Teacher training and inquiry in chemistry: reflections and strategy

Carlos Jose Trindade da Rocha, Maisa Helena Altarugio, João Manoel da Silva Malheiro

Abstract


In this work we present an investigation on the analysis of an investigative teaching strategy in the training of chemistry professors at a federal public university in the State of São Paulo, with seven undergraduate students in chemistry during a four - month period. The methodology in the study is qualitative in nature of the discourse analysis type. The data are composed of the praxis analysis of the teaching lesson plan in the discipline Chemical Experimentation and Teaching (CET). The obtained data reveal the enrichment in the initial formation process, motivating the participation and commitment of the students with the activities. The investigative teaching was distinguished by involving the good planning of the teacher and students in the construction of scientific knowledge, and that it is possible as a strategy of the application of didactic procedure in the teaching work.


Keywords


Training; Inquiry; Chemistry.

References


BACHELARD, G. A Formação do Espírito Científico. Tradução de Estela dos Santos Abreu. Rio de Janeiro, Contratempo, 1996 (2007).

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011, 229 p.

BYBEE, R. W. Teaching Science as Inquiry. Inquiring into Inquiry Learning and Teaching in Science. (J. Minstrell & Emily H. van Zee, eds.) p. 20-46. AAAS, Washington, DC, 2000.

BERBAUM, J. Etude systemique des actions de formation. Paris: Presses Universitaries de France, 1982.

BRASIL., Ministério da Educação e Desporto. Parâmetros Curriculares Nacional (PCN+): Ensino Médio: Ciências da natureza, Matemática e Tecnologias. Brasilia. 2002.

BRASIL.Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica. Orientações curriculares para o ensino médio - Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias. Brasília, v. 2, 2006. 135 p.

BRICCIA, V. Sobre a natureza da Ciência e o ensino. In: Ensino de Ciências por investigação: condições para implementação em sala de aula. Ana Maria Pessoa de Carvalho, (org.). – São Paulo: cengage learning, 2013.

CACHAPUZ, A. F. – A Universidade e a Valorização do Ensino e a Formação de seus Docentes. In: MACIEE, Lizete S. B. Reflexões sobre a formação de professores – Campinas, SP; Papirus, 2002 – (Coleção Magistério: Formação e Trabalho Pedagógico).

CARVALHO, A. M. P., et al. Ensino de Ciências: unindo a pesquisa e a prática. São Paulo: Editora Thompson, 2004.

______; GIL-PÉREZ, D. Formação de Professores de Ciências: tendências e inovações. São Paulo: Cortez, 2006. 120p.

CARVALHO, A. M. P..Critérios estruturantes para o ensino de Ciências. In: Carvalho, A.M.P.(org). Ensino de ciências: unindo a pesquisa e a prática. São Paulo: Pioneira Thompson Learning, 1998.

CARVALHO, A. M. P..O Ensino de Ciências por investigação: condições para implementação em sala de aula. Ana Maria Pessoa de Carvalho, (org.). – São Paulo: cengage learning, 2013.

CASTRO, M. E. C.; MARTINS, C. M. C.; MUNFORD, D. Ensino de Ciências por investigação – ENCI: módulo / Belo Horizonte – UFMG, 2008.

CHASSOT, A. Alfabetização Científica: questões e desafios para a educação. 3.ed. Ijuí: Ed. Unijuí, 2003. 440p. – (Coleção educação em química).

COLLADO, C. F.; SAMPÍERI, R. H. Medologia de la investigacion. Mcgraw-Hill. 5ªed. 656 p. 2014.

CORTÉS GRACIA, A. L.; DE LA GÁNDARA GÓMEZ, Milagros. La construcción de problemas em el laboratorio durante la formación del profesorado: uma experiência didáctica. Enseñanza de las Ciencias, v. 25, n.3, p. 435-450, nov, 2007.

DANTAS, C. R. S.; MASSONI, N. T.; SANTOS, F. M. T. A avaliação no Ensino de Ciências Naturais nos documentos oficiais e na literatura acadêmica: uma temática com muitas questões em aberto. Ensaio: aval. pol. públ. Educ., Rio de Janeiro. 2017.

FERREIRA, L. H.; HARTWIG, D. R. Experimentação. Coordenação do GT 2 no I Encontro Paulista de Pesquisa em Ensino de Química, 2004. (on line) Disponível em . Acesso em 14 de Abril 2008.

GIL-PÉREZ, D.; et al. Tiene sentido seguir distinguiendo entre aprendizaje de conceptos, resolución de problemas de lapiz y papel y realización de practicas de laboratório? Enseñanza de las Ciencias, v. 17, n. 2, p. 311-320, jun,1999.

GIL-PÉREZ, D.. Newtrends in science education. International Journal of Science Education. 18(8), p.888-901, 1996.

GUIMARÃES, C. C. Experimentação no Ensino de Química: Caminhos e Descaminhos Rumo à Aprendizagem Significativa. Química Nova na Escola, v.31, nº3, 2009.

HOFSTEIN, A.; LUNETTA, V. N. Laboratory in science education: Foundations for the twenty-first century. Science Education, v.88, n.1, p. 28-54, 2004.

MUNFORD, D.; LIMA, M. E. C. de C. Ensinar ciências por investigação: em quê estamos de acordo? Revista Ensaio, v. 1, 2008.

MIZUKAMI, M. G. N. et. al. Escola e aprendizagem da docência: processos de investigação e formação. São Carlos, EDUFSCar. 2002.

PEREIRA, J.E.D. As licenciaturas e as novas políticas educacionais para a formação docente. Campinas,1999, vol 20, n.68, Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-73301999000300006, acesso em 30 de fev de 2014.

PÓRLAN, R.; RIVERO, A. El conocimiento de los professors: Uma propuesta formativa en al área de ciências: Sevilla: Diada Editora, 1998.

POZO, J.I. (Org.). A solução de problemas. Porto Alegre. Artmed, 1998.

PRO, A.; Se pueden ensinar contenidos procedimentais en las classes de ciencias? Enseñanza de las Ciencias, 16(1), 21-41, 1998.

RODRIGUES, B. A.; BORGES, A. T. O Ensino de Ciências por Investigação: Reconstrução Histórica. XI Encontro de Pesquisa em Ensino de Física – Curitiba – 2008.

SÁ. E. F. de; PAULA, H. de F.; LIMA, M. E. C. de C. e AGUIAR, O. G. de. As Características das Atividades Investigativas Segundo Tutores e Coordenadores de um Curso de Especialização em Ensino de Ciências. In: ENPEC - Encontro Nacional de Pesquisa em Ensino de Ciências, 6, Florianópolis, SC, Atas... SBF, 2007.

SÁNCHEZ-BLANCO, G.; VARCEL-PÉREZ, M. V. Qué tienen em cuenta los professores cuando sellecionan el contenido de enseñanza? Cambios y dificutades tras um programa de formación. Enseñanza de las Ciências, v.18, n.3, p.423-437, 2000.

SILVA, R.R.; MACHADO, P.F.L.; TUNES, E. Experimentar Sem Medo de Errar. Cap. 9, p. 231-261. In: Ensino de Química em Foco. Org. SANTOS, W. L.; MALDANER, O.A., Ed. Unijuí. 2010.

SILVA, L. H. A.; ZANON, L.B. A Experimentação no ensino de Ciências. In: SCHNETZLER, R, P; ARAGÃO, R.M.R (Org). Ensino de Ciências: fundamentos de abordagens. Piracicaba:Capes/Unimep. Cap. 6. 2000.

SILVA, L. H. A.; ZANON, L.B. A Experimentação no ensino de Ciências. In: SCHNETZLER, R. A Pesquisa em Ensino de Química no Brasil: Conquistas e Perspectivas. Química Nova, v. 25, Supl. 1, p.14-24, jul, 2002.

VAILLANT, D.; MARCELO, C. Ensinando a ensinar: As quatro etapas de uma aprendizagem. Denise Vaillant, Carlos Marcelo. – 1. Ed. Curitiba: Ed. UFTPR, 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.17648/rsd-v7i5.317

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com