Partnership between a private university and a company: a study case

Eliza Catarina Bezerra Cunha, Mário Franco

Abstract


This paper aims to understand which are the real advantages that a private University gained (acquired) when established a partnership with an entreprise and vice versa , giving start to a project entitled Pre-Consultants UnP -Sebrae / RN. Through this study we sought to understand how this partnership was advantageous for both parties, besides analyzing motivators and trust factors in the partnership. The research method used was the case study. Two semi-structured interviews were applied to both organizations and submitted to a content analysis technique. The results shows that organizational learning, knowledge transfer and the desire to form more qualified professionals in the Entrepreneurship field were great advantages acquired for both sides.


Keywords


Competitive advantages; Partnership; Learning.

References


Baldini, J. P., & Borgonhoni, P. (2008). A relação universidade-empresa no Brasil: surgimento e tipologias. Caderno de Administração, 15(2), 29-38.

Botellho, G. K. N., Oliveira, E. G., & Barbosa, L. C. (2011). Identificação de oportunidades em redes de cooperação e redes sociais entre empresas. Anais do Encontro Científico de Administração, Economia e Contabilidade, 1(1).

Cardenas, L. Q.(2007). A formação e o desenvolvimento de arranjos cooperativas sob a ótica da imersão social e da economia dos custos de transação:um estudo de caso na coopercam e na unipesca. Dissertação de mestrado em administração- Programa de Pós graduação em Administração, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal.

Cardenas, L.Q., e Lopes, F. D. A. (2006). A formação de alianças estratégicas uma análise teórica a partir da teoria da dependência de recursos e da teoria dos custos de transação.Cadernos Ebap. São Paulo, v.IV, n. 2.

Cruz, É. M. K., & Segatto, A. P. (2009). Processos de Comunicação em Cooperações Tecnológicas Universidade Universidade-Empresa: Estudos de Caso em Universidades Empresa: Estudos de Caso em Universidades Federais do Paraná Federais do Paraná.

de Vasconcelos, M. C. R. L., & Fereira, M. A. T. (2007). A contribuição da cooperação universidade/empresa para o conhecimento tecnológico da indústria. Perspectivas em ciência da informação, 5(2).

Di Guardo, M. C., & Harrigan, K. R. (2012). Mapping research on strategic alliances and innovation: a co-citation analysis. The Journal of Technology Transfer, 37(6), 789-811.

Dyer, J. H., & Singh, H. (1998). The relational view: Cooperative strategy and sources of interorganizational competitive advantage. Academy of management review, 23(4), 660-679.

Franco, M. J. B. (2007). Tipologia de processos de cooperação empresarial: uma investigação empírica sobre o caso português. Revista de Administração Contemporânea, 11(3), 149-176.

Granovetter M. The strength of weak ties. Amer. J. Sociology (1973) 78:1360–1380

Grant RM, Baden-Fuller C. 2004. A knowledge accessing theory of strategic alliances. Journal of Management Studies 41: 61–84

Gulati, R., Wohlgezogen, F., & Zhelyazkov, P. (2012). The two facets of collaboration: Cooperation and coordination in strategic alliances. The Academy of Management Annals, 6(1), 531-583.

Hewitt-Dundas, N. (2013). The role of proximity in university-business cooperation for innovation. The Journal of Technology Transfer, 38(2), 93-115.

Hoffmann, W. H., & Schlosser, R. (2001). Success factors of strategic alliances in small and medium-sized enterprises—An empirical survey. Long range planning, 34(3), 357-381.

Ireland, R. D., Hitt, M. A., & Vaidyanath, D. (2002). Alliance management as a source of competitive advantage. Journal of management, 28(3), 413-446.

Isabella, L. A. (2002). Managing an alliance is nothing like business as usual. Organizational Dynamics, 31(1), 47-59.

Išoraitė, M. (2014). Importance of strategic alliances in company’s activity.

Jiang, X., & Li, Y. (2009). An empirical investigation of knowledge management and innovative performance: The case of alliances. Research Policy, 38(2), 358-368.

Kale, P., & Singh, H. (2009). Managing strategic alliances: What do we know now, and where do we go from here. Academy of management perspectives,23(3), 45-62.

Lavie, D. (2006). The competitive advantage of interconnected firms: An extension of the resource-based view. Academy of management review,31(3), 638-658.

Marcovitch, J. (1999). A cooperação da universidade moderna com o setor empresarial. Revista de Administra&ccdeil; ão da Universidade de São Paulo, 34(4).

Matei, A. P., Echeveste, M. E., Ten Caten, C. S., & Zouain, R. N. A. (2012). Avaliação da qualidade demandada e diretrizes de melhoria no processo de interação Universidade-Empresa. Produção. Porto Alegre, 22(1), 27-42.

Mozzato, A. R., & Gollo, S. S. (2011). Redes de cooperação como vantagem competitiva: estudo de caso de uma rede de supermercados no Rio Grande do Sul. Redes, 16(2), 227-252.

Nassif, V. M. J., Hanashiro, D. M. M., & Torres, R. R. (2010). Fatores que influenciam na percepção das competências para o exercício da docência.Revista Brasileira de Educação, 15(44), 364-379.

Pesämaa, O., Pieper, T., da Silva, R. V., Black, W. C., & Hair, J. F. (2013). Trust and reciprocity in building inter-personal and inter-organizational commitment in small business co-operatives. Journal of Co-operative Organization and Management, 1(2), 81-92.

Plonski, G. A. (1999). Cooperação universidade-empresa: um desafio gerencial complexo. Revista de Administra&ccdeil; ão da Universidade de São Paulo, 34(4).

Porto, G. S. (2004). Características do processo decisório na cooperação empresa-universidade. Revista de Administração Contemporânea, 8(3), 29-52.

Powell, W. W. (1987). HYBRID ORGANIZATIONAL ARRANGEMENTS: NEW FORM OR TRANSITIONA. California management review, 30(1), 67.

Rodrigues, S. B., & Guimarães, R. (1999). Formação de alianças estratégicas em países emergentes: o caso Brasil-China. Competitividade, alianças estratégicas e gerência internacional. São Paulo: Atlas, 183-205.

Segatto-Mendes, A. P., & Mendes, N. (2006). Cooperação tecnológica universidade-empresa para eficiência energética: um estudo de caso.Revista de Administração Contemporânea [Edição Especial], 53-75.

Teixeira, E. B., Vitcel, M. S., & Beber, M. C. (2007). Cooperação estratégica, redes de cooperação e desenvolvimento regional: o caso Unijuí/Sedai.Desenvolvimento em Questão, 5(10), 187-210.

Vale, G. M. V., & Lopes, H. E. G. (2010). Cooperação e alianças: perspectivas teóricas e suas articulações no contexto do pensamento estratégico. RAC-Revista de Administração Contemporânea, 14(4), 722-737.

Vasconcelos, F. C., & Cyrino, Á. B. (2000). Vantagem Competitiva: os modelos teóricos atuais e. RAE, 40(4), 21.

Verschoore, J. R., & Balestrin, A. (2008). Ganhos competitivos das empresas em redes de cooperação. Revista de Administração USP-Eletrônica, 1(1), 1-21.

Zaheer, A., Gulati, R., & Nohria, N. (2000). Strategic networks. Strategic management journal, 21(3), 203.




DOI: http://dx.doi.org/10.17648/rsd-v3i1.38

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com