School museums in science teaching: the case of the case of Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro Natural History Museum

Adriana Conti Rezende, Eline Deccache Maia

Abstract


Museums and Science Centers are important spaces for scientific education to the public. School Museums are a special sort of museum that congregates from memory and institutional heritage to pedagogical actions aimed at teaching. The ISERJ Natural History Museum, located at the Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro, is an example of a school museum that has a collection of natural history and pedagogical materials aimed at teaching science. The objective of this work is to verify the role of this school museum in teaching science in general and, consequently, for scientific literacy. Our aim was to analyze the meaning and the impact of a science museum within a formal educational institution, using qualitative research methodology with an emphasis on the historical perspective, through a bibliographic and documentary survey of the museum, from the origin of the collection to its relevance in science education, as well as verifying its meaning today. It was possible to see that the creation of the ISERJ school museum was part of a broader educational policy, which dates back to the end of the 19th century, founded on the premise of a more tangible science education. Despite the little knowledge and use of school museums, their existence can be an excellent opportunity to further highlight their merits and their importance for science teaching.


Keywords


School museum; Science teaching; Scientific literacy.

References


Alves, VMS. (2017) “Museus Escolares”: um dos espaços de salvaguarda do patrimônio de Ciência e Tecnologia. In: Granato, M, Ribeiro, ES & Araújo, BM. Cadernos do Patrimônio da Ciência e da Tecnologia: Instituições Trajetórias e Valores – R.Janeiro: Museu de Astronomia e Ciências Afins, 332p.

Alves, VMS., Rezende, AC., Reis, MAGS. (2013). Museu de História Natural do Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro (ISERJ): um olhar sobre as coleções de ensino. In: II Seminário de Gestão do Patrimônio Cultural de Ciência e Tecnologia, 2013, Recife. Anais do II Seminário de Gestão do Patrimônio Cultural de Ciêc. e Tecnologia. Recife: Ed.UFPE, p.217–34.

Bastos, MHC. (2005) A Educação como espetáculo In: Stephanou, Maria. Bastos, MHC. Histórias e Memórias da Educação no Brasil Vol. II – Século XIX, Petrópolis, RJ: Editora Vozes.

Bastos, MHC. (2013) Método Intuitivo e Lições de Coisas por Ferdinand Buisso. Hist. Educ. vol.17 no.39 Santa Maria Jan./Apr. 2013.

Gaspar, A. (1993) Museus e Centros de Ciências – conceituação e proposta de um referencial teórico. Tese (Doutorado). Universidade de São Paulo. São Paulo. 118p.

Henriksen, EK. & Frøyland, M. (2000) The contribution of museums to scientific literacy: views from audience and museum professionals. Public Understanding of Science, 9; 393-415.

Iszlaji, C. & Marandino, M. (2013) A criança e os museus: análise da exposição ‘Mundo da Criança’ do Museu de Ciência e Tecnologia da PUCRS. Atas do IX Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Águas de Lindoia, p. 1-8.

Marandino, M. (2005) Museus de Ciências como Espaços de Educação In: Museus: dos Gabinetes de Curiosidades à Museologia Moderna. Belo Horizonte: Argumentum, p. 165-176.

Marandino, M. (2011) Por uma didática museal: propondo bases sociológicas e epistemológicas para análise da educação em museus. Tese de Livre Docência. USP, São Paulo.

Marandino, M. (2017) Faz sentido ainda propor uma separação entre os termos educação formal, não-formal e informal. Editorial. Ciênc. Educ., Bauru, 23(4): 811-816, 2017.

Marchi, C. (2015) Museus Escolares no Estado de São Paulo (1879-1942). Dissertação Mestrado. Universidade de São Paulo, São Paulo. 160p

Marques, ACTL. e Marandino, M. (2018) Alfabetização Científica: criança e espaços de educação não formal, diálogos possíveis. Educação e Pesquisa, v. 44, São Paulo.

Mónico, LA., Alferes, VR., Castro, PA. e Parreira, PM. (2017) A Observação Participante enquanto Metodologia de Investigação Qualitativa. Investigação Qualitativa em Ciências Sociais. Volume 3. Anais do 6° Congresso Ibero-Americano de Investigacion Cualitatitva. p. 724-733.

Minayo, MCS. (org.) (2001) Pesquisa Social: Teoria, método e criatividade. 18 ed. Petrópolis: Vozes.

Ovigli, DFB. (2011) Prática de ensino de ciências: o museu como espaço formativo. Revista Ensaio, v.13, n.3, Belo Horizonte, p. 133-149.

Petry, MG. & Silva, VLG. (2013) Museu Escolar: sentidos, propostas e projetos para a escola primária (séculos 19 e 20). Hist. Educ., 17(41): 79-101, set/dez.

Possamai, Z. e Paz, FRC. (2017) Considerações sobre Museus Escolares de Ciências, Brasil e Argentina. In: GRANATO, Marcus, RIBEIRO, Emanuela Sousa e ARAÚJO, Bruno Melo de. Cadernos do Patrimônio da Ciência e da Tecnologia: instituições trajetórias e Valores – Rio de Janeiro: Museu de Astronomia e Ciências Afins. p. 332.

Santos, HHM. (2008) A Congregação da Escola Normal da Corte. Anais do V Congresso Brasileiro de História da Educação. Aracaju: SBHE/UFS, 2008. CD

Santos, SR., Lima, DCG. & Queiroz, ML. (2012) Patrimônio ISERJ: território vivo. Rio de Janeiro. Disponível em http://iserjnet/patrimonio-iserj-território-vivo Acesso: 29/09/2013.

Sasseron, LH. (2015) Alfabetização científica, ensino por investigação e argumentação: relações entre ciências da natureza e escola. Revista Ensaio, 17(esp.): 49-67, Belo Horizonte.

Sasseron, LH & Carvalho, AMP. (2011) Alfabetização científica: uma revisão bibliográfica. Investigações em Ensino de Ciências. 16(1): 59-77.

SILY, PRM. (2008) Práticas educativas do Museu Nacional do Rio de Janeiro no início do século XX. Anais do Congresso Brasileiro de História da Educação. Disponível em www.sbhe.org.br/novo/congressos/cbhe5/pdf/551.pdf‎. Acesso: 29/04/2020.

Schelbauer, AR. (2005) O método intuitivo e lições de coisas no Brasil no século XIX. In: Stephanou, M. & Bastos, MHC. Histórias e memórias da Educação no Brasil. 2(1): 132-149, século 19. Petrópolis.

Trilla, J. (2008) A educação não-formal. In Arantes, V. (Org.). Educação formal e não formal: pontos e contrapontos. São Paulo: Summus.

Vidal, DG. (1999) Por uma pedagogia do olhar: os museus escolares no fim do século XIX. In: Vidal, DG. & Souza, MCCS. (Org.) A memória e a sombra: A escola brasileira entre o Império e a República. Belo Horizonte: Autêntica.

Waeny, MFC. & Azevedo, MLB. (2009) A psicologia escolar e sua memória. Disponível em http://www.crpsp.org.br/memoria/educacional. Acesso: 30/04/2020.

Werneck, CL. (1936) O Ensino da História Natural na Escola Secundária. Arquivos do Instituto de Educação, 1(2):161-169, Rio de Janeiro.




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i7.3989

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com