Diagnosis of the environmental degradation of a segment of the River of the Peixe in Itabira (MG) and proposition of measures for its restoration

Carolina Sena Carneiro, Everton Henrique Borges Pena, Juni Cordeiro, Charles Ianne Ferreira dos Santos, Cristina Donizeti Bernardes, José Luiz Cordeiro

Abstract


Anthropogenic activities near water courses cause negative environmental impacts in these, and may result in irreversible morphological, ecological and hydrological alterations. To restore the ecological balance of a water course, it is necessary to determine the level of degradation and river restoration potential, considering its physical, functional and environmental aspects. This research aimed at the elaboration of a diagnosis of the environmental and fluvial conditions of a section of Rio do Peixe, located in Itabira (MG), aiming at proposing intervention alternatives for the restoration of the environment. For that, field research, data analysis regarding water quality and observation were used. The section of Rio de Peixe analyzed, situated downstream of the homonymous dam, is 880 m in length. It should be highlighted that, due to the indicators related to habitat diversity, adjacent green areas and water quality, this section was subdivided into eight homogeneous sub-stretches. In general, the level of degradation was considered average, since despite the low degradation of the physical aspects, the absence of native vegetation resulted in a very high degradation regarding the environmental dimension. There was a potential for high restoration, thus, restoration techniques related to bioengineering were proposed, such as the application of biomass, cleaning, tree branches, suppression of exotic vegetation and planting of native seedlings. In addition to restoration, it is important that continuous monitoring be carried out and environmental education programs developed for the resident population near water courses.


Keywords


Bioengineering; Environmental impacts; Ciliary forest; River restoration.

References


AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS (ANA). Metadados Bacia Rio Doce. 2017. Disponível em: . Acesso em: 05 mai. 2018.

ART, H. W. (Editor Geral). Dicionário de Ecologia e Ciências Ambientais. 2. ed. São Paulo: UNESP/Melhoramentos, 2001. 584 p.

BAPTISTA, M; PÁDUA V. L. Restauração de Sistemas Fluviais. 1º ed. Barueri SP: Editora Manole Ltda, 2016.

BARROS, C. J. Deserto Verde - Os impactos do cultivo de eucalipto e pinus no Brasil. Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Santa Catarina, p.5, 2011.

BONFIM, A. C. F; PEREIRA, P. H. R; PERDIGÃO, L. S; VIEIRA, E.M. Análise do aporte de ferro solúvel na sub-bacia hidrográfica do rio do Peixe por meio do SWAT. Anais... XVI Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto - SBSR, Foz do Iguaçu, PR, Brasil, 13 a 18 de abril de 2013, INPE. Disponível em: Acesso em: 13 fev. 2018.

BOTELHO, M. J. CRUZ, G. A. V. Metodologia Científica. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2013, 131p.

BOTELHO, S. A.; DAVIDE, A. C. Métodos silviculturais para recuperação de nascentes e recomposição de matas ciliares. 2002. Anais... Simpósio Nacional sobre Recuperação de Áreas Degradadas, 5. 2002, Belo Horizonte. Água e biodiversidade: palestras. [Belo Horizonte: SOBRADE], 2002.

CANEPPELE, G. B. Sistema de custos e análise de preços para uma indústria de confecções. Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e Da Comunicação Curso De Ciências Contábeis, Três Passos, 2012.

CARDOSO, A. S. Proposta de metodologia para orientação de processos decisórios relativos a intervenções em cursos de água em áreas urbanas. Tese (Doutorado em Saneamento, Meio Ambiente e Recursos Hídricos) - Escola de Engenharia, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte. 2012. Disponível em: . Acesso em 10 fev. 2018.

CARPANEZZI, A. A. Benefícios indiretos da floresta. In: GALVÃO, A. P. M. Reflorestamento de propriedades rurais para fins produtivos e ambientais: um guia para ações municipais e regionais. Colombo: Embrapa Florestas, 2000, p. 19-55.

COELHO, A. L. N. Geomorfologia fluvial de rios Impactados por barragens. Universidade Federal de Uberlândia Programa de Pós-Graduação em Geografia Caminhos de Geografia, Uberlândia, 2008.

GOOGLE. Google Earth. Versão 7.1.5.1557. 2017. Nota (Município de Itabira - MG). Disponível em: . Acesso em: 16 mai. 2018.

INSTITUTO MINEIRO DE GESTÃO DAS ÁGUAS (IGAM). Identificação de municípios com condição crítica para a qualidade de água na sub-bacia do rio Piracicaba. Belo Horizonte, 29 de Julho de 2014. Disponível em: . Acesso em: 12 de fev. 2018.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Mapa de Biomas do Brasil, primeira aproximação. 2004; Rio de Janeiro. Disponível em: . Acesso em: 20 de ago. 2018.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Censo - Séries históricas Município de Itabira. 2010a. Disponível em:

mg/itabira/pesquisa/43/30281?detalhes=true&tipo=grafico>Acesso em: 09 set. 2018.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Carta Internacional ao Milionésimo. 2010b. Disponível em:

servicos/wms-do-arcgis>. Acesso em: 05 mai. 2018.

LIMA, W. P.; ZAKIA, M.J.B. Hidrologia de Matas Ciliares. In: RODRIGUES, R.R.; LEITÃO-FILHO, H.F. (Ed.). Matas ciliares: conservação e recuperação. São Paulo, Edusp e Fapesp, 2ª ed, 2004.

MACIEL JUNIOR, P; MACIEL, Y. R; NEVES, R. M. Considerações sobre o Enquadramento das Águas da Bacia do Rio Piracicaba. Plano Integrado de Recursos Hídricos da Bacia do Rio Doce – PIRH-DOCE, 2010.

MARCONI, M. de A. LAKATOS, E. M. Metodologia Científica. 5ª ed. São Paulo: Atlas, 2011.

MINAS GERAIS. Conselho Estadual de Política Ambiental (COPAM). Deliberação Normativa COPAM nº 09, de 19 de abril de 1994. Confere o art. 5º, item I, da Lei nº 7.772. de 08 de setembro de 1980, e tendo em vista o disposto no art. 214, § 1º, inciso IX da Constituição do Estado de Minas Gerais, e a Resolução nº 20, de 18 de junho de 1986 do Conselho Nacional do Meio Ambiente - CONAMA e a Deliberação Normativa do COPAM nº 010, de 16 de dezembro de 1986, que estabelece a Classificação das Águas do Estado de Minas Gerais, e, considerando a necessidade de manutenção e/ou melhoria da qualidade das águas da bacia do rio Piracicaba, sub-bacia integrante da bacia do rio Doce; a importância da utilização racional dos seus recursos hídricos fundamentais para abastecimento doméstico das comunidades locais e demais usos das diversas atividades existentes na área de sua contribuição. Diário do Executivo de Minas Gerais. Belo Horizonte, 19 de maio de 1994. Disponível em:< http://www.siam.mg.gov.br/sla/download.pdf?idNorma=108>. Acesso em: 10 de jun. de 2018.

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Florestas do Brasil em resumo 2010. Disponível em: . Acesso em: 22 de ago. 2018.

MORAES, R. Análise de conteúdo. Revista Educação, Porto Alegre, v. 22, n. 37, p. 7-32, 1999.

MOURA, P., CARDOSO, A., SANTOS, A. C.; BAPTISTA, M. Avaliação ambiental para restauração hidrológica e fluvial em áreas degradadas por atividades de mineração. REGA - Revista de Gestão de Água da América Latina, volume, n. 1, Jan/Jun. 2014.

PARENTE, H.N.; MAIA, M.O. Impacto do pastejo sobre a compactação dos solos com ênfase no Semiárido. Revista Trópica, Chapadinha, v. 5, n. 3, 2011.

PIVELLI, R. P; KATO, M. T. Qualidade Das Águas e Poluição - Aspectos Físico-químicos. 2006.

POPE, M.L; et al. Assessment of the Effects of Holding Time and Temperature on Escherichia coli Densities in Surface Water Samples. Appl Environ Microbiol. 2003.

RODRIGUES, S. S. Análise da eficiência de indicadores da restauração ecológica em mata ripária no Cerrado, Planaltina- Distrito Federal. Dissertação de mestrado em ciências florestais departamento de engenharia florestal. Universidade de Brasília, DF, 2015.

SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO (SAAE). Origem da água. Disponível em: Acesso em: 15 fev. 2018.

SILVA, M. I. O. Avaliação ecológica de áreas ciliares em processo de restauração florestal na zona da mata norte, Pernambuco. RECIFE, 2017.

SOUZA, W. F. L.; MEDEIROS, P. R. P.; BRANDINI, N.; KNOPPERS, B. Impactos de Barragens sobre os Fluxos de Materiais na Interface Continente-Oceano, Rev. Virtual Quim., 3 (2), 116-128, 2011.

VALE. Vale fornece água de mina para a ETA Rio de Peixe, em Itabira. 2017a. Disponível em: < https://valeinformar.valeglobal.net/BR/MG/Paginas/Vale-fornece-%C3%A1gua-de-mina-para-a-ETA-Rio-de-Peixe,-em-Itabira.aspx?pdf=1> Acesso em: 07 out. 2018.

VALE. Dados de qualidade da água, Rio do Peixe - 2013 a 2017. Documento interno. 2017b.

VALE. Dados pluviométricos da estação meteorológica EM11 – Pousada, Itabira - 2013 a 2017. Documento interno. 2018a.

VALE. Projeto Técnico de Reconstituição da Flora (PTRF). Documento interno. 2018b.

VASCONCELLOS, F. C. S; IGANCI, J. R. V; RIBEIRO, G. A. Qualidade microbiológica da água do rio São Lourenço, São Lourenço do Sul, Rio Grande do Sul. Arquivos do Instituto Biológico, 73: 177-181, 2006.

VON SPERLING, M. Estudos e modelagem da qualidade da água de rios. V.7. 2º. ed. Belo Horizonte: UFMG, 2012.

VON SPERLING, M. Introdução à qualidade das águas e ao tratamento de esgotos. V.1. 4º. ed. Belo Horizonte: UFMG, 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v8i3.843

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: BaseDiadorimSumarios.orgDOI CrossrefDialnetScholar GoogleRedibDoajLatindex, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) | UDE – Universidad de la Empresa – Sede Centro Dir: Soriano 959, Montevidéu (Uruguay)
E-mail: rsd.articles@gmail.com
Facebook: https://www.facebook.com/Research-Society-and-Development-563420457493356