Active methodologies in medicine courses: an integrative review

Francisco Ricardo Nascimento Freitas, Antônio Tiago da Silva Souza, Natan Araújo de Carvalho, José Ivo dos Santos Pedrosa

Abstract


The introduction of active teaching methodologies in the medical course was carried out with the aim of promoting the training of a humanized, interprofessional and general professional as one who has critical-reflective thinking and the ability to deal with more support with problem situations. The objective was to search the literature for studies that addressed the use of active methodologies in medical courses. Through electronic databases Google Scholar and Web of Science and in the Periodicals Portal of the Coordination for the Improvement of Higher Education Personnel (CAPES), the combinations of keywords were sought: Active Methodologies, Medicine, Teaching. 10 articles that met the studied theme were carefully analyzed, presenting as a result mostly positive aspects in the use of active methodologies, but still with aspects to improve according to the students, aiming to end paradigms rooted by the traditional method, so that there is total application of the concepts that this method brings. It is concluded that the current gradual scenario of changes between traditional methodologies for active methodologies continues to become in the future the only one to be used by medical courses.


Keywords


Active methodologies; Medicine, Teaching.

References


Alegrance, P.; Segato, G. F., & Prevedello, A. S. (2017). Metodologia ativa na graduação médica: a visão dos discentes da saúde segundo a literatura. Rev. Fac. Educ., 28(2), 99-112.

Carneiro, L. A., Porto, C. C., Duarte, S. B. R., Chaveiro, N., & Barbosa, M. A. (2010). O ensino da ética nos cursos de graduação da área de saúde. Revista Brasileira de Educação Médica, 34(3), 412-421.

Faraco, R. L. P. S., Almeida, A. C. V., Mourão, L. C., Leite, I. C. M., Amorim, S. M, & Oliveira, M. A. (2020). Metodologias ativas no mestrado profissional em ensino na saúde: ampliando os espaços de construção do conhecimento. Research, Society and Development, 9(6), e48963469.

Gil, A.C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisas (4. ed.) São Paulo: Atlas.

Gomes, M. P. C., Ribeiro, V. M. B., Monteiro, D. M., Leher, E. M. T., & Louzada, R. C. R. (2010). O uso de metodologias ativas no ensino de graduação nas ciências sociais e da saúde: avaliação dos estudantes. Ciência & Educação (Bauru), 16(1), 181-198.

Gonçalves, S. R. & Neves, M. G. C. (2015). Avaliação formativa: vivências em metodologia ativa de ensino aprendizagem na visão docente e discente. Com. Ciências Saúde, 26(3/4), 105–114.

Marconi, M. A., & Lakatos, E. M (2011). Metodologia do trabalho científico: procedimentos básicos, pesquisa bibliográfica, projeto e relatório, publicações e trabalhos científicos (7a ed.). São Paulo: Atlas.

Meireles, M. A. C., Fernandes, C. C. P., & Silva, L. S. (2019). Novas Diretrizes Curriculares Nacionais e a Formação Médica: Expectativas dos Discentes do Primeiro Ano do Curso de Medicina de uma Instituição de Ensino Superior. Revista Brasileira de Educação Médica, 43(2), 67-78.

Melo, E. A. S., Matos Júnior, A., Barbosa, G. R., Sampaio, I. M., Santos, L. C. M., Cavalcanti, R. J. F., Silva, A. L., Nery, J. S., Lopes, M. R., Santana, M. A. D., & Fonsêca, D. V. (2018). Concepção de discentes acerca das metodologias de ensino adotadas pelas escolas médicas. Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco, 8(5), 129-141.

Mitre, S. M., Siqueira-Batista, R., Girardi-de-Mendonça, J. M., Morais-Pinto, N. M., Meirelles, C. A. B., Pinto-Porto, C., Moreira, T., & Hoffmann, L. M. A. (2008). Metodologias ativas de ensino-aprendizagem na formação profissional em saúde: debates atuais. Ciência & Saúde Coletiva, 13(Suppl. 2), 2133-2144.

Moreira, M. B.; Manfroi, W. (2011). O papel da aprendizagem específica em problemas nas mudanças no ensino médico no Brasil. Pesquisa Clínica e Biomédica, 31(4), 477-481.

Nogueira, M. I. (2009). As mudanças na educação médica brasileira em perspectiva: reflexões sobre a emergência de um novo estilo de pensamento. Revista Brasileira de Educação Médica, 33(2), 262-270.

Paiva, M. R. F.; Parente, J. R. F.; Brandão, I. R., & Queiroz A. H. B. (2016). Metodologias ativas de ensino-aprendizagem: revisão integrativa. Sanare, Sobral, 15(2), 145-153.

Plantier, A. P., Costa, I. V., & Garcia, M. B. O. (2020). Percepção do docente e discente sobre o uso de metodologias ativas de aprendizagem no ensino médico na Universidade São Francisco. In: Toledo, M. M. Ações de saúde e geração de conhecimento nas ciências médicas (pp. 199-210). Ponta Grossa: Atena.

Prevedello, A. S., Segato, G. F., & Emerick, L. B. B. R. (2017). Metodologias de ensino nas escolas de medicina e a formação médica atual. Revista Educação, Cultura e Sociedade, 7(2), 566-577.

Rodrigues, S. G., & Neves, M. G. C. (2015). Avaliação formativa: vivências em metodologia ativa de ensino aprendizagem na visão docente e discente. Com. Ciências Saúde. 26(3/4), 105-114.

Quintanilha, L. F., Costa, G. N., & Coutinho, M. R. (2018). Medical student perceptions about active methodologies in the study of physiology in medical schools in Salvador, Brazil. Adv Physiol Educ, 42 (4): 693-696.




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i7.3922

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com