Risk factors that potentiate weaknesses in institutionalized elderly

Lyandra Dias da Silva, Nilmara Cunha da Silva, Emanuelle de Sousa Ferreira, Lucélia da Cunha Castro, Maria do Socorro Silva Alencar

Abstract


The article aims to analyze risk factors that increase weaknesses in residents of Long-Term Care Institutions for the Elderly. The study is characterized as an integrative literature review that consisted of six stages: definition of the theme and formulation of the guiding question; establishment of inclusion and exclusion criteria; definition of descriptors; pre-selection of articles; evaluation of selected studies; and presentation of the review. Sixteen studies were reviewed, between the years 2016 to 2019, based on the search in the Scientific Electronic Library Online (Scielo), LILACS and Pubmed databases using as descriptors Elderly, Long Term Care Institution for the Elderly, frailty, malnutrition, depression, accidents due to falls. According to evidence from these studies, depression stands out among the risk factors that increase weaknesses in institutionalized elderly people, which may be associated with the institutionalization time, self-perceived health and quality of sleep. There was also a prevalence of malnutrition in this group of elderly people, as well as an increased risk of falls, which may be related to the individual's psychological health and impaired nutritional status. Such factors considerably affect the health condition and quality of life of this population. It appears that knowledge about the main risk factors that increase weaknesses in institutionalized elderly people is of paramount importance for the application of preventive actions, aiming to preserve their health.


Keywords


Elderly; Long Term Care Institution for the Elderly; Fragility; Malnutrition; Depression; Accidents due to falls.

References


Alencar, M.S. S. et al. (2015). Perdas de massa muscular e adiposa após institucionalização: atenção aos mais idosos. Geriatr. Gerontol. Aging, 9 (4), 150-155.

Araújo, A.P.S., Bertolini, S.M.M.G & Martins Junior, J. (2014). Alterações morfofisiológicas decorrentes do processo de Envelhecimento do sistema musculoesquelético e suas Consequências para o organismo humano. Persp. Online: biol. & saúde, 12 (4), 22-34.

Araújo Neto, A.H. et al. (2017). Falls in institutionalized older adults: risks, consequences and antecedents. Revista Brasileira de Enfermagem, 70 (4), 719-725.

Borges, L.L., Garcia, P.A. & Ribeiro, S.O.V. (2009). Características clínico-demográficas, quedas e equilíbrio funcional de idosos institucionalizados e comunitários. Fisioter. Mov., 22 (1), 53-60.

Brasil. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), 2011.

CARREIRA, L. et al. (2011). Prevalência de depressão em idosos institucionalizados. Rev. Enferm. UERJ, 19 (2), 268-273.

Cavalcante, M.S.N. et al. (2016). Indicators of health and safety among institutionalized older adults. Revista da Escola de Enfermagem USP, 50 (5), 600-606.

Castaldo, A. et al. (2019). Risk factors associated with accidental falls among Italian nursing home residents: A longitudinal study (FRAILS). Geriatric Nursing, 1 (1), 1-6.

Chaimowicz, F. Saúde do Idoso. 2ª ed. Belo Horizonte: NESCON UFMG: 2013.

Colomé, I.C.S. et al. (2011). Cuidar de idosos institucionalizados: características e dificuldades dos cuidadores. Rev. Eletr. Enf., 13 (2), 306-312.

Damo, C.C. et al. (2018). Risco de desnutrição e os fatores associados em idosos institucionalizados. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 21 (6), 735-742.

Dhargave, P. & Sendhilkumar, R. (2016). Prevalence of risk factors for falls among elderly people living in long-term care homes. Journal of Clinical Gerontology & Geriatrics, 1 (1), 1-5.

Ferreira, D.C.O. & Yoshitome, A.Y. (2010). Prevalência e características das quedas de idosos institucionalizados. Rev. Bras. Enferm, 63 (6), 991-997.

Freitas, M.A.V & Scheicher, M.E. (2010). Qualidade de vida dos idosos institucionalizados. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol., 13 (3), 395-401.

Gomes, E.C.C. et al. (2014). Fatores associados ao risco de quedas em idosos institucionalizados: uma revisão integrativa. Ciência e Saúde Coletiva, 19 (8), 3543-3551.

Gonçalves, L.H.T. et al. (2010). O idoso institucionalizado: avaliação da capacidade funcional e aptidão física. Cad. Saúde Pública, 26 (9), 1738-1746.

Guimarães, L.A. et al. (2019). Sintomas depressivos e fatores associados em idosos residentes em instituição de longa permanência. Ciência & Saúde, 24 (9), 3275-3282.

Hartmann Júnior & Gomes, G.C. (2016). Depressão em idosos institucionalizados: padrões cognitivos e qualidade de vida. Ciência & Cognição, 21 (1), 137-154.

Jerez-Roig, J. et al. (2016). Depressive Symptoms and Associated Factors in Institutionalized Elderly. Experimental Aging Research, 42 (5), 479-491.

Lima, A.M.P. et al. (2016). Depressão em idosos: uma revisão sistemática da literatura. Revista de Epidemiologia e Controle de Infecção, 6 (2), 97-103.

Lima, A.P.M. et al. (2017). Avaliação nutricional de idosos residentes em instituições de longa permanência. Revista Baiana de Enfermagem, 31 (4), 1-9.

Lojudice, D.C. et al. (2010). Quedas de idosos institucionalizados: ocorrência e fatores associados. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol., 13 (3), 403-412.

Lona, L.D. & Schneider, R.H. (2014). Síndrome de fragilidade no idoso: uma revisão narrativa. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol., 17 (3), 673-680.

Lopes, M.N.S.S. et al. (2010). Eficácia de um protocolo fisioterapêutico para equilíbrio em idosos institucionalizados. Semina: Ciências Biológicas e da Saúde, 31 (2), 143-152.

Matos, A.I.P., Mourão, I. & Coelho, E. (2016). Interação entre a idade, escolaridade, tempo de institucionalização e exercício físico na função cognitiva e depressão em idosos. Motricidade, 12 (2), 38-47.

Melo, L.A. et al. (2018). Fragilidade, sintomas depressivos e qualidade de vida: um estudo com idosos institucionalizados. Revista Baiana de Enfermagem, 38 (1), 1-9.

Menezes, R.L & Bachion, M.M. (2008). Estudo da presença de fatores de riscos intrínsecos para quedas, em idosos institucionalizados. Cienc. Saúde Coletiva, 13, (4), 1209-1218.

Menezes, R.L. et al. (2011). Estudo longitudinal dos aspectos multidimensionais da saúde de idosos institucionalizados. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol., 14 (3), 485-496.

Nóbrega, I.R.A.P. et al. (2015). Fatores associados à depressão em idosos institucionalizados: revisão integrativa. Revista Saúde Debate, Rio de Janeiro, 39 (105), 536-550.

Pinho, M.X., Custódeo, O. & Makdisse, M. (2009). Incidência de depressão e fatores associados em idosos residentes na comunidade: revisão de literatura. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 12 (1), 123-140.

Rosa, V.P.P., Cappellari, F.C.B.D. & Urbanetto, J.S. (2019). Análise dos fatores de risco para queda em idosos institucionalizados. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 22 (1), 1-13.

Saghafi-Asl, M. & Vaghef-Mehrabany, E. (2017). Comprehensive comparison of malnutrition and its associated factors between nursing home and community dwelling elderly: A case-control study from Northwestern Iran. Clinical Nutrition ESPEN, 1 (1), 1-8.

Saintrain, M.V.L. et al. (2018). Idosos com depressão: uma análise dos fatores de institucionalização e apoio familiar. Revista Brasileira em Promoçao da Saúde, 31 (4), 1-7.

Santana, D.C. et al. (2016). Avaliação nutricional de idosos institucionalizados na Zona Sul de São Paulo. Revista Kairós Gerontologia, 19 (22), 403-416.

Santos, A.C.O., Machado, M.M.O. & Leite, E.M. (2010). Envelhecimento e alterações do estado nutricional. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol., 4 (3), 168-175.

Santos, A.H.S. et al. (2013). Triagem nutricional: identificação de alterações nutricionais na atenção à saúde do idoso. RBCEH, 10 (2), 170-180.

Silva, J.L. et al. (2015). Fatores associados à desnutrição em idosos institucionalizados. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol., 18 (2), 443-451.

Silva, M.V. & Figueiredo, M.L.F. (2012). Idosos institucionalizados: uma reflexão para o cuidado de longo prazo. Enfermagem em Foco, 3 (1), 22-24.

Silvério, J.K.A. et al. (2016). Estado nutricional de idosos institucionalizados: uma revisão de literatura. Revista Visão Acadêmica, 17 (3), 75-90.

Slavíková, M. et al. (2018). Prevalence of malnutrition risk among institutionalized elderly from North Bohemia is higher than among those in the capital ciy of Prague, Czech Republic. Central European Journal of Public Health, 26 (2), 11-117.

Sousa, K.T. et al. (2014). Baixo peso e dependência funcional em idosos institucionalizados de Uberlândia (MG), Brasil. Ciência e Saúde Coletiva, 19 (8), 3513-3520.

Tavares, E.L. et al. (2015). Avaliação nutricional de idosos: desafios da atualidade. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 18 (3), 643-650.




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i5.3189

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com