The Teaching of Botany at the basic education: perceptions and analysis of a teaching strategy

Janine Lima Martins, Aline da Silva Goulart, Ailton Jesus Dinardi

Abstract


The present work presents the results of an investigation of the perceptions about the Plant Diversity of 26 students of the sixth grade of Elementary School in a public school in the city of Uruguaiana/RS. The objectives of this work were to investigate the prior knowledge of students in the sixth year of elementary school regarding the concepts of living beings and plants and to propose a pedagogical action, which would collectively promote discussions about the Teaching of Botany and the reframing of concepts based on in mediation of content. The methodology used was the five steps of the Historical-Critical Pedagogy of Dermeval Saviani, and the productions of the investigated, drawings, interviews and activities were characterized as object of analysis, according to Bardin (2011). The results obtained evidenced that the human being represents the previous conception of being alive of the majority of the students, being the conception of vegetables turned only to the feeding. It was verified that although Vegetal Diversity is very close to students in daily life, they don’t know how to name their basic structures and functions. There was no increase in knowledge regarding the concept of vegetables, however there was an appropriation of the concept of living being much more comprehensive in the final social practice.


Keywords


Perception; Teaching; Botany; Sciences; Historical-Critical Pedagogy

References


Ausubel, D. P.; Novak, J.D. & Hanesian, H., (1980). Psicologia educacional. Rio de Janeiro: Interamericana.

Bardin, L. (2011). Análise de Conteúdo. São Paulo, SP: Edições 70. Tradução: Luís Antero Reto, Augusto Pinheiro.

Bulgraen, V. C. (2010). O papel do professor e sua mediação nos processos de elaboração do conhecimento. Revista Conteúdo, Capivari, 1 (4), 30-38. Recuperado de http://www.moodle.cpscetec.com.br/capacitacaopos/mstech/pdf/d3/aula04/FOP_d03_a04_t07b.pdf.

Candau, V. M. (2012). Didática: entre saberes, sujeitos e práticas. In: XVI ENDIPE – Encontro Nacional de Didática e Práticas de Ensino: UNICAMP/Campinas. Recuperado de http://endipe.pro.br/ebooks-2012/0075m.pdf.

Cavasini, R.; Peterson, R. S. D.; Jacometti, L. A & Breyer, R. F. (2015) Educação ambiental ao ar livre: intervenções em esportes na natureza. Revista Brasileira de Educação Ambiental, 10 (2), 270-282. Recuperado de http://revbea.emnuvens.com.br/revbea/article/view/4290.

Cornacini, M. R.; Silva da, R. G.; Dornfeld, C. B.& Camargos de, L. S. (2017). Percepção de alunos do ensino fundamental sobre a temática botânica por meio de atividade experimental. Revista Experiências em Ensino de Ciências, 12 (4), 166-184. Recuperado de http://if.ufmt.br/eenci/artigos/Artigo_ID375/v12_n4_a2017.pdf.

Costa, M. V. (2011). Material instrucional para ensino de botânica: CD-ROM possibilitador da aprendizagem significativa no ensino médio. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências) - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande-MS. Recuperado de https://uerr.edu.br/ppgec/wp-content/uploads/2017/08/DISSERTA%C3%87%C3%83O-2015-Misiara-Neves-dos-Santos.pdf.

Dalfovo, M. S.; Lana, R. A. & Silveira, A. (2008) Métodos quantitativos e qualitativos: um resgate teórico. Revista Interdisciplinar Científica Aplicada, 2 (3), 1-13. Recuperado de http://www.aedmoodle.ufpa.br/pluginfile.php/168069/mod_forum/attachment/271244/MONOGRAFIAS%20M%C3%89TODOS%20QUANTITATIVOS%20E%20QUALITATIVOS.pdf.

Duarte, R. (2004). Entrevistas em pesquisas qualitativas. Revista Educar, Scielo. 24, 213. doi: doi.org/10.1590/0104-4060.357.

Fernandes, J. A. B. (2007). Você vê essa adaptação? A aula de campo em ciências entre o retórico e o empírico. São Paulo, 326p. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-14062007-165841/pt-br.php.

Fonseca, T. M. (2008). Ensinar e aprender. Pensando a prática pedagógica. Apostila: Material Didático elaborado como suporte pedagógico ao projeto de intervenção no colégio estadual Major Vespasiano Carneiro De Mello. Ponta Grossa - MG. Recuperado de www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/1782-6.pdf.

Freitas, M. (1889). Distinção entre ser vivo e ser inanimado: uma evolução por estádios ou um problema de concepções alternativas? Revista Portuguesa de educação, 2 (1), 33-51. Recuperado de https://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/446/1/1989,2(1),33-51(MarioFreitas).pdf.

Gadotti, M. (2007). A Escola e o Professor: Paulo Freire e a paixão de ensinar. 1.ed. São Paulo: Publisher Brasil.

Gasparin, J. L. & Petenucci, M. C. (2014). Pedagogia histórico-crítica: da teoria à prática no contexto escolar. Dia a dia Educação, Paraná, v. 2. Recuperado de http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/2289-8.pdf.

Gobetti, V. M. S. & Castro, M. P. (2018). O desenho infantil: um olhar psicopedagógico. Revista de Pós-Graduação Multidisciplinar, São Paulo, 1(4), 37-46. doi 10.22287/rpgm.v1i4.768.

Jotta, P. A. C. V.; Querol, M. V. M. & Pessano, E. F. C. (2015). Percepções de crianças sobre aranhas em diferentes escolas de Uruguaiana. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em Especialização em Educação em Ciências) - Universidade Federal do Pampa. Recuperado de https://sites.unipampa.edu.br/nupaes/?page_id=189.

Merhy, T. S. M. & Santos, M. G. (2014). Planta ou vegetal? As concepções alternativas dos alunos do ensino fundamental. Revista Experiências em Ensino de Ciências, 9 (2), 104-116. Recuperado de http://if.ufmt.br/eenci/artigos/Artigo_ID245/v9_n2_a2014.pdf.

Moreira, M. A. (2012). Mapas conceituais e aprendizagem significativa. Instituto de Física – UFRGS Porto Alegre. Recuperado de http://lief.if.ufrgs.br/pub/cref/pe_Goulart/Material_de_Apoio/Referencial%20Teorico%20-%20Artigos/Mapas%20Conceituais%20e%20Aprendizagem%20Significativa.pdf.

Naves, J. G. P. & Bernardes, M. B. J. (2014). A relação histórica homem/natureza e sua importância no enfrentamento da questão ambiental. Revista Geosul, 29 (57), 7-26. Recuperado de https://periodicos.ufsc.br/index.php/geosul/article/viewFile/30442/27882.

Pillar, A. D. (2012). Desenho e escrita como sistemas de representação. [recurso eletrônico] 2 ed. Porto Alegre.

Raven, P.H.; Evert, R.F. & Eichhorn, S.E. (2001). Biologia Vegetal. Editora Guanabara São Paulo.

Salatino, A. & Buckeridge, M. (2016). Mas de que te serve saber botânica? Estudos Avançados, 30 (87), 177. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-40142016.30870011.

Santos, R. E. & Macedo, G. E. L. (2017). Aprendizagem Significativa de Conceitos Botânicos em uma classe de Jovens e Adultos. Revista Contexto & Educação, 32 (101), 105-124. doi: https://doi.org/10.21527/2179-1309.2017.101.105-124.

Sauvé, L. (2005). Educação ambiental: possibilidades e limitações. Revista Educação e Pesquisa, 31 (2), 317-322. doi: https://doi.org/10.1590/S1517-97022005000200012.

Saviani, D. (2003). Escola e Democracia. 36. ed. Campinas, SP: Autores Associados.

Saviani, D. (2011). Pedagogia Histórico-Crítica: primeiras aproximações. 11. Ed. Campinas, SP: Autores Associados.

Silva, J. N. & Ghilardi-Lopes, N. P. (2014). Botânica no Ensino Fundamental: diagnósticos de dificuldades no ensino e da percepção e representação da biodiversidade vegetal por estudantes. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, 13 (1), 115-136. Recuperado de https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=4734530.

Silva, P. G. P. & Cavassan, O. (2006). Avaliação das aulas práticas de botânica em ecossistemas naturais considerando-se os desenhos dos alunos e os aspectos morfológicos e cognitivos envolvidos. Revista Ciências Humanas (MIMESIS), 27 (2), 33-46. Recuperado de https://secure.unisagrado.edu.br/static/biblioteca/mimesis/mimesis_v27_n2_2006_art_02.pdf.

Trindade, O. S. N.; Júnior, J. C. S. & Teixeira, P. M. M. (2012). Um estudo das representações sociais de estudantes do ensino médio sobre os insetos. Revista Ensaio, 1 (3), 37-50. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/epec/v14n3/1983-2117-epec-14-03-00037.pdf.

Word Clouds. (2018). Nuvem de palavras [recurso eletrônico]. Recuperado em https://www.wordclouds.com/.

Zborowski, C. A.; Conceição, M. S.; Konflanz, T. L. & Pigatto, A. G. S. (2017) Percepção de alunos dos anos iniciais sobre seres vivos. In: XI Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências – XI ENPEC Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis/SC. Recuperado de http://www.abrapecnet.org.br/enpec/xi-enpec/anais/resumos/R1450-1.pdf.




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i5.3173

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com