Cytotoxicity analysis of Psidium guinense Swartz methanolic extract in human blood cells

Camilla Torres Pereira, Maria Estella Torres Pereira, Karla de Lima Alves Simão, Millena de Souza Alves, Bruna de Lima Alves Simão, Maria Alice Araújo de Medeiros, Yanna Carolina Ferreira Teles, Raline Mendonça dos Anjos, Heloisa Mara Batista Fernandes de Oliveira, Vinícius Filgueiras de Oliveira, Cássio Ilan Soares Medeiros, Aleson Pereira de Sousa, Abrahão Alves de Oliveira Filho

Abstract


This work aimed to evaluate the cytotoxicity of the methanolic extract of Psidium guineense against human blood cells (erythrocytes) to evaluate the toxicity potential of this plant. The study was carried out through tests on cytotoxic activity, using blood suspensions with human erythrocytes (A, B and O), different methanolic extractive tests (50, 100, 500 and 1000 µg/mL) were used for 60 minutes and quantified hemolysis by spectrophotometry at a wavelength of 540 nm. The results obtained demonstrate the methanolic extract of P. guineense in different species, suggesting low toxicity against human erythrocytes tested in vitro, this natural product being considered a viable option for the herbal medicine industry.

Keywords


Phytotherapy; Toxicity; Myrtaceae; Erythrocytes

References


Anesini, C., & Perez, C. (1993). Screening of plants used in Argentine folk medicine for antimicrobial activity. Journal of ethnopharmacology, 39(2), 119-128.

Azab, A., Nassar, A., & Azab, A. N. (2016). Anti-inflammatory activity of natural products. Molecules, 21(10), 1321.

Carvalho, B. L., Souza, E. P., Anjos, L. V. S., Nakada-Freitas, P. G., Cardoso, A. I. I., Amador, T. S., ... & Magalhães, T. H. (2019). Tratamento de sementes de cebola com extrato de própolis e Plectranthus amboinicus no controle de Aspergillus sp. Revista Brasileira de Engenharia de Biossistemas, 13(1), 12-18.

Carvalho, E. B., Borges, É. L., Carlos, L., Silva, M. A. M., Magalhães, S. M., Gomes, F. V., ... & Pitombeira, M. H. (2007). Efeito da bomba de infusão de soluções sobre o grau de hemólise em concentrados de hemácias. Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia, 29(2), 149-152.

Coelho, J. A. (2017). Avaliação in vitro das atividades antioxidante, antimicrobiana e citotóxica de extratos orgânicos das cascas da do fruto jabuticaba (Myrciaria cauliflora Berg). [Dissertação de mestrado] Pós Graduação em ciências farmacêuticas. Universidade Estadual do Oeste do Paraná. Cascavel.

Cruz, G. L. (1995). Dicionário das Plantas Úteis do Brasil. editora: Bertrand Brasil.

Da Silva Queiroz, A. C., Bizerra, A. M. C., & Machado, A. L. (2018). Atividades antioxidantes e antimicrobianas de extratos orgânicos de Ixora coccínea L. Biota Amazônia (Biote Amazonie, Biota Amazonia, Amazonian Biota), 8(4), 49-53.

Da Silva, Y. L., Takemura, O. S., Romagnolo, M. B., & Junior, A. L. (2015). Triagem fitoquímica e avaliação de propriedades biológicas do extrato alcoólico das folhas de Eugenia pyriformis Cambess. (Myrtaceae). Arquivos de Ciências da Saúde da UNIPAR, 19(3).

Delgado, L. A., de Sousa Siqueira, D., Ferreira, J. L. S., Cavalcante, J. N. M., de Oliveira Silva, R. C. M., Filgueira, R. C., ... & de Oliveira Filho, A. A. (2019). Atividade Antibacteriana do Extrato Etanólico Bruto da Gossypium hirsutum L. contra Cepas de Klebsiella pneumoniae e Escherichia coli. Revista Eletrônica Acervo Saúde, 11(3), 227-232.

De Morais Lima, G. R., Machado, F. D. F., Périco, L. L., de Faria, F. M., Luiz-Ferreira, A., Brito, A. R. M. S., ... & Batista, L. M. (2017). Anti-inflammatory intestinal activity of Combretum duarteanum Cambess. in trinitrobenzene sulfonic acid colitis model. World journal of gastroenterology, 23(8), 1353.

Desoti, V. C., Maldaner, C. L., Carletto, M. S., Heinz, A. A., Coelho, M. S., Piati, D., & Tiuman, T. S. (2011). Triagem fitoquímica e avaliação das atividades antimicrobiana e citotóxica de plantas medicinais nativas da região oeste do estado do Paraná. Arquivos de Ciências da Saúde da UNIPAR, 15(1), 3-13.

Ferreira, V. F., & Pinto, A. C. (2010). A fitoterapia no mundo atual. Química Nova, 33(9), 1829-1829.

Forzza, R. C., Leitman, P. M., Costa, A., Carvalho Jr, A. A. D., Peixoto, A. L., Walter, B. M. T., & Martinelli, G. (2010). Catálogo de plantas e fungos do Brasil. Editora: Jakobsson Estúdio.

Furtado, N. A. D. O. C. (2014). Estudos com Syzygium cumini (L.) Skeel: Caracterização da matéria-prima, perfil fitoquímico, citotoxidade e atividade antimicrobiana sobre microorganismos associados ao biofilme dental. [Dissertação de mestrado] Pós Graduação em ciências farmacêuticas. Universidade Estadual da Paraíba. Campina Grande.

Franzon, R. C., Campos, L. D. O., Proença, C. E. B., & Sousa-Silva, J. C. (2009). Araçás do gênero psidium: principais espécies, ocorrência, descrição e usos. Embrapa Cerrados-Documentos (INFOTECA-E).

Garcia, D. (2012). Plantas tóxicas na ponta do nariz: prevenção de acidentes através do conhecimento. Coletivo de Pesquisadores de Plantas Medicinais. CURARE – Ciência das Plantas Medicinais (2 março de 2012). Disponível em: https://coletivocurare.wordpress.com/2012/03/02/plantas-toxicas-na-ponta-do-nariz-prevencao-de-acidentes-atraves-do-conhecimento/. Acesso em: 8 março. 2020.

Govaerts, R., Sobral, M., Ashton, P., Barrie, F., Holst, B. K., Landrum, L. L., ... & Soares-Silva, L. H. (2008). World checklist of Myrtaceae. Royal Botanic Gardens.

Landrum, L. R. (2017). The genus Psidium (Myrtaceae) in the state of Bahia, Brazil. Herbarium, Natural History Collections, School of Life Sciences, Arizona State University.

Lima, L. O., & Gomes, E. C. (2014). Alimento ou medicamento?: Espécies vegetais frente à legislação brasileira. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, 16(3), 771-782.

Martins, R. T., Almeida, D. B. D., Monteiro, F. M. D. R., Kowacs, P. A., & Ramina, R. (2012). Receptores opioides até o contexto atual. Revista Dor, 13(1), 75-79.

Nascimento, J. É. C., Reatgui, W. D. S., Araújo, L. S. D., Ribeiro, M. E. D. S., Maia, D. C. D. S., Giacomin, L. L., ... & Baratto, L. C. (2017). Avaliação do potencial antioxidante e anti-Helicobacter pylori in vitro de extratos de plantas medicinais utilizadas popularmente na região amazônica. Revista Fitos, 11(2), 119-249.

Peixoto, R. M., Andrioli, A., Santos, D. O., Pinheiro, R. R., Araújo, J. F., de Sousa, A. L. M., ... & da Silva Teixeira, M. F. (2017). Avaliação da toxicidade de solvente de extratos vegetais com ação antiviral em sêmen caprino refrigerado. Acta Scientiae Veterinariae, 45, 1-8.

Pereira, A.S. et al. (2018). Metodologia da pesquisa científica. [e-book]. Santa Maria. Ed. UAB/NTE/UFSM. Disponível em: https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1. Acesso em: 20 março 2020.

Pithon, M. M., Santos, R. L., Ribeiro, D. L. R., Freitas, L. M. A., Souza, R. A., Martins, F. O., & Romanos, M. T. V. (2011). Avaliação in vitro da citotoxicidade de enxaguatórios bucais Listerine®. Revista de Cirurgia e Traumatologia Buco-maxilo-facial, 11(4), 83-88.

Rangel, M., Malpezzi, E. L., Susini, S. M., & De Freitas, J. (1997). Hemolytic activity in extracts of the diatom Nitzschia. Toxicon, 35(2), 305-309.

Reddy, C. S. S., Subramanyam, M. V. V., Vani, R., & Devi, S. A. (2007). In vitro models of oxidative stress in rat erythrocytes: effect of antioxidant supplements. Toxicology in vitro, 21(8), 1355-1364.

Rezende, H. A. D., & Cocco, M. I. M. (2002). La utilización de la fitoterapia en el cotidiano de una populación rural. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 36(3), 282-288.

Rodrigues, E., Duarte-Almeida, J. M., & Pires, J. M. (2010). Perfil farmacológico e fitoquímico de plantas indicadas pelos caboclos do Parque Nacional do Jaú (AM) como potenciais analgésicas: parte I. Revista Brasileira de Farmacognosia, 20(6), 981-991.

Schiar, V. P. P., Dos Santos, D. B., Lüdtke, D. S., Vargas, F., Paixão, M. W., Nogueira, C. W., ... & Rocha, J. B. T. (2007). Screening of potentially toxic chalcogens in erythrocytes. Toxicology in vitro, 21(1), 139-145.

Sobral, M., Proença, C., Souza, M., Mazine, F., & Lucas, E. (2015). Myrtaceae in lista de espécies da flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponivel em: http://floradobrasil.jbrj.gov.br/jabot/floradobrasil/FB171. Acesso em: 8 março. 2020.

Vasconcelos, F. G., Rosseto, L. P., & Neves, B. J. (2017). Estudo fitoquímico e avaliação da atividade anti-inflamatória e avaliação da atividade anti-inflamatória e toxicidade aguda da espécie vegetal Justicia thunbergioides (Lindau)(Acanthaceae). Anais SNCMA, 8(1), 1-12.

Ventura, C. C., Bicho, P. & Ventura, D. C. (2016). Raízes, enquadramento e características da fitoterapia natural. Revista da UIIPS, 4(3), 19.

Viegas, C. S. M. (2017). Diabetes: análise in-vitro da atividade antioxidante e antidiabética de quatro extratos de plantas da região do Algarve. [Dissertação de mestrado]. Pós Graduação em ciências farmacêuticas. Universidade do Algarve. Faro.

Zhang, S., Zheng, L., Xu, L., Sun, H., Li, H., Yao, J. & Peng, J. (2012). Subchronic toxicity study of the total flavonoids from Rosa laevigata Michx fruit in rats. Regulatory Toxicology and Pharmacology, 62(2), 221-230.




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i6.3093

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com