As implicações do divórcio no desenvolvimento psíquico na primeira infância na perspectiva psicanalítica

Adriane Bauermann Villanova, Isabelle Rittes Nass, Lucas Fernandes de Brum, Cristina Saling Kruel, Félix Miguel Nascimento Guazina, Janaína Pereira Pretto Carlesso

Resumen


Este estudo de cunho qualitativo e exploratório tem por objetivo compreender as implicações da separação conjugal no desenvolvimento psíquico de crianças de 0 a 6 anos na perspectiva psicanalítica de Freud e Winnicott a fim verificar as implicações do divórcio no desenvolvimento psíquico de crianças de 0 a 6 anos a partir da Psicanálise. Encontrou-se como resultado que as crianças podem vivenciar sentimento de abandono, culpa, fantasias de reconciliação dos pais ou agressivas, passam por reorganização edípica e muitas vezes podem ser colocadas pelos pais em uma posição a qual não podem suprir a demanda. Concluiu-se que os filhos devem continuar recebendo atenção, afeto e sendo investidos narcisicamente por ambos os genitores, que o divórcio é um momento de crise, contudo, as implicações da separação conjugal dependem muito do comportamento dos pais para com a criança e do relacionamento entre eles.


Palabras clave


Separação conjugal; Crianças; Psicanálise.

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))

Referencias


ALMEIDA, L. E. S. A criança frente a separação dos pais. Recife, 2010.

BRITO, L. M. T. Família pós-divórcio: a visão dos filhos. Psicologia ciência e profissão. Rio de Janeiro, 2007.

CAMPOS, R. Separação conjugal e a criança. Rio de Janeiro, 2002.

COHEN, G. J.. Helping children and families deal with divorce and separation. Pediatrics, v.110, p.1019-1023, 2002.

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002. Apostila. Disponível em: http://leg.ufpi.br/subsiteFiles/lapnex/arquivos/files/Apostila_-_METODOLOGIA_DA_PESQUISA%281%29.pdf. Acesso em: abril de 2018.

FREUD, S. (1905). Três ensaios sobre a teoria da sexualidade. In: Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas (ESB). Rio de Janeiro: Imago, Vol. 07, 1996.

FREUD, S. (1924). A dissolução do complexo de Édipo. In: Edição Standart Brasileira das Obras Completas (ESB). Rio de Janeiro. Vol. 19, 1924.

GERHARDT, T. E.; SILVEIRA, D. T. S.. Métodos de pesquisa. Coordenado pela Universidade Aberta do Brasil – UAB/UFRGS e pelo Curso de Graduação Tecnológica – Planejamento e Gestão para o Desenvolvimento Rural da SEAD/UFRGS. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Estatísticas de Registro Civil. 2016. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/135/rc_2016_v43_informativo.pdf. Acesso em: abril de 2018

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Catálogo de Estatísticas de Registro Civil. 1974-2016. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/index.php/biblioteca-catalogo?view=detalhes&id=7135. Acesso em: abril de 2018.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Estatísticas de Registro Civil. 2016. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/135/rc_2016_v43_informativo.pdf. Acesso em: abril de 2018.

MARTINS, L. S. e S. Divórcio: a criança nos novos arranjos familiares. Dissertação de mestrado. Universidade Católica do Rio de Janeiro, Departamento de Psicologia. Rio de Janeiro, 2011.

MARTÍNEZ, V. C. V.; MATIOLI, A. S. Enfim Sós: Um estudo psicanalítico do divórcio. Revista Mal-Estar e Subjetividade - Fortaleza, vol. XII, nº 1-2. 2012. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1518-61482012000100008. Acesso em: abril de 2018.

McGOLDRICK, M.; CARTER, B. Psicologia na prática jurídica: a criança em foco. Porto Alegre: Artemed, 2º. Ed, 1995.

MOTTA, C. dos R.; SILVA, L. R.; CASTRO, H. de. A psicanálise da criança - um estudo de caso. ISSN 1677-5090. Revista de Ciências Médicas e Biológicas. 2010. Disponível em: https://portalseer.ufba.br/index.php/cmbio/article/view/4739. Acesso em: abril de 2018.

NEWCOMBE, N. Desenvolvimento Infantil: abordagem de Mussen. 8º ed. Porto Alegre: Artmed, 1999.

OSÓRIO, L. C; VALLE, M. E. P (Orgs.). Manual de terapia familiar. Porto Alegre: ArtMed, 2009.

RAMIRES, V. R. R. As transições familiares: a perspectiva de crianças e pré-adolescentes. Psicologia em Estudo, Maringá, v.9, n.2, p.183-193, 2004.

SILVA, Isabella Thays Ortiz; GONÇALVES, Charlisson Mendes. Os efeitos do divórcio na criança. Psicologia. pt. ISSN 1645-6977. 2016. Disponível em: http://www.psicologia.pt/artigos/textos/A1042.pdf. Acesso em: abril de 2018.

SOUZA, A.M. de. A Família e seu espaço: Uma proposta de terapia familiar. Ed. Agir, 1985.

SOUZA, R. M. Depois que papai e mamãe se separaram: um relato dos filhos. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v.16, n.3, p. 203-211, 2000.

PAPALIA, D. E. OLDS, S. W., FELDMAN, R. D. Desenvolvimento Humano. 8 ª Ed. Artmed, 2006.

WINNICOTT, D. W. A família e o desenvolvimento individual. 3ª ed. São Paulo, SP: Martins Fontes, 2006 (1965). 247 p.

WINNICOTT, D. W. Textos selecionados da pediatria à psicanálise. 3ª ed. Rio de Janeiro: Francisco Alvez, 1988.


Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Base de Dados e Indexadores: BaseDiadorimSumarios.orgDOI CrossrefDialnetScholar GoogleRedibDoajLatindex, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional