Potentialities and weaknesses related to the participation of the father/partner in prenatal care in the perception of nurses

Denise Comin Silva Almeida, Daiany Saldanha da Silveira Donaduzzi, Fernanda Almeida Fettermann, Laura Ferreira Cortes, Graciela Dutra Sehnem

Abstract


Objective: to know the strengths and weaknesses related to the participation of the father / partner in prenatal care in the perception of Primary Health Care nurses. Method: it is a qualitative research of the descriptive and exploratory type. Semi-structured interviews and Content Analysis were used. Results: 11 nurses participated in this study, who work 40 hours a week in the health service, with an average training time of 15.36 years and the time in the respective units where they work is 3.96 years. The results showed that there are weaknesses for parent / partner adherence in prenatal consultations, involving culture, habits and social conditions. However, when he actively participates in the consultations, he reaffirms the commitment of fatherhood and benefits the care of the pregnant woman and the baby. Conclusion: integration and active participation in consultations offers greater security, confidence and joy in the care of pregnant women. The limitation of the study was the difficulty in finding updated studies related to the theme, which indicates the need for more research on this subject.


Keywords


Primary Care; Nursing; Prenatal; Paternity.

References


Bardin, L. (2016). Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70.

Bernardi, D., Féres-Carneiro, T., Magalhães, A. S. (2018). Entre o desejo e a decisão: a escolha por ter filhos na atualidade. Revista Contextos Clínicos, 11(2):161-173. doi: 10.4013/ctc.2018.112.02

Botton, A., Cúnico, S. D., Strey, M. N (2017). Diferenças de gênero no acesso aos serviços de saúde: problematizações necessárias. Mudanças – Psicologia da Saúde, 25 (1) 67-72. http://dx.doi.org/10.15603/2176-1019/mud.v25n1p67-72

Brasil. Guia do Pré-Natal do Parceiro para Profissionais de Saúde (2016). Rio de Janeiro: Ministério da Saúde.

Brasil. Portaria nº 1.459, de 24 de junho de 2011 (2011). Institui, no âmbito do Sistema Único de Saúde - SUS - a Rede Cegonha. Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil. Resolução n° 466, de 12 de dezembrode 2012 (2012). Aprova normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília: Diário Oficial da União.

Cardoso, V. E. P. S et al (2018). A Participação do Parceiro na Rotina Pré-Natal Sob a Perspectiva da Mulher Gestante. RevFundCare Online. 2018 jul./set.; 10(3):856-862. DOI: 10.9789/2175-5361.2018.v10i3.856-862

Cavalcante, M. A. de A., & Tsunechiro, M. A. (2018). O comportamento paterno na consulta pré-natal. Revista Paulista de Enfermagem, 29( 1-2-3), 39-46. Recuperado de http://repen.com.br/revista/wp-content/uploads/2018/11/O-comportamento-paterno-na-consulta-pr%C3%A9-natal.pdf

Cavalcanti, T. L., Holanda, V. R (2019). Participação paterna no ciclo gravídico-puerperal e seus efeitos sobre a saúde da mulher. Enferm. Foco, 10 (1): 93-98. DOI: https://doi.org/10.21675/2357-707X.2019.v10.n1.1446

Costa, S. F., Taquette, S. R (2017). Atenção à gestante adolescente na rede SUS - o acolhimento do parceiro no pré-natal. Revista de Enfermagem UFPE, 11(Supl. 5) 2067-74. DOI: 10.5205/reuol.9302-81402-1-RV.1105sup201711.

Henz, G. S., Medeiros, C. R. G., Salvadori, M. A (2017) Inclusão paterna durante o pré-natal. RevEnferm Atenção Saúde, 6(1):52-66. DOI: https://doi.org/10.18554/reas.v6i1.2053.

Holanda, S. M et al (2018).Influência da participação do companheiro no pré-natal: satisfação de primíparas quanto ao apoio no parto.Texto Contexto Enferm, 27(2):e3800016. doi.org/10.1590/0104-070720180003800016

Lemos, A. P., et al (2017). Saúde do homem: os motivos da procura dos homens pelos serviços de saúde. Revenferm UFPE online., Recife, 11(Supl. 11):4546-53. DOI: 10.5205/reuol.11138-99362-1-SM.1111sup201714.

Lima, J. P., Cazola, L. H. O., Pícoli, R. P (2017). A participação do pai no processo de amamentação. CogitareEnferm, 22(1): 01-07. doi.org/10.5380/ce.v22i1.47846.

Mattos, M. G., et al. (2017). Gestação paterna: uma experiência subjetiva. Barbarói, (49):147-165. doi.org/10.17058/barbaroi.v0i49.8513.

Mendes, S. C., Santos, K. C. B (2019). Pré-natal masculino: a importância da participação do pai nas consultas de pré-natal. Enciclopédia Biosfera, centro científico conhecer, 16 (29)2120- 2133. DOI: 10.18677/EnciBio_2019A163.

Minayo, M. C. S (2017).Amostragem e saturação em pesquisa qualitativa: Consensos e controvérsias revista pesquisa qualitativa. São Paulo: Atlas.

Silva, A. C. D., Pegoraro, R. F (2018). Vivência do Acompanhamento Pré-Natal Segundo Mulheres Assistidas na Rede Pública de Saúde. Revista Psicologia e Saúde, 10(3) 95-107. doi.org/10.20435/pssa.v0i0.663.

Solano, L. C., et al (2017). O acesso do homem ao serviço de saúde na atenção primária. RevFundCare Online, 9(2):302-308. doi.org/10.9789/2175-5361.rpcfo.v9.3270 .

Trindade, Z., et al. (2019). Pais de primeira viagem: demanda por apoio e visibilidade. Saúde Soc. São Paulo, 28 (1)250-261. doi.org/10.1590/s0104-12902019170892.




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i8.5434

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com