Contributions of Nursing Preceptorship in the context of Primary Health Care from the perspective of active methodologies

Maristela dos Santos Cordeiro Magalhães, Âdrea Cardoso de Sousa, Gabriela Moiçó Azevedo

Abstract


Objective: to analyze the activities of nursing preceptorship in the context of Primary Health Care from the perspective of active methodologies. Methodology: a descriptive study with a qualitative approach, carried out with 11 nurse preceptors who work in Primary Health Care units, in which semi-structured interviews were adopted for data production and thematic analysis was applied. Results: thematic axes were produced that enabled the formulation of three categories: Nursing preceptorship and the adoption of active methodologies in Primary Health Care; activities considered as active methodologies; unraveling the difficulties in adopting the active methodology in Nursing preceptorship. Discussion: it was found that the adoption of active methodologies by preceptors in practice scenarios contributes to a differentiated and qualified training of professionals to work in the Primary Health Care scenario. Active methodologies are being widely adopted by preceptors; and among the strategies most used by preceptors, are the case study, problem-based learning, role play and one-minute preceptorship. Some obstacles were presented, such as work overload, lack of knowledge about active methodologies and little knowledge of management and other professionals in the work of preceptors. Conclusion: the adoption of active methodologies by nurses who exercise the role of preceptor is of great importance in active learning, becoming essential to stimulate learning, thus favoring the formation of critical and reflective professionals.

Keywords


Preceptorship; Nursing; Primary Health Care; Active Methodologies.

References


Abrahão, A. L. & Merhy, E.E. (2014). Formação em saúde e micropolítica: sobre conceitos-ferramentas na prática de ensinar. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, 18(49), 313-324.

Antunes, J.M., Daher, D.V., & Ferrari, M.F.M. (2017). Preceptoria como lócus de aprendizagem e de coprodução de conhecimento. Revista de Enfermagem UFPE, 11(10), 3741-8

Bardin, L. (2016) Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70.

Berbel, N.A.N, (2011). As metodologias ativas e a promoção da autonomia de estudantes. Semina: Ciências Sociais e Humanas, 32(1), 25-40.

Botti, S.H.O. & Rego, S. (2008). Preceptor, supervisor, tutor e mentor: quais são seus papéis? Revista Brasileira de Educação Médica, 32(3), 363-373.

Brasil. (2010). Portaria Interministerial Nº 421, de 3 de março de 2010. Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde (PET Saúde). Recuperado em 12 de março de 2020. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2010/pri0421_03_03_2010.html

Brasil, (2005). Portaria Nº 1.111, de 05 de Julho de 2005. Fixa norma para a implementação e a execução do Programa de Bolsas para a Educação pelo Trabalho. Recuperado em 12 de março de 2020. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2005/prt1111_05_07_2005.html

Camargo, F. Daros, T. (2018). A sala de aula inovadora. Porto Alegre: Penso.

Ceccim, Ricardo Burg. (2018). Conexões e fronteiras da interprofissionalidade: forma e formação. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, 22 (Suppl. 2), 1739-1749. https://doi.org/10.1590/1807-57622018.0477

Chemello, D., Manfrói, W.C., & Machado, C.L.B. (2009). O papel do preceptor no ensino médico e o modelo preceptoria em um minuto. Revista Brasileira de Educação Médica, 33(4), 664-669.

Freire, Paulo (2019). Pedagogia da Autonomia: Saberes necessários à prática educativa. 59ªed – Rio de Janeiro / São Paulo: Paz e Terra.

Freitas, C.M., Freitas, C.A.S.L., Parente, J.R.F., Vasconcelos, M.I.O., Lima, G., Mesquita, K.O.de., Martins, S.C. & Mendes, J.D.R. (2015). Uso de metodologias ativas de aprendizagem para a educação na saúde: análise da produção científica. Trabalho, Educação e Saúde, 13(Supl. 2), 117-130.

Forte, E.C.N., Borges, A.M.F., Trombetta, A.P. & Martins, E.C. (2013). Programa de educação pelo trabalho para a saúde: análise das produções científicas. Revista de Saúde Pública de Santa Catarina, 6(3), 91-106.

Hernann, A.P., Lacerda, M.R., Maftum, M.A., Bernardino, E. & Mello, A.L.S.F. (2017). O processo de ensinar e aprender o cuidado domiciliar nos cursos de graduação em saúde. Revista Ciência& Saúde Coletiva, 22(7), 2383-2392.

Lima, P.A. de B. & Rozendo, C.A. (2015). Desafios e possibilidades no exercício da preceptoria do Pró-PET-Saúde. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, 2015, 19(suppl 1), 779-91.

Lourdes, D.F. de., Gomes, A. & Carvalho, E.T.de. (2020). Intervenção pedagógica: um trabalho visando a qualidade no processo de ensino aprendizagem. Research, Society and

Development, 9(4), e58942840.

Merhy, E.E. (2002). Saúde: A Cartografia do Trabalho Vivo. São Paulo: Hucitec.

Merhy, E.E. & Franco, T.B. (2003). Por uma Composição Técnica do Trabalho em Saúde centrada no campo relacional e nas tecnologias leves. Apontando mudanças para os modelos tecnoassistenciais. Saúde em Debate, 27(65), 316-323.

Minayo, M.C.S., Costa, A.P. (2018). Fundamentos Teóricos das Técnicas de Investigação Qualitativa. Revista Lusófona de Educação, (40),139-153.

Organização Mundial da Saúde. (1978). Alma-Ata. In Conferência Internacional sobre Cuidados Primário de Saúde. (pp. 6-12). Alma-Ata: URSS.

Rocha, H.C. & Ribeiro, V.B. (2012). Curso de formação pedagógica para preceptores do internato médico. Revista Brasileira de Educação Médica, 36(3), 343-350.

Rodrigues, A.M.M., Freitas, C.H.A de., Guerreiro, M. das G. da S., & Jorge, M.S.B. (2014). Preceptoria na perspectiva da integralidade: conversando com enfermeiros. Revista Gaúcha de Enfermagem, 35(2), 106-112.

Santos, C.M.R.G. dos & Ferrari, M.A, (org.). (2017) Aprendizagem ativa: contextos e experiências em comunicação. Bauru: Universidade Estadual Paulista.

Santos, C.G. dos, Portugal, F.T. de A., Silva, M.A.B., Souza, A.C. de, & Abrahão, A.L. (2015). Formação em saúde e produção de vínculo: uma experiência PET-Saúde na rede de Niterói, RJ, Brasil. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, 19(Suppl.1),985-993.

Scarton, J., Claro, L.C., Paula, S.F. de., Perim, L.F., Ventura, J & Medeiros, S.P. (2020). Formação permanente: contribuições para a prática pedagógica do enfermeiro. Research, Society and Development, 9(3), e02932260

Souza, C., Iglesias, A., & Pazin-Filho, A. (2014). Estratégias inovadoras para métodos de ensino tradicionais – aspectos gerais. Medicina (Ribeirão Preto), 47(3), 284-292.

Vendruscolo, C., Silva, M. da, & Kleba, M. (2018). Integração ensino-serviço-comunidade na perspectiva da reorientação da formação em saúde. Revista Sustinere, 5(2), 245-259.

Welter, R.B., Foletto, D. da S. & Bortoluzzi, V.I. (2020). Metodologias ativas: uma possibilidade para o multiletramento dos estudantes. Research, Society and Development, 9(1), e106911664.




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i7.3681

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com