Application of the hierarchical analysis in the selection of lands for the installation of a solid waste sorting center in São Gonçalo do Rio Abaixo (Minas Gerais)

Anderson Chester Gomes Gonçalves, Janaina de Cássia Lopes Cordeiro, Tamíris Aparecida Félix Gonçalves Santos, Juni Cordeiro, Maria Auxiliadora Lage

Abstract


The management of solid waste comprises the stages of collection, storage, treatment, transportation and final disposal of these materials, aiming to ensure the preservation of the environment and public health. In this sense, this work aimed to identify areas for the implementation of a solid waste sorting center in the city of São Gonçalo do Rio Abaixo (MG), using as a support the Analytical Hierarchical Process (AHP) method, besides characterizing the generation and disposal of solid waste in the city. The methodology used was quali-quantitative, through documentary and field research, with satellite images and documents related to municipal legislation being analyzed, such as the master plan. It was noted that a projection involving the generation of solid waste between 2017 and 2028 indicates a growth of approximately 10% of these, thus, the useful life of the landfill in operation will not be enough. Regarding the selection of the area for the installation of a sorting center, it was found that the best alternative is area 3, located in Perobas, which, although not the largest and having nearby vegetation, has access to the road system and is not located. close to a water course, a criterion considered of most importance in this analysis. Finally, it is emphasized that the minimization involving the generation of waste and the proper treatment of these are items that contribute to the population's quality of life and the reduction of negative environmental impacts associated with the incorrect disposal of these materials.


Keywords


Multicriteria Analysis; Final destination; Environmental impacts; Recyclable waste; Recycling.

References


Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT. (2004). ABNT NBR 10004: Resíduos Sólidos - Classificação. Rio de Janeiro/RJ.

Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais - ABRELPE. (2017). Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil. Acesso em 05 de março de 2019 em http://www.abrelpe.org.br/panorama_apresentacao.cfm.

Barros, R. T. V. (2012). Elementos de Gestão de Resíduos Sólidos. Belo Horizonte: Tessitura.

Botelho, J. M. & Cruz, V. A. G. (2013). Metodologia Científica. Pearson Education do Brasil.

Brasil. Lei nº 12.305 de 02 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília, DF, de 02 de agosto de 2010. Acesso em 18 de março de 2019 em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/ l12305.htm>.

Campos, V. R. (2011). Modelo de apoio à decisão multicritério para priorização de projetos emsaneamento. Tese de Doutorado em Economia, Organizações e Gestão do Conhecimento. Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo. São Paulo.

Casarin, D. S. (2013). Diagnóstico dos resíduos sólidos urbanos no município de MorroRedondo/RS. Trabalho de conclusão de curso em Bacharel em Engenharia Ambiental e Sanitária. Universidade Federal de Pelotas. Pelotas/RS.

Costa, H. G. (2002). Introdução ao método de análise Hierárquica, Análise Multicritério no Auxílio à decisão. Acesso em 20 de abril de 2019 em http://www.din.uem.br/sbpo/sbpo2004/pdf/arq0279.pdf.

Fundação Estadual do Meio Ambiente – FEAM. (2008). Cartilha de Orientações Técnicas, para atendimento a Deliberação Normativa 118/2008, do Conselho Estadual dePolítica Ambiental. 3ª edição. Belo Horizonte/MG, 2008.

Fundação Nacional de Saúde - FUNASA. (2006). Manual de Saneamento. 4ª ed. Brasília.

Gerhardt, T. E & Silveira, D. T. (2009). Métodos de Pesquisa. Editora da UFRGS, Porto Alegre.

Gil, A. C. (2002). Como Elaborar projetos de Pesquisa. 4ª Edição. Editora Atlas S. A., São Paulo.

Google. Google Earth. (2019). Versão 7.1.5.1557. 2017. Nota (Município de São Gonçalo do Rio Abaixo - MG). Acesso em 16 de setembro de 2019 em http://www.google.com/earth/

download/ge/agree.html.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). (2010). Carta Internacional ao Milionésimo. Acesso em 16 de setembro de 209 em http://mapas.ibge.gov.br/interativos/

servicos/wms-do-arcgis.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). (2018). Estimativas de população em 2018. Acesso em 15 de março de 2019 em https://cidades.ibge.gov.br/brasil/mg/sao-goncalo-do-rio-abaixo/panorama.

Jacobi. P. (2006). Gestão compartilhada dos resíduos sólidos no Brasil. São Paulo: Annablume.

Marconi, M. A & Lakatos, E. M. (2003). Fundamentos da Metodologia Científica. 5ª ed. São Paulo: Atlas.

Minas Gerais. Deliberação Normativa nº 118, de 27 de junho de 2008. Altera os artigos 2º, 3º e 4º da Deliberação Normativa 52/2001, estabelece novas diretrizes para adequação da disposição final de resíduos sólidos urbanos no Estado, e dá outras providências. Belo Horizonte: Diário Executivo.

Ministério do Meio Ambiente. (2019). Política Nacional de Resíduos Sólidos. Acesso em 05 de março de 2019 em http://www.mma.gov.br/pol%C3%ADtica-de-res%C3%ADduos-s%C3%B3lidos.

Naruo, M. K. (2003). O estudo do consórcio entre municípios de pequeno porte para disposição final de resíduos sólidos urbanos utilizando Sistema de Informações Geográficas. Dissertação de Mestrado em Engenharia Civil com ênfase em transportes. USP- Escola de Engenharia de São Carlos, São Carlos, SP.

Prefeitura Municipal de São Gonçalo do Rio Abaixo. (2019). Dados demográficos. Acesso em 08 de março de 2019 em http://www.saogoncalo.mg.gov.br/detalhe-da materia/info/historia/6526.

Saaty, T. (1990). How to make a decision: The Analytic Hierarchy Process. North-Holland, 26 p. Acesso em 12 de junho de 2019 em http://vpp.sbuf.se/Public/Documents/ProjectDocuments/06f167ef-b243-48ed-8c45-f7466b3136eb/WebPublishings/How%20to%20make%20decision%20AHP.pdf.

Santos, V. F. M. (2017). Estatística descritiva básica e centralidade. Acesso em 04 de novembro de 2019 em https://www.fm2s.com.br/estatistica-descritiva-basica-e-centralidade.

SHS - Consultoria e Projetos de Engenharia Ltda. (2017). Prognóstico contemplando objetivos e metas por componente do saneamento e alternativas institucionais para a gestão dos serviços de saneamento básico no município. São Gonçalo do Rio Abaixo, MG.

Vergara, S. C. (2003). Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 2ª ed. São Paulo: Atlas.

Zanta, V. M.; Marinho, M. J. M. Do R.; Lange, L. C.; Pessin, N. (2006). Resíduos Sólidos, Saúde e Meio Ambiente: Impactos associados aos lixiviados de aterro sanitário. In: Castilhos Junior, Armando B. (Coord.). Gerenciamento de resíduos sólidos urbanos com ênfase na proteção de corpos d’água: prevenção, geração e tratamento de lixiviados de aterros sanitários. Rio de Janeiro: ABES, 2006.




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i6.3541

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com