Talking Map as a data production instrument in qualitative research

Beatriz Carvalho Espindola, Vera Maria Sabóia, Rhanã Amaral Macedo

Abstract


This work aims to describe the development of the Talking Map in participatory research with undergraduate nursing students on the concept of health promotion. This is an experience report on the use of the Talking Map as a data production technique in Participatory Health Research, an innovative approach in the preparation of monographs, dissertations and theses. The research field was the Aurora de Afonso Costa Nursing School and the data were produced from August to December 2019. Participants were asked to respond in a playful way, on cardboard, "what is it about the Nursing School that favors the Health Promotion of undergraduate students?”. Subsequently, they answered on another cardbord “what would you like to have at the Nursing School to favor the Health Promotion of undergraduates?”. From the findings, three categories emerged: Health Promotion Actions at EEAAC/UFF; Interpersonal Relations at EEAAC/UFF and The promoting environment EEAAC/UFF.  Therefore, it is concluded that the Talking Map stimulated the participants to reflect and be creative, providing well-being during the research. Proved to be effective as an instrument, capable of extracting from Nursing students information about the concept of health promotion, favoring the achievement of objectives. Thus, it contributed to a collective construction of the findings.


Keywords


Talking Map; Health Promotion; Nursing; Participating Research; Teaching.

References


Alayo, M. et al (2013). Guia para Universidades Saudáveis. 1. Ed. Lima: Ed. Consorcio de Universidades.

Arroyo, H.A. & Rice, M. (2009). Una nueva mirada al movimiento de Universidades Promotoras de la Salud en lãs Américas. Documento de trabajo desarrollado para el IV congreso internacional de universidades promotoras de la salud. Puerto Rico: Organización Panamericana de la Salud.

Czeresnia, D. & Freitas, C.M. (2016). Promoção da saúde: conceitos, reflexões e tendências. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora Fio Cruz.

Ferreira, A.L. & Pereira, M.F.W. (2013). O Mapa Falante como Instrumento do Processo Ensino-Aprendizado do Aluno de Medicina: Relato de Experiência. Revista de Pediatria SOPERJ. [online], 14(1), Disponível em http://revistadepediatriasoperj.org.br/detalhe_artigo.asp?id=631

Freire, P. (2016). Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 53 ed, São Paulo: Editora Paz e Terra.

Heraud, S.B. (2013). Universidades saludables: una apuesta a una formación integral Del estudiante. Revista de Psicologia. [online], 31(2), 287-314. Disponível em http://www.scielo.org.pe/pdf/psico/v31n2/a06v31n2.pdf

Lopes, H.S. et al, (2018). Qualidade do sono entre estudantes de enfermagem e fatores associados. Semina: Ciências Biológicas e de Saúde, 39(2), 129-136. doi: 10.5433/1679-0367.2018v39n2p129

Minayo, M.C.S. (2012). Análise qualitativa: teoria, passos e fidedignidade. Ciênc. saúde coletiva. [online], 17(3), 621-626. doi: 10.1590/S1413-81232012000300007

Moniz, M.A. et al (2017). Práticas Comunicativas socioambientais: inovação e potencialidades no uso de tecnologias educacionais na formação do enfermeiro. 1 ed, Niterói: Eduff.

Moraes, H.S. & Mello, M. (2017). A relação do sujeito contemporâneo e o animal doméstico: uma análise a partir do filme “marley e eu”. Rev. Psicologia.pt., ISSN 1646-6977. Disponível em https://www.psicologia.pt/artigos/textos/A1108.pdf

Moreno, P.F. & Soares, A.B. (2014). O que vai acontecer quando eu estiver na universidade? Expectativas de jovens estudantes brasileiros. Aletheia. [online], 45, 114-127. Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-03942014000200009&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

Moura, L.B.A. & Rodrigues, N.S. (2018). Universidade Promotora de Saúde: O percurso da Faculdade de Ciências da Saúde. Brasília: Universidade de Brasília.

Oliveira, L.A. et al. (2014). Estresse nos acadêmicos de enfermagem de uma universidade pública. Arq Ciênc Saúde, 21(2), 118-123. Disponível em http://repositorio-racs.famerp.br/racs_ol/vol-21-2/ID_612_alter_21(2)_Abr-jun_2014.pdf

OPAS. Organização Pan Americana de Saúde (2018). O que é fadiga (muscular, crônica, adrenal, etc) e como tratar. Brasília: OPAS. Acesso em 15 de Fevereiro de 2020, em https://www.opas.org.br/o-que-e-fadiga-muscular-cronica-adrenal-etc-e-como-tratar

Ramos, F.P. et al. (2018). Intervenções psicológicas com universitários em serviços de apoio ao estudante. Rev. bras. orientac. Prof., 19(2), 221-232. doi: 1026707/1984-7270/2019v19n2p221

Santos, A.S. et al. (2015). Características das relações dos universitários e seus pares: implicações na adaptação acadêmica. Psicol. Teor. Prat. [online]. 17(1), 150-163. Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-36872015000100013

Santos, A.A. & Pekelman, R. (2008). A escola, o território e o lugar: a promoção de espaços de saúde. Rev. OKARA. Geografia em debate, 2(1), 3-11. ISSN 1982-3878.

Souza, D.R.M. (2013). A fotografia participativa como ferramenta de reflexão identitária: estudo de caso com jovens em contexto de exclusão social no Brasil e em Portugal [tese]. Lisboa: Universidade Nova de Lisboa.

Toledo, R.F. et al. (2018). Pesquisa participativa em saúde: Vertentes e Veredas. São Paulo: Instituto de Saúde.

Vargasa, L.M. et al. (2015). Estilo de vida e fatores associados em estudantes universitários de educação física. Rev. De Atenção a Saúde. [online], 13(44), 17-26. doi: 10.13037/rbcs.voll3n44.2693




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i7.4883

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com