e social na associação Barra Do Saco, Codó – MA. Anais... VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação, Palmas (TO), 2012. Disponível em: . Acesso em: 07 nov. 2018.

MOREIRA, J. C. Geoturismo e interpretação ambiental. 1 ed. Ponta Grossa: Editora UEPG, 2014.

OLIVEIRA, A. P. Turismo e desenvolvimento: planejamento e organização. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2005.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE (OMS). Relatório de avaliação sobre as condições ambientais de saúde na Europa. Disponível em:

health-topics/environment-and-health/noise/data-and-statistics>. Acesso em: 11 fev. 2018.

PREFEITURA MUNICIPAL DE CATAS ALTAS. História de Catas Altas. 2018. Disponível em: . Acesso em: 12 mar. 2018.

PRODANOV, C. C.; FREITAS, E. C. Metodologia do Trabalho Científico: Métodos e Técnicas da Pesquisa e do Trabalho Acadêmico. Associação Pró-Ensino Superior em Novo Hamburgo – ASPEUR Universidade Feevale. Novo Hamburgo - Rio Grande do Sul. Brasil, 2013.

REIS, L. F. R.; BRANDÃO, J. L. B. Impactos ambientais sobre rios e reservatórios. In: CALIJURI, M. C.; CUNHA, D. G. F. Engenharia Ambiental: conceitos, tecnologia e gestão. Rio de Janeiro: Elsevier, p. 247-268, 2013.

ROCHA, F.; BARBOSA, F. P.; ABESSA, D. M. S. Trilha ecológica como instrumento de Educação Ambiental: estudo de caso e propostas de adequação no Parque Estadual Xixivá-Japuí (SP). Revista Brasileira de Ecoturismo, São Paulo, v. 3, n. 3, 2010, pp. 478-497.

SÁNCHEZ, L. E. Avaliação de Impacto Ambiental: conceitos e métodos/ Luis Enrique Sánchez. 2. Ed. São Paulo: Oficina de Textos, 2013.

SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA E TURISMO. Centro de atendimento ao turista. [mensagem pessoal]. em: 13 set. 2018

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS (SEBRAE). Guia de Produtos Turísticos – Região Agroecológica. SEBRAE, Goiânia, 2008.

SILVA, B. C.; SILVA, M. C.; TELES FILHO, J. M.; CAIXETA, J. C.; MAIA, L. A. O Turismo e as transformações socioespaciais em Pirenópolis-GO. 2008. Disponível em: http://www.partes.com.br/turismo/pirenopolisturismo.asp Acesso em: 12 fev. 18.

SILVA, N. P.; SILVA, M. C. G. A importância do planejamento para desenvolvimento do turismo sustentável no parque estadual do Gurtelá - Paraná. Revista Turismo - Visão e Ação, v. 16, n. 1, 2014.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

VIANA, F. M. F. Análise Ambiental da capacidade de carga antrópica nas trilhas do Circuito Janela do Céu - Parque Estadual do Ibitipoca, MG. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Análise Ambiental). Faculdade de Engenharia, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2008.

WEARING, S.; NEIL, J. Ecoturismo, impactos e possibilidades. Barueri, SP: Manole, 2001.

WEARING, S.; NEIL, J. Ecoturismo: impactos, potencialidades e possibilidades. Tradução Carlos Szlak. 2 ed. Barueri: Manole, 2014.

WIERMANN, C.; WAY, T. R.; HORN, R.; BAILEY, A. C.; BURT, E. C. Effect of various dynamic loads on stress and strain behavior of a Norfolk sandy loam. Soil and Tillage Research, Amsterdam, v.50, p.127-135, 1999.

WIERMANN, C.; WERNER, D.; HORN, R.; ROSTEK, J.; WENER, B. Stress/strain processes in a structured silty loam Luvisol under different tillage treatments in Germany. Soil and Tillage Research, Amsterdam, v.53, p.117-128, 2000.

WILKES, B. The myth of the non-consumptive user. The Canadian Field Naturalist, v.91, nº4, p.343-349, 1997.




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v8i3.845

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: BaseDiadorimSumarios.orgDOI CrossrefDialnetScholar GoogleRedibDoajLatindex, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) | UDE – Universidad de la Empresa – Sede Centro Dir: Soriano 959, Montevidéu (Uruguay)
E-mail: rsd.articles@gmail.com
Facebook: https://www.facebook.com/Research-Society-and-Development-563420457493356