Burnout syndrome and stress experienced by nurses in the intensive care unit: a literature review

Denilson da Silva Evangelista, Wanderson Alves Ribeiro

Abstract


This is a bibliographical research of a qualitative approach that has as object of study the triggering factors of the Burnout Syndrome and the stress in the nurse that works in the ICU, that aimed to Identify bibliographic data about the triggering factors of Burnout Syndrome and the stress in the nurse who works at the Intensive Care Center; To reflect on possible strategies for the reduction of Burnout Syndrome and stress in the nurse who works at the Intensive Care Center. For this purpose, the Virtual Health Library was used in the LILACS, SCIELO, MEDLINE information base with time cut from 2008 to 2018 The most frequent stress factors were: closed and continuous noise environments, staff interpersonal relationship, overwork, salary dissatisfaction and responsibility in assigning patients with high complexity, which also contribute to triggering Burnout Syndrome. It is concluded that ICU needs to be a healthy environment with better working conditions to prevent professional exhaustion, which will reflect not only the nurse, but also the care provided to the patient; and that the systematization of assistance can be of great value in this process.


Keywords


Nursing; Stress; Occupational exhaustion; Worker health; Intensive Care Unit.

References


Afecto MCP, & Teixeira MB. (2009). Avaliação do Estresse e da Síndrome de Burnout em Enfermeiros que Atuam em Unidade de Terapia intensiva: um estudo qualitativo. Rev. Online Brazilian Journal of Nursing. São Paulo. 8(1).

Balsanelli AP, Cunha ICKOC, & Whitaker IY. (2009). Estilo de liderança de enfermeiros em unidade de terapia intensiva: associação com perfil pessoal, profissional e carga de trabalho. Rev. Latino-am Enfermagem. 2009; 17(1): 28-33.

Bauk, DA. (2008). Stress. Caracterização do estresse nos enfermeiros de Unidade de Terapia Intensiva. Rev. Esc. Enferm. USP. 2008; 42(2): 355-62

Brasil. (2002). Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP). Resolução nº 466, de 2012. Diniz &Guillem, (2002). O que é Bioética. São Paulo: Brasiliense

Cavalheiro, AM; Moura, DFJ, & Lopes, A.L. (2008). Estresse de enfermeiros com atuação em unidade de terapia intensiva. Rev. Latino-Am. Enferm. 2008; 16(1):.29-35.

Cofen. (2004). Código de Ética e Legislação. Resolução COFEN 293/2004.

Costa, JRA; Lima, JV, & Almeida, PC. (2009). Stress no trabalho do enfermeiro. Rev. Esc. Enferm. USP. 2003;7(3): .63-71. apud Schimidt, DRC; Dantas, RAS; Marziale, MHP; Laus, AM. Estresse ocupacional entre profissionais de enfermagem do bloco cirúrgico. Texto Contexto Enferm. 2009; 18(2):330-7.

Cruz, EJER; & Souza, NVDO. (2008). Repercussõesda variabilidade na saúde do enfermeiro intensivista. Rev. Eletr. Enf. 2008; 10(4): 1102-13.

Fernandes LS; Nitsche MJT; & Godoy I. (2017). Sindrome de Burnout em profissionais de enfermagem de uma unidade de terapia intensiva. RevFundCare Online. 2017; 2(9): 551-557.

Ferreira, LL; (1985). Sono de trabalhadores em turnos alternantes. Rev. Bras Saúde Ocup. 1985; v.13, n.51, p.25-7. apud Santos, F.D.S; Cunha, MHF; Robazzi, MLCC; Pedrão, RLJ; Silva, LA; Terra, FS. O estresse do enfermeiro nas Unidades de Terapia Intensiva adulta: uma revisão da literatura. SMAD, Rev. Eletrônica Saúde Mental Álcool Drog. 2010; 6(1): 1-16;

Franco, GF; Barros, ALBL; Martins, LAN; & Zeitoune, SS. (2011). Burnout em residentes de enfermagem. Rev. Escola de Enfermagem da USP. São Paulo. 45(1): 2011.

Gil, AC. (2008). Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo. Ed. Atlas, 2008.

Gomes AM. (2008). Enfermagem na unidade de terapia intensiva, 3. ed. São Paulo, EPU, 2008. p.3-5; 17-31.

Guerrer, FJ;& Bianchi, ERF.(2008). Caracterização do estresse nos enfermeiros de Unidade de Terapia Intensiva. Rev. Esc. Enferm. USP. 2008; 42(2):355-62.

Haag, G. S; Lopes, MJM; & Schuck, JSA (2001). Enfermagem e a Saúde dos Trabalhadores. Ed. AB; 2ºed. 140 p. 2001.

Jodas, DA; & Haddad, MCL. (2009). Síndrome de Burnout em trabalhadores de enfermagem de um pronto socorro de hospital universitário. Rev. Acta Paul Enferm. Londrina – PR; 22(2):192-197; 2009.

Knobel, E; Laselva, CR; & Moura, D.F.J. (2006). Terapia intensiva: enfermagem. São Paulo: Atheneu; 2006.

Lakatos, E.M; & Marconi, NA. (2010). Fundamentos de Metodologia Cientifica. 7. ed. São Paulo. Ed. Atlas, 2010.

Lautert, L. (2001). Cap IV. p. 114. 2001. O Processo de Enfrentamento do Estresse no Trabalho Hospitalar: Um Estudo com Enfermeiras. In: Haag, G. S; Lopes, M. J. M; Schuck, J. S (org). A Enfermagem e a Saúde dos Trabalhadores. Ed. AB; 2ºed.

Legislativa Comissões Permanente (2012). /cssf/noticias/arquivos-noticias-2015/psicologa-acredita-que-sindrome-deburnout-e-subnotificada-no-brasil Maia, Jair Alves, Leonardo Assunção Pereira, and Fernanda Alcântara Menezes. "Análise de fatores depressivos no trabalho do enfermeiro na área de psiquiatria." Revista Sustinere 3.2 (2015): 178- 190. Campos, Juliana Alvares Duarte Bonini, et al. "Burnoutsyndromeamong dental students." Revista Brasileira de Epidemiologia 15.1 (2012): 155-165.

Meneghini F, Paz AA, & Lautert L. (2011). Fatores ocupacionais associados aos componentes da síndrome de burnout em trabalhadores de enfermagem. Texto Contexto Enferm, Florianópolis, 2011; 20(2): 225-33.

Minayo, MCS. (2008). O Desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 11. ed. São Paulo. Ed Hucitec, 2008.

Brasil. (2002). Ministério da Saúde. Cadernos de Atenção Básica. Saúde do Trabalhador. Brasília, nº5, 68.

Morgan, G. Imagens da Organização: edição executiva. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2007. p.301.

Oliveira, EB; & Lisboa, MTL. (2009). Exposição ao ruído tecnológico em CTI: estratégias coletivas de defesa dos trabalhadores de enfermagem. Esc. Anna Nery Rev. Enfermagem. 2009; 13(1): 24-30.

Otênio, MH; Cremer E;& Claro EMT. (2007). Intensidade de ruído em hospital de 222 leitos na 18ª Regional de Saúde – PR. Rev. Bras. Otorrinolaringol. 2007; 73(2):3499-250.

Panizzon, C.; Luz, AMH.; &Fensterseifer, L. M. (2008). Estresse da equipe de enfermagem de emergência clínica. Rev. Gaúcha Enfermagem. Porto Alegre (RS). 2008.

Pereira, AS, Shitsuka, DM, Parreira, FJ & Shitsuka, R. (2018). Metodologia da pesquisa científica. [e-book]. Santa Maria. Ed. UAB/NTE/UFSM. Disponível em: https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1.

Pereira, MER;& Bueno, SMV. (2009). Lazer: um caminho para aliviar as tensões no ambiente de trabalho em UTI: uma concepção da equipe de enfermagem. Rev. Lat. Am. Enfermagem. 1987; 5(4): 75-83. apud Preto, VA; Pedrão, LJ. O estresse entre enfermeiros que atuam em Unidade de Terapia Intensiva. Rev. Esc. Enferm. USP. 2009; 43(4):.841-8.

Preto, VA; & Pedrão, LJ. (2009). O estresse entre enfermeiros que atuam em Unidade de Terapia Intensiva. Rev. Esc. Enferm. USP; 2009; 43(4):841-8.

Ribeiro, L. C. C; Barbosa, L. C. R; & Soares, A. S. (2015). Avaliação da prevalência deburnoutentre professores e a sua relação com as variáveis sociodemográficas. Rev. Enferm. Centro Oeste Mineiro; 5(3): 1741-1751; 2015

Ribeiro, WA; Coutinho, VVA; de Morais, MC; Souza, DMS; Couto, CS; de Oliveira-, LS; de Souza, HLR; & Santos, JAM. (2019). Evidências e repercussões do estresse vivenciado pelos enfermeiros da unidade de terapia intensiva: um estudo das publicações brasileiras. Revista Pró-UniverSUS. 10 (1): 61-65.

Rodrigues, A.B; & Chaves E.C. (2008). Fatores estressantes e estratégias de coping dos enfermeiros atuantes em oncologia. Rev. LatinoAmEnferm. 2008; 16(1):1-5.

Rodrigues, V.M.C.P; & Ferreira, A.S.S.F. (2011). Fatores geradores de estresse em enfermeiros de unidade de terapia intensiva. Rev. Latino-Am. Enfermagem; 19(4): 4.

Santos, F.D.S; Cunha, M.H.F; Robazzi, M.L.C.C; Pedrão, R.L.J; Silva, L.A; & Terra, F.S. (2010). O estresse do enfermeiro nas Unidades de Terapia Intensiva adulta: uma revisão da literatura. SMAD, Rev. Eletrônica Saúde Mental Álcool Drog. 2010; 6(1):12.

Schmidt, D. R. C;Paladini, P;Biato, C; Pais, J. D; & Oliveira, A. R. (2013). Qualidade de vida no trabalho e burnout em trabalhadores de enfermagem de Unidade de Terapia Intensiva. Rev. Brasileira de Enfemagem. Brasilia. 66(1):

Selye, H. (2008). Stress: a tensão da vida. 2. ed. Trad. Frederico Branco. São Paulo: Ibrasa, 1965. apud Silva, G.L. Yamada, K.N. Estresse ocupacional em trabalhadores de uma unidade de internação de um hospital-escola. Rev. CiencCuid Saúde, Paraná. 2008; 7(1):.098-105.

Trigo, R. T; (2010). Cap VIII. p. 161 a 169. 2010. Síndrome de Burnout ou Esgotamento Profissional: como Identificar e Avaliar. In: Glina, D. M. R; Rocha, L. E (org) Saúde Mental no Trabalho: da Teoria à Prática. São Paulo: Roca. ex. 8.

Viana, R.A.P; & Whitaker, I.Y. (2011). Enfermagem em Terapia Intensiva: Práticas e Vivencias. 2. ed. Porto Alegre. Ed. Artmed,

Vila, V.S.C; & Rorri, L. 2002). O significado cultural do cuidado humanizado em unidade de terapia intensiva: "muito falado e pouco vivido". Rev. Latino-am Enfermagem. 2002; 10(2): 137-44 apud Santos, F.D.S; Cunha, M.H.F; Robazzi, M.L.C.C; Pedrão, R.L.J; Silva, LA; Terra, FS. O estresse do enfermeiro nas Unidades de Terapia Intensiva adulta: uma revisão da literatura. SMAD, Rev. Eletrônica Saúde Mental Álcool Drog. 2010; 6(1): 8;

Wheeler, HH. (2009). Nurse occupational stress - research2: dentition and conceptualization. BR J Nurse. 1997; v.612, n.6, p.710-3 apud Preto V.A, Pedrão, L.J. O estresse entre enfermeiros que atuam em Unidade de Terapia Intensiva. Rev. Esc. Enferm. USP. 2009; 43(4):841-8.

Zago Novaretti, MC ET al. (2014). Sobrecarga de trabalho da Enfermagem e incidentes e eventos adversos em pacientes internados em UTI. Revista Brasileira de Enfermagem, 67(5).




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i7.4327

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com