Análisis de la ampliación de las rutas de cabotaje desde el punto de vista económico y la sostenibilidad del negocio

Isadora Batista Borges, Wellington Gonçalves, Rodrigo Randow Freitas

Resumen


El cabotaje es una vertiente del transporte de cargas que está en constate crecimiento, tanto en Brasil como en el mundo. En el caso de las carreteras, se corre el riesgo de que se produzca un aumento de la producción de CO2 en las carreteras, si se compara con los modales de carreteras, presenta seguridad de carga, con lo que el cabotaje se está convirtiendo en un factor clave de competitividad entre las empresas. A partir de esto, este presente estudio propone el análisis de la ampliación de las rutas de cabotaje de la Empresa de Papel y Celulosa en cuestión, con la creación de un nuevo concepto de transporte de carga, con base en la literatura oficial disponible y en el know-how identificado internamente en la empresa estudiada. En cuanto a la caracterización de las Rutas más viables para el transporte de Papel vía cabotaje, y la composición de los costos de flete para las rutas estudiadas, se realizó una recolección de datos, utilizando la entrevista no estructurada, visitas técnicas, y la observación. Se involucró en las áreas de logística, y de suministros logísticos de la empresa en cuestión, para orientar la investigación. Así, consolidando las informaciones y por medio de una mirada crítica a la actual situación del cabotaje en Brasil, y el aumento de la utilización de la misma en la empresa en cuestión, es posible decir que aun estando en un país desequilibrado en relación a la matriz de transportes, es muy ventajoso la inversión y el aumento del cabotaje a nivel nacional.


Palabras clave


ransporte marítimo; logística; Indicadores de desempeño.

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))

Referencias


Amaro, A., Póvoa, A. & Macedo. L. (2005). A arte de fazer questionário. Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, Departamento de Química, Metodologias de Investigação em Educação. Disponível em: . Acesso em: 07 jun. 2018.

ANTAQ. Anuário Estatístico Portuário 2009. Disponível em: . Acesso em: 07 jun. 2018.

ANTAQ. Anuário Estatístico Aquaviário 2010. Disponível em: . Acesso em: 07 jun. 2018.

ANTAQ. Anuário Estatístico Aquaviário 2011. Disponível em: . Acesso em: 07 jun. 2018.

ANTAQ. Anuário Estatístico Aquaviário 2012. Disponível em: . Acesso em: 07 jun. 2018.

ANTT (Ed.). (2005). Anuário Estatístico dos Transportes Terrestres (AETT). Brasília: ANTT, 1 v. Disponível em: . Acesso em: 07 jun. 2018.

Akabane, G. K. (2014). Análise Exploratória da Sustentabilidade Ambiental do Transporte por Cabotagem: Um Estudo de Caso em uma Empresa Transportadora na Rota Manaus (AM) a Santos (SP). Artigo da Área Temática de Gestão Ambiental, ENGEMA Encontro Internacional sobre Gestão Empresarial e Meio Ambiente, São Paulo.

Ballou, R. H. (2007). Logística Empresarial: Transportes, Administração de Materiais, Distribuição Física. Editora Atlas, São Paulo. 392pp.

Bandeira, Denise Lindstrom, Becker, João Luiz, & Borenstein, Denis. (2008). Sistema para distribuição integrada de contêineres cheios e vazios. Production, 18(3): 452-468.

Bataglia, W. & Yu, A. S. O. (2008). A sincronização da tomada de decisão estratégica com o planejamento estratégico formal. Revista de Administração Mackenzie 9(5): 82-111.

Bichou, K. & Gray, R. (2005). A critical review of conventional terminology for classifying seaports. In: Transportation Research. Part A: Policy and Practice, 39(1): 75–92.

Botter, R. C., Pinto, M. M. O., Moura, D. A. & Medina, A. C. (2010). Análise da Competitividade da Indútria Marítima Brasileira e um panorama do setor de cabotagem no Brasil e no exterior. 1. ed. São Paulo: IGLU Editora, 205pp.

BRASIL. Lei nº. 9.432, de 08/01/1997: dispõe sobre a ordenação do transporte aquaviário. Brasília: Senado Federal. 1997. Disponível em: . Acesso em: 07 jun. 2018.

Carvalho, R.O., Robles, L.T. & Assumpção, M. R. P. (2010). Logística integrada na prestação de serviços de cabotagem. eGesta, 6(1): 133-137.

Christopher, M. (2007). Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos. Criando redes que agregam valor. 2.ed. São Paulo: Thomson Learning. 308pp.

Contel, F. B. (2001). Os sistemas de movimento do território brasileiro. In: Santos, Milton; Silveira, Maria Laura. O Brasil: território e sociedade no século XXI. 3ª ed. Rio de Janeiro: Record, p. 329-343.

Collyer, W. O. (2013). A importância do direito marítimo e da regulação dos transportes e portos para o desenvolvimento da logística. Journal of Transport Literature, 7(1): 194-201.

CNT. Confederação Nacional dos Transportes. (2015). Plano CNT de Transporte e Logística 2011. Disponível em: . Acesso em: 07 jun. 2018.

Denilson & Akabane, G. (2004). Análise Exploratória da Sustentabilidade Ambiental do Transporte por Cabotagem: Um Estudo de Caso em uma Empresa Transportadora na Rota Manaus (AM) a Santos (SP). Encontro Internacional sobre Gestão Empresarial e Meio Ambiente. Disponível em: . Acesso em: 14 mai. 2018.

Durães Filho, A. C, et al. (2011). Cabotagem uma Alternativa Econômica de Transporte Eficaz para o Brasil. Perspectiva Online, 1(1): 13-22.

Fischer, A. (2008). Portos marítimos: tentativa de classificação. In: Sposito, E. S.; Firkowski, O. L. C. de F. (Orgs.) Indústria, ordenamento e território: a contribuição de André Fisher. São Paulo: Expressão Popular: UNESP, 160p.

Fonseca, R. O. (2012). A circulação através da navegação de cabotagem no Brasil: um sistema de fluxos e fixos aquaviários voltados para a fluidez territorial. 188p. Dissertação (Mestrado em Geografia Humana). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, Departamento de Geografia. São Paulo/SP.

Fonseca, R. O. (2015). A navegação de cabotagem de carga no Brasil. Mercator, Fortaleza, 14(1): 21-46.

Gonçalves, L. R. G., Cintra, G. B., Teider, B. H., Gallo, J. B., & Pandolfelli, V. C. (2010). Aplicação da ferramenta SWOT para avaliação das técnicas de dano ao choque térmico em materiais refratários. Cerâmica, São Paulo, 56(340): 320-324.

Jabbour, C. J. C., Teixeira. A. A. & Jabbour, A. B. L. de S. (2013). Treinamento ambiental em organizações com certificação ISO 14001: estudo de múltiplos casos e identificação de coevolução com a gestão ambiental. Produção, 23(1): 80-94.

Kosior, J., Vido, E. & Prentice, B. E. (2009). Creating Lean, Green and Agile Supply Chains: the Benefits of Cabotage Liberalization. Canadian Journal of Transportation, Vol. 3, Part. 1. p. 27-44.

Lacerda, D. P., Dresh, A. & Proença, A. (2013). Design Science Research: método de pesquisa para a engenharia de produção. Gestão & Produção, 20(4), 741-761.

Lacerda, S. M. (2004). Navegação de cabotagem: regulação ou politica industrial? BNDES Setorial, Rio de Janeiro, n. 19, p. 49-66.

Lachmann, M.Von & Castro Junior, O. A. de. (2009). A Navegação de Cabotagem na Visão dos Transportadores: O Valor da Cabotagem Brasileira. Seminário ANTAQ, Brasília. Disponível em: . Acesso em: 14 mai. 2018.

Lodi, J. B. (1968). Introdução à obra de Peter F. Drucker. R.A.E. 8(29): 80-137.

Manktelow, J. & Carlson, M. (2010). SWOT Analysis Discover new Opportunities Manage and Eliminate Threats. Disponível em: . Acesso em: 6 out. 2017.

Marconi, M. A. & Lakatos, E. M. (2017). Fundamentos de metodologia científica. 8. ed. São Paulo: Atlas. 368p.

Mello, C. H. P.; Turrion, J. B.; Xavier, A. F. & Campos, D. F. (2012). Pesquisa-ação na engenharia de produção: proposta de estruturação para sua condução. Produção. 22(1): 01-13.

Moura, D. A. de. & Botter, R. C. (2011). O transporte por cabotagem no brasil - potencialidade para a intermodalidade visando a melhoria do fluxo logístico. Revista Produção Online. 11(2): 595-617.

Nobre, M., Robles, L. T. & Santos, F. R. (2005). A gestão logística dos contêineres vazios. In: SINAP 2005 - Simpósio Internacional de Gestão de Negócios em Ambiente Portuário, 2005, Santos. SINAP 2005 - Simpósio Internacional de Gestão de Negócios em Ambiente Portuário - Estratégias para inserção global e sustentabilidade, 11p.

Oliveira, W. B. & Lima, L. C. (2016). Os portos e fluxos no meio técnico-científico-informacional: o caso do Porto de Fortaleza. Caderno de Geografia, 26(46): 597-614.

Ono, R. T. (2001). Estudo de viabilidade do transporte marítimo de contêineres por cabotagem na costa brasileira. Dissertação de Mestrado, Escola Politécnica, Universidade de São Paulo, São Paulo. doi:10.11606/D.3.2001.tde-16012002-102949.

Perrupato, M. (2009). Seminário Internacional sobre Hidrovias Brasil – Holanda, Brasília. Disponível em: . Acesso em: 06 jun. 2018.

Prahalad, C. K. & Hamel, G. (1990). The Core Competence of the Corporation. Harvard business review, 69(3):275-292.

Robles, L. T. (2001). A prestação de serviços de logística integrada na indústria automobilística no Brasil: em busca de alianças logísticas estratégicas. Tese de Doutorado, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo. doi:10.11606/T.12.2001.tde-30012004-115341. Disponível em: . Acesso em: 06 jun. 2018.

Rodrigues, J. P., Comtois, C. & Slack, B. (2009). The Geography of Transport Systems. 2ª ed. New York: Routledge. 368p.

Rodrigues, P. R. A. (2005). Introdução aos Sistemas de Transporte no Brasil e à Logística Internacional, 3.ed. São Paulo: Aduaneiras. 248p.

Rodrigues, P. R. A. (2007). Introdução aos Sistemas de Transportes no

Brasil e à Logística Internacional. 4. ed. São Paulo: Aduaneiras, 248p.

Santos, M. & Silveira, M. L. (2001). O Brasil: território e sociedade no século XXI. 3ª ed. Rio de Janeiro: Record, 471p.

Severino, J. S. (2007). Metodologia do trabalho científico. 23. ed. rev. e atual. São Paulo: Cortez, 304p.

Sakai, J. (2005). A importância da logística para a competitividade das empresas: estudo de caso na indústria do Pólo de Camaçari. Dissertação (mestrado) – Universidade Federal da Bahia, Escola de Administração. 224p. Disponível em: . Acesso em: 07 jun. 2018.

Santos, J. A., Galdino, C. L., Akabane, G. K. & Santos, E. B. A. (2015). Matéria-Prima Gerada da Reciclagem de Garrafas PET e seus Produtos Derivados. Revista Metropolitana de Sustentabilidade, 5(2): 3-13.

Silveira, A. J., Pires, J. S., Barbosa, E. R., Pereira, C. H. & Sousa, M. A. (2012). Cabotagem como instrumento de preservação ambiental. Cabotagem como instrumento de preservação ambiental. In: XXVII Congresso da ANPET, 2013, Belém. Anais do XVII Congresso da ANPET.

Siluk, J. C. M. & Alves, V. T. (2012). Diagnostico e avaliação do desempenho logístico da prestação do serviço de transporte rodoviário de carga. Espacios. Vol. 33(2): 3-4.

Sousa Junior, J. N. C., Nobre Junior, E. F. & Prata B. A. (2008). Análise da eficiência dos portos da região Nordeste do Brasil baseada em Análise Envoltória de Dados. Revista Eletrônica Sistemas & Gestão, 3(2): 74-91.

Sousa Junior, J. N. C., Nobre Junior, E. F., Prata, B. A. & Mello, J. C. C. B. S. (2013). Avaliação da eficiência dos portos utilizando análise envoltória de dados: estudo de caso dos portos da região nordeste do Brasil. J. Transp. Lit., vol.7, n.4, pp.75-106

Souza, G. P. de. (2014). O papel da navegação de cabotagem na logística nacional: aspectos institucionais. Revista Acadêmica da UNIBR. 4(2): 1-7.

Stopford, M. (2004). Maritime economics. 3 ed. London: Routledge. 840p.

Syndarma. (2014). Sindicato nacional das empresas de navegação marítima (apud Henrique Gomes Batista – Jornal o Globo). – Novos Caminhos Pelo Mar: site) Syndarma, Rio de Janeiro. Disponível em: . Acesso em: 07 jun. 2018.

Vergara, S. C. (2016). Projetos e Relatórios de Pesquisa em Administração.16. ed. São Paulo: Atlas. 106p.

Yin, R. K. (2005). Estudo de Caso: Planejamento e Métodos. 3. Ed. Porto Alegre: Bookman. 320p.




DOI: http://dx.doi.org/10.17648/rsd-v7i9.434

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Base de Dados e Indexadores: BaseDiadorimSumarios.orgDOI CrossrefDialnetScholar GoogleRedibDoajLatindex, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional