Mobile applications: some possibilities for teaching Chemistry

Anderson da Silva Rosa, Rafael Roehrs

Abstract


This study presents a survey of applications related to chemistry for mobile devices with Android operating system, available on the Google Play Store, and analysis of their characteristics and potential as tools for the teaching-learning process in the context of mobile learning. For this, the applications resulting from our search were categorized and the apps with the highest number of downloads and the best evaluation scores within each category were analyzed. Based on the analysis carried out, the study describes the main characteristics of 24 applications and, according to them, establishes possibilities for using these apps in the teaching-learning process in view of the needs and objectives of students and teachers and the skills established in the National Common Curricular Base for high school in the area of natural sciences and their technologies.


Keywords


Chemistry teaching; Mobile learning; Apps; BNCC.

References


Araújo, K., & Araújo, J. (2014). EaD em Tela: docência, ensino e ferramentas digitais. RBLA, 14(3), 735–742.

Brasil. (2018). Base Nacional Comum Curricular: Educação é a base. Ministério da Educação. Brasília, DF. Acesso em 20 de novembro de 2019, em http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf.

Ferreira, D. F. M. A. (2015). Aprendizagem Móvel no Ensino Superior: o uso do Smartphone por alunos do Curso de Pedagogia. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, PE, Brasil.

Firmino, E., Sampaio, C., Guerra, M., Nojosa, A., Saldanha, G., Vasconcelos, A., & Barroso, M. (2019). Aplicativos móveis para uso no Ensino de Químico: uma breve análise. Research, Society and Development, 8(7), e23871127.

Fonseca, A. G. M. F. (2013). Aprendizagem, mobilidade e convergência: Mobile Learning com Celulares e Smartphones. Revista Eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Mídia e Cotidiano, (2), 163–181.

Gresczysczyn, M. C. C., Camargo Filho, P. S., & Monteiro, E. L. (2016). Aplicativos Educacionais para Smartphone e sua Integração com o Ensino de Química. Rev. Ens. Educ. Cienc. Human., 17, 398–403.

IDC Brasil. (2018). Após dois anos, mercado de smartphones cresce em 2017 e atinge o segundo melhor desempenho de vendas. Acesso em 29 de outubro de 2019, em http://br.idclatin.com/releases/news.aspx?id=2312.

IDC Corporate. (2020). Smartphone Market Share. Acesso em 14 de maio de 2020, em http://www.idc.com/promo/smartphone-market-share/os.

Jara, I., Claro, M., & Martinic, R. (2012). Mobile Learning for Teachers in Latin America: Exploring the Potential of Mobile Technologies to Support Teachers and Improve practice. United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization (UNESCO).

Klein, V., Santos, C. V., & Souza, D. M. (2018). Aplicativos educacionais para o ensino de química: Incidência e análise em trabalhos científicos. Redin – Revista Educacional Interdisciplinar, 7(1).

Leite, B. S. (2016). Aprendizagem tangencial no processo de ensino e aprendizagem de conceitos científicos: um estudo de caso. Renote, 14(2), 1-10.

Leite, M. A. P., & Rodrigues, S. J. S. (2017). M-Learning no ensino técnico de química: classificação e avaliação de aplicativos móveis. Revista CIENTEC, 9(1), 24-34.

Libman, D., & Huang, L. (2013). Chemistry on the Go: Review of Chemistry Apps on Smartphones. Journal of Chemical Education, 90(3), 320-325.

Moreno, E. L., & Heidelmann, S. P. (2017). Recursos Instrucionais Inovadores para o Ensino de Química. Química Nova na Escola, 39(1), 12–18.

Neves, N. P. S. (2014). Currículo e Tecnologias da Informação e Comunicação na Educação. Informática na Educação: teoria e prática, 17(2), 47–57.

Nichele, A. G. (2015). Tecnologias móveis e sem fio nos processos de ensino e de aprendizagem em química: uma experiência no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul. Tese de doutorado, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, RS, Brasil.

Nichele, A. G., & Schlemmer, E. (2014). Aplicativos para o ensino e aprendizagem de Química. Renote, 12(2).

Shuler, C., Winters, N, & West, M. (2013). The future of mobile learning: Implications for policy makers and planners. United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization (UNESCO).

Tavares, R., Souza, R. O. O., & Correia, A. O. (2014). A study on “ICT” and teaching of chemistry. Revista Gestão, Inovação e Tecnologias, 3(5), 155–167.




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i8.4955

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com