Perception of the nursing team about pain in infants

Patrícia de Bitencout Liziardi, Aline Marcelino Ramos Toescher, Edison Luiz Devos Barlem, Giovana Calcagno Gomes, Eloisa da Fonseca Rodrigues, Alex Sandra Avila Minasi

Abstract


The present study aims to understand the nursing team's perception of pain in infants hospitalized in a pediatric unit. This is a qualitative, exploratory and descriptive study carried out with the nursing team of the Pediatrics Unit of a Public Hospital in the Extreme South of Brazil. Data collection was carried out between April and May 2017 through semi-structured interviews recorded in audio, analyzed through textual discursive analysis. From the data analysis, three categories emerged: pain assessment based on professional experience and interaction with family members; difficulties and facilities for pain assessment; use of instruments for pain assessment. The main difficulties reported by nursing professionals are inherent in the non-verbalization of the infant and the lack of protocols or standards that may facilitate the perception of pain. It is concluded that the perception of the nursing team about pain in infants mainly through scales makes care simplified and effective, as it helps in defining the best therapy to be adopted, which denotes the need for training for professionals working in the pediatric unit in order to guarantee humanization in hospitals and better quality of care provided.


Keywords


Pediatric nursing; Pain measurement; Hospitalized child; Infant; Nursing.

References


Araujo, G. C., Miranda, J. D. O. F., dos Santos, D. V., de Camargo, C. L., Sobrinho, C. L. N., & Santa Rosa, D. D. O. (2015). Dor em recém-nascidos: identificação, avaliação e intervenções. Revista Baiana de Enfermagem‏, 29(3), 261-270.‎

Aziznejadroshan, P., Alhani, F., & Mohammadi, E. (2016). Experiences of Iranian nurses on the facilitators of pain management in children: a qualitative study. Pain research and treatment.

Blasi, D. G., de Candido, L. K., Tacla, M. T. G. M., & Ferrari, R. A. P. (2015). Avaliação e manejo da dor na criança: percepção da equipe de enfermagem. Semina: Ciências Biológicas e da Saúde, 36(1Supl), 301-310.

Brasil. (2012). Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 466 de dezembro de 2012.

Caetano, E. A., Lemos, N. R. F., Cordeiro, S. M., Pereira, F. M. V., Moreira, D. D. S., & Buchhorn, S. M. M. (2013). O recém-nascido com dor: atuação da equipe de enfermagem. Escola Anna Nery, 17(3), 439-445.

Chotolli, M. R., & Luize, P. B. (2015). Non-pharmacological approaches to control pediatric cancer pain: nursing team view. Revista Dor, 16(2), 109-113.

Costa, K. F. D., Alves, V. H., Dames, L. J. P., Rodrigues, D. P., Barbosa, M. T. S. R., & Souza, R. R. B. D. (2016). Manejo clínico da dor no recém-nascido: percepção de enfermeiros da unidade de terapia intensiva neonatal. J. res. fundam. care. Online, Rio de Janeiro, 8(1), 3758-3769.

Costa, R., & Cordeiro, R. A. (2016). Desconforto e dor em recém-nascido: reflexões da enfermagem neonatal [Discomfort and pain in the newborn: reflections of neonatal nursing]. Revista Enfermagem UERJ, 24(1), 11298.

de CandidoI, L. K., & TaclaII, M. T. G. M. (2015). Avaliação e caracterização da dor na criança: utilização de indicadores de qualidade. Rev. enferm UERJ [Internet], 23(4).

de Miranda, A. R., de Oliveira, A. R., Toia, L. M., & de Oliveira Stucchi, H. K. (2015). A evolução dos modelos de assistência de enfermagem à criança hospitalizada nos últimos trinta anos: do modelo centrado na doença ao modelo centrado na criança e família. Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba, 17(1), 5-9.

de Oliveira Soares, A. C., Caminha, M. D. F. C., Coutinho, A. C. F. P., & Ventura, C. M. U. (2016). Dor em unidade neonatal: conhecimento, atitude e prática da equipe de enfermagem. Cogitare Enfermagem, 21(2).

Freitas, Z. M. D. P., Pereira, C. U., & Oliveira, D. M. D. P. (2012). Escalas para avaliação de dor em neonatologia e sua relevância para a prática de enfermagem.

Gonçalves, B., Holz, A. W., Lange, C., Maagh, S. B., Pires, C. G., & Brazil, C. M. (2013). O cuidado da criança com dor internada em uma unidade de emergência e urgência pediátrica. Revista Dor, 14(3), 179-183.

Guedes, D. M. B., Rossato, L. M., & Oliveira, E. A. (2015). Diagnósticos de enfermagem mais frequentes em uma unidade de terapia intensiva pediátrica. Revista de Enfermagem da UFSM, 5(3), 476-485.

Hockenberry, M.J, Wilson D. W. (2014). Fundamentos de Enfermagem Pediátrica (9a ed.). Rio de Janeiro/RJ: Elsevier Editora Ltda.

Leão, E. et al. (2013). Pediatria Ambulatorial. (5a ed.). Belo Horizonte: Coopmed.

Moraes, R., Galiazzi, M.C. (2011). Análise textual discursiva (2a ed.). Ijuí/RS: Ed. Unijuí.

Pereira, A. S., Shitsuka, D. M., Parreira, F. J., & Shitsuka, R. (2018). Metodologia da pesquisa científica. [e-book]. Santa Maria. Ed. UAB/NTE/UFSM. Disponível em: https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1. Acesso em: 28 março 2020.

Santos¹, J. P., & Maranhão, D. G. (2016). Cuidado de Enfermagem e manejo da dor em crianças hospitalizadas: pesquisa bibliográfica. Rev. Soc. Bras. Enferm. Ped.| v, 16(1), 44-50.

Silva, L. D. G., Lima, L. S., Tacla, M. T. G. M., & Ferrari, R. A. P. (2014). Escalas de avaliação de dor: processo de implantação em uma unidade de terapia intensiva pediátrica. Revista enferm UFPE on line, 8(4), 857-63.

Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor (SBED). (2012). Taxonomia IASP. Termos de dor. Seattle, 2012. Disponível em: http://www.sbed.org.br/home.php.

Sposito, N. P. B., Rossato, L. M., Bueno, M., Kimura, A. F., Costa, T., & Guedes, D. M. B. (2017). Assessment and management of pain in newborns hospitalized in a Neonatal Intensive Care Unit: a cross-sectional study. Revista latino-americana de enfermagem, 25.




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i6.3444

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com