Palm: origin, nutrition and metabolism

Larisse Cadeira Brandão, Franciscleudo Bezerra da Costa, Ana Marinho do Nascimento, Álvaro Gustavo Ferreira da Silva, Wellington Souto Ribeiro, Giuliana Naiara Barros Sales, Josilene Linhares de Araújo, Sabrina Vieira de Sousa, Bruna Rocha da Silva, Ayanne Basilio Malaquias, Marcio Santos da Silva, Thamirys de Luna Souza

Abstract


The palm had its origin in North and South America and has great potential for semi-arid regions, widely cultivated in Northeast Brazil, for tolerating long periods of drought. Because it is a cactacea its physiology provides greater efficiency in the use of water. The stem is succulent with an estimated relevant nutritional value to be used in the human diet. The objective was to discuss the most consumed palm genera, their bioactive compounds and information on their metabolism. A bibliographic survey was carried out on research platforms where 57 articles were selected to be used as a database. The content of bioactive compounds, the aroma, the color, the texture and the taste can be changed according to the enzymatic activity, mainly the phenylalanine ammonia lyase.


Keywords


Palm cladodes; Bioactive compounds; Phenylalanine ammonia lyase.

References


Acevedo, J. C.; Clavijo, J. Investigación agronómica em Colombia. In: CLAVIJO, J. (Coord.). Tiametoxam: um nuevo conceptoem vigor e produtividad. Bogotá: Syngenta, 2008. p. 34-92.

Almeida, H. O. et al. Enzima marcadoras de indução de resistência diferencialmente reguladas em soja resistente e suscetível à ferrugem-asiática-da-soja. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.47, n.2, p.163-172,2012.

Araujo, A. M.; Interação entre adubação fosfatada e espaçamento no cultivo da palma forrageira (Opuntia fícus-indica (L.) Mill) no estado da Paraíba. 2009. 67 f. (Dissertação de Mestrado em Zootecnia – Sistemas Agrosilvipastoris do Semi-Árido).

Arba, M. et al. Biology, flowering and fruiting of the cactus Opuntia spp.: a review and some observations on three varieties in Morocco. Brazilian Archives of Biology and Technology, v. 60, 2017.

Balogh, T. S. et al. Proteção à radiação ultravioleta: recursos disponíveis na atualidade em fotoproteção. Anais brasileiros de Dermatologia, v. 86, n. 4, p. 732-742, 2011.

Barros, F. C. et al. Indução de resistência em plantas à fitopatógenos. Bioscience Journal, v. 26, n. 2. 2010.

Batista, P. F. Qualidade, compostos bioativos e atividade antioxidante em frutas produzidas no Submédio do Vale do São Francisco. 2010. 162p. Dissertação (Mestrado em Agronomia: Fitotecnia) – Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), Mossoró-RN, 2010.

Batista, R. D. S. R. et al. Bebida mista à base de goiaba (Psidium guajava L.) e palma forrageira (Opuntia fícus-indica): desenvolvimento e aceitabilidade. Arch Latinoam Nutr, v. 60, n. 3, p. 285-90, 2010.

Borsatti, F. C. et al. Indução de resistência e qualidade pós-colheita de amora-preta tratada com ácido salicílico. Revista Brasileira de Fruticultura Jaboticabal, v. 37, n.2, p.318-326, 2015.

Brasil, F. I. Enzimas: Natureza e ação nos alimentos. Revista-fi, v. 9, n. 03, p. 2015, 2011.

Canella, D. S. et al. Consumo de hortaliças e sua relação com os alimentos ultraprocessados no Brasil. Revista de Saúde Pública, v. 52, p. 50, 2018.

Cortez, D. V.; De castro, H. F.; Andrade, G. S. S. Potencial catalítico de lipases ligadas ao micélio de fungos filamentosos em processos de biotransformação. Química Nova, v. 40, n. 1, p. 85-96, 2017.

Costa, G. F da; Marenco, R. A. Fotossíntese, condutância estomática e potencial hídrico foliar em árvores jovens de andiroba (Carapa guianensis). Acta Amazonica, v. 37, n. 2, p. 229-234, 2007.

Costa, T.; Jorge, N. Compostos bioativos benéficos presentes em castanhas e nozes. Journal of Health Sciences, v. 13, n. 3, 2015.

Cruz, F. J. R. Respostas bioquímicas e fisiológicas de plantas jovens de cana-de-açúcar sob diferentes concentrações de NaCl no solo. Tese apresentada à Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias - Unesp, Campus Jaboticabal, 2015.

Da Silva, M. S. et al. Qualitative Assessment of Early Palm Cladodes of Opuntia tuna L.(Mill) Grown with Organic Manures. Journal of Experimental Agriculture International, p. 1-14, 2018.

Del ré, P. V.; Jorge, N. Especiarias como antioxidantes naturais: aplicações em alimentos e implicação na saúde. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v. 14, n. 2, p. 389-399, 2012.

Dias, F. RF; Ferreira, V. F.; Cunha, A. C. Uma visão geral dos diferentes tipos de catálise em síntese orgânica. Revista Virtual de Química, v. 4, n. 6, p. 840-871, 2012.

Da Frota, Lopes, M. N. et al. Palma Forrageira na Alimentação Animal. Embrapa Meio-Norte-Documentos (INFOTECA-E), 2015.

Efraim, P; Alves, A. B; Jardim, D. C. P. Revisão: Polifenóis em cacau e derivados: teores, fatores de variação e efeitos na saúde. Brazilian Journal of Food Technology, v. 14, n. 3, p. 181-201, 2011.

Escalada, G. et al. Influencia de la zona de cultivo y procesamiento de la yerba mate sobre su contenido de polifenoles totales y capacidad antioxidante. Revista Ciência e Tecnologia, v. 13, n. 15, p. 66-74, 2011.

Farias, V. F. S. Avaliação do desenvolvimento, qualidade e capacidade antioxidante em brotos de palma (Opuntia sp.) para o consumo humano. 2013. 78 f. Dissertação (Mestrado em Sistemas Agroindustriais) –

Universidade Federal de Campina Grande, Pombal, 2013.

Fatibello-filho, O.; Vieira, I. C. Uso analítico de tecidos e de extratos brutos vegetais como fonte enzimática. Quim. Nova, Vol. 25, No. 3, 455-464, 2002.

Ferreira, T. S. et al. Substâncias fenólicas, flavonoides e capacidade antioxidante em erveiras sob diferentes coberturas do solo e sombreamentos. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v. 18, n. 2, p. 588-596, 2016.

França, B. K. et al. Peroxidação lipídica e obesidade: métodos para aferição do estresse oxidativo em obesos. GE jornal português de gastrenterologia, v. 20, n. 5, p. 199-206, 2013.

Galvão, T. H. B. et al. Physico-chemical Quality Changes of Young Cladodes of" Mexican Elephant Ear" Minimally Processed during Refrigerated Storage. Journal of Experimental Agriculture International, p. 1-9, 2018.

Galvão Júnior, J. G. B. et al. Palma forrageira na alimentação de ruminantes: cultivo e utilização. Acta Veterinaria Brasilica, v. 8, n. 2, p. 78-85, 2014.

Gašić, U. et al. Phenolic profile and antioxidant activity of Serbian polyfloral honeys. Food Chemistry, v. 145, p. 599-607, 2014.

Guimarães, S. O. et al. Projeções de Mudanças Climáticas sobre o Nordeste Brasileiro dos Modelos do CMIP5 e do CORDEX. Revista Brasileira de Meteorologia, v. 31, n. 3, p. 337-365, 2016.

Horst, M. A.; Lajolo, F. M. Biodisponibilidade de compostos bioativos de alimentos. In: COZZOLINO, S. M. F. Biodisponibilidade de nutrientes. 2. ed. São Paulo: Manole Ltda, 2007. Cap. 35. p. 697-716.

Jacques, A. C.; Pertuzatti, P. B.; Barcia, M. T.; Zambiazi, R. C.; Chim, J. F.; Estabilidade de compostos bioativos em polpa congelada de amora-preta (rubus fruticosus) cv. TUPY. Quim. Nova, Vol. 33, No. 8, 1720-1725, 2010.

Melo, E. A.; Maciel; M. I. S.; Lima, V. L. A. G.; Nascimento, R. J. Capacidade antioxidante de frutas. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas. Brazilian Journal of Pharmaceutical Sciences. vol. 44, n. 2, abr./jun., 2008.

Mondini, L. et al. Consumo de frutas e hortaliças por adultos em Ribeirão Preto, SP. Revista de Saúde Pública, v. 44, p. 686-694, 2010.

Nascimento, J. P.; Caracterização morfométrica e estimativa da produção de opuntia ficus-indica, MACHADO, I. S. Atividade de enzimas do metabolismo de compostos secundários comprometidos com o enraizamento “in vitro” de Eucalyptus grandis Hill ex Maiden. USP - São Paulo, 1993.

Março, P. H; Poppi, R. J; Scarmino, I. S. Procedimentos analíticos para identificação de antocianinas presentes em extratos naturais. Química Nova, v. 31, n. 5, p. 1218-1223, 2008.

Nelson, D. L.; Cox, M. M. Princípios de bioquímica de Lehninger. Porto Alegre: Artmed, 2011. 6. ed. Porto Alegre: Artmed, 2014.

Neves, A. L. A. et al. Plantio e uso da palma forrageira na alimentação de bovinos leiteiros no semiárido brasileiro. Embrapa Gado de Leite-Comunicado Técnico (INFOTECA-E), 7p. 2010.

Nunes, C. D. S. Usos e aplicações da palma forrageira como uma grande fonte de economia para o semiárido nordestino. Revista Verde, 6(1), 58-66. 2011.

Oliveira, Al. C. et al. Fontes vegetais naturais de antioxidantes. Química Nova, v. 32, n. 3, p. 689-702, 2009.

Oliveira, F. T. de.; Souto, J. S.; Silva, R. P. da.; Filho, F. C. de A.; Júnio, E. B. P.; Palma forrageira: adaptação e importância para os Ecossistemas áridos e semiáridos. Revista Verde (Mossoró – RN – Brasil) v.5, n.4, p. 27 - 37 outubro/dezembro de 2010.

Pereira, E. F. P.; LOPES, P. S. de Q. Palma-ouro verde do semiárido. João Pessoa-PB, 2011.

Pereira, E. M. et al. Physiology and Postharvest Quality of Palm Sprouts (Opuntia fícus-indica) Harvested at Different Times. Journal of Experimental Agriculture International, p. 1-8, 2018.

Pereira, E. M. et al. Empirical models in the description of prickly pear shoot (Nopal) drying kinetics. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 21, n. 11, p. 798-802, 2017.

Pereira, E. M. et al. Qualidade pós-colheita e processamento mínimo de brotos de palma Opuntia ficus-indica Mill. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, v. 8, n. 3, p. 229-234, 2013.

Peres, L. E. P. In: Metabolismo secundário. São Paulo: Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, 2004.

Picoli, A. A.; Faria, D. B.; Jomori M. L. L.; Kluger, R. A. Avaliação de biorreguladores no metabolismo secundário de beterrabas inteiras e minimamente processadas. Bragantia, Campinas, v. 69, n. 4, p. 983-988, 2010.

Pinto, M. S. T.; Ribeiro, J. M.; Oliveira, E. A. G.; O estudo de genes e proteínas de defesa em plantas. Revista Brasileira Bioci., Porto Alegre, v. 9, n. 2, p. 241-248, abr./jun. 2011.

Pinto, S. M.; Farias, V. F. S.; Da Costa, F. B. Avaliação dos aspectos fisico e quimicos de brotos de palma (Opuntia sp.) para o consumo humano. Journal of Biology & Pharmacy and Agricultural Management, v. 15, n. 1, 2018.

Queiroz, E. de R. Frações de Lichia: Caracterização química e avaliação de compostos bioativos. (Mestrado em agroquímica) UFLA – MG, 2012.

Ribeiro, N. D. et al. Composição de aminoácidos de cultivares de feijão e aplicações para o melhoramento

Rocha, J. E. S. Palma forrageira no Nordeste do Brasil: estado da arte. Embrapa Caprinos e Ovinos-Documentos (genético. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 42, n. 10, p. 1393-1399, 2007.INFOTECA-E), 2012.

Rodrigues das Dôres, R. G.; Análise morfológica e fitoquímica da fava d’anta (dimorphandra mollis Benth). (Doutorado em fitotecnia) – UFV – Viçosa – Brasil, 2007.

Rotilli, M. C. C. Respostas bioquímicas, físico-quimicas e micorbiológicas do maracujá amarelo durante armazenamento em atmosfera modificada e em diferentes temperaturas, Marechal Cândido Rondon, UNIOESTE, 2012. (Dissertação – Mestrado em agronomia).

Santana, D. A. Análise de compostos fenólicos e atividade antioxidante em cachaças baianas. 2016.

Silva, A. F.; Rabelo, M. F. R.; Enoque, M. M. Diversidade de angiospermas e espécies medicinais de uma área de Cerrado. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v. 17, n. 4, p. 1016-1030, 2015.

Silva, G. T. Contribuição para o conhecimento de espécies da família cactaceae: usos pela medicina popular e potencial terapêutico. 2014.

Silva, R. R.; Sampaio, E. V. S. B. Palmas forrageiras Opuntia fícus-indica e Nopalea cochenillifera: sistemas de produção e usos|. Revista Geama, v. 1, n. 2, p. 151-161, 2016.

Silva, S. A. S.; Biossíntese de produtos Naturais. UFAL - Maceió, 2009.

Silva, V. P. R. et al. Análise da pluviometria e dias chuvosos na região Nordeste do Brasil. Revista Brasileira de Engenharia Agricola e Ambiental-Agriambi, v. 15, n. 2, 2011.

Verruck, S; Prudencio, E. S; Da Silveira, S. M. Compostos bioativos com capacidade antioxidante e antimicrobiana em frutas. In: Revista do Congresso Sul Brasileiro de Engenharia de Alimentos. 2018.

Vieira, E. L. Apontamentos e práticas de fisiologia pós-colheita de frutos e hortaliças. Centro de Ciências Agrárias, Ambientais e Biológicas. UFRB. Bahia, 2019.

Zeraik, M. L.; Yariwake, J. H. Extração de β-caroteno de cenouras: uma proposta para disciplinas experimentais de química. Química Nova, v. 31, n. 5, p. 1259-1262, 2008.




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i6.3465

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com