The importance of continuing education of teachers who accompany students with disabilities in the regular school

Neiva Terezinha Chervenski Escobar, Janaína Pereira Pretto Carlesso

Abstract


The aim of this article is to present the results of a study in which there is a continuous study of the teachers that accompany students with disabilities in the regular school of education and their contribution to their practical action in the classroom. The study sample consisted of 14 elementary school teachers from the municipal public network of the city of Alegrete / RS. Data collection was carried out in 2017. In the data collection, questionnaires, reflexive conversational wheels and mini-courses were carried out with specialized professionals, who approached the historical and legal aspects and the importance of adapting the curriculum to the achievement of school inclusion. The analysis of the study points out that there is fragility in training for the efficient exercise of teaching practice with school inclusion, emphasizing the contributions of continuing education with an approach focused on curriculum adaptations, knowledge of the history and legal issues of the inclusive process of students with disabilities in the regular school of education.


Keywords


School Inclusion; Teacher training; Curriculum.

References


AKKARI, A. Internacionalização das políticas educacionais: transformações e desafios. Petrópolis: Vozes, 2011.

ANDRADE, S. G. Pensamento sistêmico e docência no contexto da educação inclusiva. In: BAPTISTA, C. R. Mediação pedagógica em perspectiva: fragmentos de um conceito nas abordagens institucional, sócio histórica e sistêmica. In: SEMINÁRIO DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO DA REGIÃO SUL, 2004, Curitiba. Anais... Curitiba: Editora da PUC, 2004.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Tradução Luís Antero Reta e Augusto Pinheiro. Lisboa: Edições 70, 2006.

BRADDOCK, D. Opening closed doors: the deinstitutionalization of disabled individuals. Virginia: The Council for Exceptional Children, 1977.

BRASIL. Leis e Decretos. Constituição da República Federativa do Brasil:promulgada em 5 de outubro de 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm> Acesso em: 25 set.2018.

BRASIL. Leis e Decretos. Decreto nº 3.956: promulgado em 08 de outubro de 2001. Disponível em: Acesso em: 25 set. 2018.

BRASIL. Leis e Decretos. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9394, de 20 de dezembro de 1996. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 20 dez. 1996.

BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Diretrizes nacionais para a educação especial na educação básica. Brasília, DF: MEC/SEESP, 2001.

BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Parâmetros Curriculares Nacionais: 3º e 4º ciclos do Ensino Fundamental: Língua Portuguesa. Brasília/DF: MEC/SEF, 1998.

DECLARAÇÃO de Salamanca – Sobre princípios, políticas e práticas na área das necessidades educativas especiais. Salamanca, Espanha: 1994. Disponível em Acesso em: 25 set. 2018.

DECLARAÇÃO Internacional de Montreal Sobre Inclusão. Montreal, Canadá: 2001. Disponível em: Acesso em 25 set. 2018.

DECLARAÇÃO Mundial sobre Educação para Todos. Jomtien, Tailândia: 1990. Disponível em: Acesso em: 25 set. 2018.

FAIRCLOUGH, N. Discourse and social change. Oxford and Cambridge: Polity

Press and Blackwell, 1992.

FIGUEIREDO, R. V. Incluir não é inserir, mas interagir e contribuir. Inclusão, v. 5, n. 2, p. 32-38, jul./dez. 2010.

IERVOLINO, S. A.; PELICIONI, M. C. F. A utilização do grupo focal como metodologia qualitativa na promoção da saúde. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 35, n. 2, p. 115-21, jun. 2001.

MRECH, L. M. Mas, afinal, o que é educar? In: MRECH, L. M. (Org.). O impacto da Psicanálise na Educação. São Paulo: Avercamp, 2005.

NÓVOA, A. A formação contínua entre a pessoa-professor e a organização-escola. Inovação, v. 4, n. 1, p. 63-76, 1991.

NÓVOA, A. Os novos pensadores da educação. Revista Nova Escola, n. 154, p. 23, ago. 2002.

NOZI, G. S. Análise dos saberes docentes recomendados pela produção acadêmica para a inclusão escolar de alunos com necessidades educacionais especiais. 2013. 180f. Dissertação (Mestrado em Educação) –Universidade Estadual de Londrina, Londrina, PR, 2013.

SCHÖN, D. A. The reflective practitioner: how professionals think in action. New York: Basic Books, 1983. 384p.

SILVA, O. M. da. A Epopeia Ignorada: a pessoa deficiente na história do mundo de ontem e de hoje. São Paulo: CEDAS, 1986.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002.

TUNES, E. Porque falamos de inclusão? Linhas Críticas. Universidade de Brasília, Brasília – DF, v. 9, n.16, p. 05-12. 2003.

YIN, R. K. Estudo de caso: Planejamento e métodos. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2015.




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v8i3.801

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: BaseDiadorimSumarios.orgDOI CrossrefDialnetScholar GoogleRedibDoajLatindex, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) | UDE – Universidad de la Empresa – Sede Centro Dir: Soriano 959, Montevidéu (Uruguay)
E-mail: rsd.articles@gmail.com
Facebook: https://www.facebook.com/Research-Society-and-Development-563420457493356