Key performance indicators to improve the competitive dimensions of the construction company

Aparecida Massako Tomioka, José Manoel Souza das Neves

Abstract


The construction industry is a significant economic and productive sector of a country. Due to the importance of the sector, this study is justified not only for the academia, but also for the productive and business circles. Identifying competitive dimensions and comprehend the organizational performance through performance indicators, allows managers to make decisions through these tools, according to the model in which the organization operates, as close as possible to their reality. The present work aims to analyze the application of performance indicators through the competitive dimensions of the construction company. The used research method was a qualitative approach, being of an applied nature, classified according to the objectives of the research in descriptive and explanatory. The procedure used was the review of the literature through scientific articles in the Web of Science data bases, for the last ten years.


Keywords


Civil Construction; Competitive Dimensions; Key Performance Indicator (KPI); Productive Systems

Full Text:

PDF

References


Arbrace, J. & Aragão, M.C. (2014). Infraestrutrura e competitividade na Indústria brasileira. Brasília: UNIEPRO.

Arruda, L., Quelhas, O. L. G.& França, S. L. B. (2013). Análise das Práticas Empresariais de Sustentabilidade nas Empresas de Construção Pesada do Setor de Infraestrutura no Brasil. ENGEVISTA.

Azevedo, R. C., Lacerda, R.T.O., Ensslin, L., Jungles, A. E. & Ensslin, S. R. (2013). Performance Measurement to Aid Decision Making to the Budgeting Process for Apartment-Building Construction: Case Study Using MCDA-C. Journal of Construction Engineering and Management, fevereiro.

Barros Neto, J. D. P., Fenstersifer, J. E. & Formoso, C. T. (2003). Os Critérios Competitivos da Produção: um Estudo Exploratório na Construção de Edificações. Revista de Administração Contemporânea, 67-85.

CBIC. (2017). Relatório de Atividades: julho/2014 a junho/2017. CBIC - Câmara Brasileira da Industria da Construção, Brasília, 86.

Construbusiness - Congresso Brasileiro da Construção., 12º (2016). Investir com responsabilidade, Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, São Paulo.

Costa, D. B., Formoso, C.T.; Lima, H.M.R, Barth, K. B. (2005). Sistemas de Indicadores para Benchmarking na Construção Civil - Manual de Utilização. UFRGS / NORIE /PPGEC. Porto Alegre, 98.

Costa, D. B. (2003). Diretrizes para Concepção, Implementação e Uso de Sistemas de Indicadores de Desempenho para Empresas da Construção Civil. UFRGS. Porto Alegre, 176.

Lantelme, E. M. V. (1994). Proposta de um Sistema de Indicadores de Qualidade e Produtividade para a Construção Civil. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 123.

Lima, S. M.; Oliveira, M. E. L.; Rodrigues, M. D. S. (2017). A Crise e o Desempenho Econômico Financeiro das Empresas da Construção Civil. Revista Gestão em Análise, Fortaleza, 6, 1/2, jan/dez. 196-210.

Maia, A.T.; Iarozinski Neto, A. (2017). Análise das Características Organizacionais das Empresas dos Subsetores da Construção Civil. SIMEP - Anais do V Simpósio de Engenharia de Produção, Joinville. Disponível em: .

Mello, L. C. B. D. B.; Amorim, S. R. L. D.; Bandeira, R. A. D. M. (2008). Um sistema de indicadores para comparação entre organizações: o caso das pequenas e médias empresas de construção civil. Gestão & Produção, São Carlos, Maio. 261-274.

Monteiro filha, D.C, costa, A.C.R., Faleiros, J. P. M., Nunes, B.F., (2010). Construção Civil no Brasil: Investimentos e Desafios, Perspectiva do Investimento 2010 – 2013, 09, 301 – 356, BNDES.

Mutti, C.N., Araujo, H.N., Flanagan, R. (2005). O diferencial competitivo das grandes construtoras brasileiras no mercado internacional, XXV Encontro Nac. de Eng. de Produção – ENEGEP – Porto Alegre, RS, Brasil.

Nascimento, L.A., Santos, E. T. (2003). A indústria da construção na era da informação – Ambiente Construído, Porto Alegre, 3, 1, 69-81, jan-mar.

Neely, A. (1999). The Performance Measurement Revolution: Why Now and What Next? International Jounal of Operation & Production Management, Cambridge, 19, 205-228.

Porter, M. (2008). Estrategia competitiva. Técnicas para el análisis de los sectores industriales y de la competencia (edición revisada). 38ª. ed. Azcapotzalco: Editorial Patria. 394.

Porter, M. E. (1991). Towards a Dynamic Theory af Strategy. Strategic Management Journal, Boston, 12, 95-117, 1991.

Santos, F. C. A. (1998). Dimensões Competitivas da Estratégia de Recursos Humanos: importância para a gestão de negócios em empresas manufatureiras. FGV. São Paulo. 1998. TESE.

Sink, D.S. & Tuttle, T. C. (1993). Planejamento e Medição para Performance, Ed. Qualitymark, Rio de Janeiro.

Slack, N. (2002) Vantagem Competitiva em Manufatura: Atingindo a Competitividade nas Operações Industriais. Nigel Slack; 2. Ed. São Paulo, Atlas.

Sousa, D. S. V. D., Candido, L. F. & Barros Neto, J. D. P. (2017). Medição de desempenho na construção civil: um estudo exploratório com construtoras cearenses. Ambiente Construído, Porto Alegre, 9-29.

Vasconcelos, F. C. & Cyrino, A. (2000). Vantagem Competitiva: Os Modelos Teóricos Atuais e a Convergência entre Estratégia e Teoria Organizacional. RAE - Revista de Administração de Empresas, São Paulo, 20-37.

Yemal, J. A., Teixeira, N. O. V. & Naas, I. A. (2011). Sustentabilidade na Construção Civil. III cleaner production initiatives and challenges for a sustainable world, 10.




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i5.3130

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com