Os anos 1960, a expansão dos movimentos sociais no Brasil e as iniciativas de combate ao analfabetismo no Rio Grande do Norte

Aliny Dayany Pereira de Medeiros Pranto

Resumo


O objetivo deste trabalho é analisar o que possibilitou o desenvolvimento de iniciativas para o combate ao analfabetismo no Rio Grande do Norte, com ênfase nos movimentos de educação popular promovidos durante a década de 1960. Esta discussão não se restringe apenas aos fatores locais, mas dialoga com o contexto nacional e internacional, reconstruindo o cenário da educação popular no RN, durante os anos 1960. Para tanto, fizemos uso de um processo de revisão bibliográfica, utilizando autores clássicos na história da educação, como Vanilda Paiva e Dermeval Saviani, além de outros que produziram obras de história e memória sobre movimentos de educação popular locais, como Moacyr de Góes e José Willington Germano. Além destes autores, revisamos outros trabalhos acadêmicos que abordam a temática da educação popular no RN. Pudemos perceber que a educação popular no RN seguiu o impulso do pensamento voltado ao nacional-desenvolvimentismo, esteve diretamente relacionada à expansão dos movimentos sociais e ao avanço de governos populares. Além disso, havia também a influência direta de grupos ligados à Igreja Católica. A junção desses fatores possibilitou o surgimento de movimentos de educação popular voltados a combater o analfabetismo. Dentre vários movimentos, destacamos a atuação do Centro Popular de Cultura (CPC) da UNE, do Movimento de Educação de Base (MEB) ligado à Igreja Católica, do Movimento de Cultura Popular do Recife (MCP), do Sistema Paulo Freire, das 40h de Angicos, da Fundação Campanha Popular de Educação da Paraíba (CEPLAR) e da Campanha “De pé no chão também se aprende a ler”.


Palavras-chave


História; Memória; Movimentos de educação popular.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, Maria das Graças. Movimentos de educação popular no Rio Grande do Norte e projeto BB-Educar. In: STAMATTO, Maria Inês S. (org.) Recortes: momentos da educação norte-riograndense. Natal: Editora da UFRN, 1996.

CARVALHO, Maria Elizete Guimarães. Memórias da campanha “De pé no chão também se aprende a ler”: 1961-1964 (o testemunho dos participantes). Tese (Doutorado em Educação). UFRN, 2000.

COELHO, Germano. MCP. História do Movimento de Cultura Popular. Recife: Ed. do autor, 2012.

GÓES, Moacyr. De pé no chão também se aprende a ler (1961-1964), uma escola democrática. Natal: Palumbo, 3 ed., 2010.

GOMES, Rodrigo L. R. EDUCAÇÃO POPULAR E CULTURA POPULAR NO BRASIL desenvolvimento capitalista, lutas sociais e “ampliação” do Estado (1945-1964). Tese (Doutorado em Educação). UFF, 2014.

HOBSBAWN, Eric. Era dos extemos: o breve século XX: 1914 – 1991. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

MANACORDA, Mario A. História da educação, da antiguidade aos nossos dias. São Paulo: Editora Cortez, 13ªed, 2010.

MEB. Disponível em: http://www.meb.org.br/home/. Acesso em 10 dez 2017.

PAIVA, Vanilda. História da Educação Popular no Brasil: educação popular e educação de adultos. São Paulo: Edições Loyola, 2015.

SAVIANI, Dermeval. História das ideias pedagógicas no Brasil. São Paulo: Autores Associados, 2013.




DOI: http://dx.doi.org/10.17648/rsd-v7i9.387

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional