Tuberculosis in São Luís-Maranhão, Brazil: analysis of the epidemiological behavior between 2010 and 2018

Sâmia Moreira de Andrade, Maurício Almeida Cunha, Ana Caroline Silva Santos, Francisca das Chagas Araújo, Roseane Mara Cardoso Lima Verde, Leonardo Ferreira Soares, Evaldo Hipólito de Oliveira

Abstract


The objective of this study was to analyze the epidemiological profile of tuberculosis cases between 2010 and 2018. It is an ecological study, of a descriptive nature and with a quantitative approach, using secondary data, in which an epidemiological research of cases of TB in the municipality of São Luís and in the state of Maranhão from 2010 to 2018. Data were collected on the DATASUS website, from SINAN. The variables analyzed were: year of diagnosis, notification state and municipality, age group, sex and education. An increasing trend was identified, with 2018 (n = 1,288) being the most incident year, the highest number of TB cases was reported in the state of Maranhão, followed by the years 2017 (n = 1,127) and 2016 (n = 1,092). Regarding the level of education, there is a predominance (19.1%) in people between the 5th and 8th grades of elementary school, followed by those between the 1st and 4th grades of Elementary School. With regard to TB cases by sex, the largest number of cases occurred in males (n = 6,133). Regarding the age group, a higher prevalence was observed between 20-39 years (n = 4,495), followed by the 40-59 age group (n = 2,689).


Keywords


Tuberculosis; Epidemiology; Public Health.

References


Augusto, C. J. et al. (2018). Comparative study of RFLP-IS6110 and MIRU-VNTR from Mycobacterium tuberculosis isolated in the state of Minas Gerais, Brazil.Brazilian Journal of Microbiology, 49(3):641–646.

Barreira, D. (2018). Os desafios para a eliminação da tuberculose no Brasil. Epidemiologia e Serviços de Saúde,27:e00100009.

Cavalcante, O. F. E. & Silva, D. M. G. V. (2013). Perfil de pessoas acometidas por tuberculose. REV. RENE(Revista da Rede de Enfermagem do Nordeste), 14(4);720-9.

Ceccon, R. F. et al. Mortalidade por tuberculose nas capitais brasileiras, 2008-2010. Epidemiologia e Serviços de Saúde, 26:349-358, 2017.

Furlan, M. C. R.; Gonzales, R. I. C. & Marcon, S. S. (2015). Desempenho dos serviços de controle da tuberculose em municípios do Paraná: enfoque na família. Revista Gaúcha de Enfermagem, 36:102-110.

Grosch, C. A.; Nascimento, E. L.; Nascimento, K. S.; Diniz, R. M.; Pacheco, W. B. & SAUAIA, B. A. (2015). Prevalência da tuberculose no Maranhão. Rev. Investig. Biomed., São Luís, 7:28-34.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2019). Panorama. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ma/sao-luis/panorama. Acesso em: 16 abril 2020.

Longhi, R. M. P. (2013). Fatores de risco associados ao desenvolvimento de tuberculose na população urbana do município de Dourados – MS. Dissertação apresentada com vistas à obtenção do título de Mestre Modalidade Profissional em Saúde Pública. Fundação Osvaldo Cruz – FIOCRUZ. Rio de Janeiro-RJ.

Marques, C. da C. et al. (2019). Casos de tuberculose coinfectados por HIV em um estado do nordeste brasileiro. Enfermería Actual de Costa Rica, n. 36:62-76.

Mendes, M. R. R. S. et al. (2014). Situação sóciodemográfica da tuberculose multirresistente no estado do piauí, 2001 – 2012. R. Interd., 7(1): 8-16.

Moraes, M. F. V.; Corrêa, R. G. C. F.; Coutinho, N. P. S.; Caldas, A. J. M.; Silva, T. C.; Santos, K. C. B.; Soares, A. M. M.; Lima, M. E. S. & Aquino, D. M. C. (2017). Perfil epidemiológico de casos de tuberculose em um município prioritário no estado do Maranhão. Rev Pesq Saúde, 18(3):147-150.

Moraes, M. G. & Gardenghi, G. (2015). Perfil epidemiológico de indivíduos com tuberculose pulmonar no município de Rondonópolis – MT. Revista Eletrônica Saúde e Ciência, 5(2):7-24.

Oliveira, L. B. O.; Costar, C. R. B.; Queiroz, A. C. F. L. N.; Araújo, T. M. E.; Sousa, K. A. A. S. & Reis, R. K. (2018). Análise epidemiológica da coinfecção tuberculose/HIV. Cogitare Enferm, 23(1): 1-8.

Pereira, J. da C. et al. (2015). Perfil e seguimento dos pacientes com tuberculose em município prioritário no Brasil. Revista de Saúde Pública, 49: 6.

Rabahi, M. F. et al. (2017). Tratamento da tuberculose. Jornal Brasileiro de Pneumologia, 43(6): 472-486.

Organização Mundial da Saúde. Relatório global sobre tuberculose (2018). Genebra (Suíça): - ção; 2018. Licença: CC BY-NC-SA 3.0 IGO. Disponível em: https://apps.who.int/%C3%ADris/fluxo%20de%20bits/al%C3%A7a/10665/274453/9789241565646-eng.pdf?%20ua51. Acessado 17 de janeiro de 2020.

Santos, D. A. S.; Marques, A. L. A.; Olinda, R. A. & Goulart, L. S. (2019). Perfil epidemiológico da tuberculose em um município do sul do estado de Mato Grosso. R. Interd. 12(2): 25-33.

Silva, W. A. et al. 2017. Perfil epidemiológico dos casos notificados de tuberculose no Piauí nos anos de 2010 a 2014. Revista Interdisciplinar, 10(1): 110-117.

Souza, M. S. P. L. et al. (2015). Fatores associados ao acesso geográfico aos serviços de saúde por pessoas com tuberculose em três capitais do Nordeste brasileiro. Cadernos de Saúde Pública, 31: 111-120.

Souza, C. D. F.; Paiva, J. P. S.; Silva, L. F.; Leal, T. C. & Magalhães, M. A. F. M. (2019). Tendência da mortalidade por tuberculose no Brasil (1990-2015): análise por pontos de inflexão. J Bras Pneumol. 45(2): e20180393.

Zagmignan, A.; Alves, M. S.; Sousa, E. M.; Neto, L. G. L.; Sabbadinni, P. S. & Monteiro, S. G. (2014). Caracterização epidemiológica da tuberculose pulmonar no Estado do Maranhão, entre o período de 2008 a 2014. Rev. Investig. Bioméd, 6: 6-13.




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i6.3514

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com