Rural companies: the importance of environmental preservation in front of economic development

Thâmara Gomes Passos Rocha Melo, Osires de Medeiros Melo Neto, Gustavo Correia Basto da Silva, Marana Sotero de Sousa

Abstract


This study deals with the analysis of rural companies showing the importance of environmental preservation in the face of economic development. The objective is to analyze this scenario of environmental relevance amid the negative impacts that may be caused with the use of innovative technologies and the irresponsible management of natural resources, looking for sustainable alternatives to change this scenario. As for the methodology employed, it uses the deductive approach method, the methods of interpretive and dialectical procedure, and the techniques of bibliographic and documentary research. The present research elucidates an alternative agriculture to replace the modern one that is, based on mechanisms that reduce the impacts to the environment and develop economically. In sequence, it shows the application of sustainable management in rural companies in order to become sustainable enterprises. Such application is analyzed based on the need for sustainable practices that promote economic development and preserve the environment. Therefore, it concludes that, based on the application of sustainability, rural companies that use sustainable mechanisms in their production process are able to meet the demands while conserving the environment and still develop economically, being able to be applied in companies rural areas.


Keywords


Rural Company; Sustainable agriculture; Economic development.

References


Almeida, F. (2002). O bom negócio da sustentabilidade. São Paulo: Nova Fronteira.

Altieri, M.; Toledo, V. (2011). The agroecological revolution in Latin America: rescuing nature, ensuring food sovereignty and empowering peasants. The Journal of Peasant Studies, 38(3), 587-612.

Aubert, C. L. (1981). ‘’ Palestra’’ in: Anais do Primeiro Encontro Brasileiro de Agricultura Alternativa, Curitiba, Paraná, 161-178.

Braga, B. (2005). Introdução à Engenharia Ambiental: O desafio do Desenvolvimento Sustentável. São Paulo. Ed. Pearson.

Bockman, O. C. et al. (1990). Agriculture et Fertilisation. Oslo. Ed. Norsh Hydro.

Bonilla, J. A. (1992). Fundamentos da agricultura ecológica: sobrevivência e qualidade de vida. São Paulo. Nobel.

Buainain, A. M.; Garcia, J. R. (2015). Evolução recente do agronegócio no Cerrado Nordestino. Estudos Sociedade e Agricultura (UFRRJ), 23, 166-195.

Caporal, F. R. (2009). Em defesa de um Plano Nacional de Transição Agroecológica: Compromisso com as Atuais e nosso Legado para as Gerações Futuras. Brasília. MDA/SAF.

Coral, E. (2002). Modelo de planejamento estratégico para a sustentabilidade empresarial. Tese (Doutorado em Engenharia da Produção) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis – SC, 2002.

De Silguy, C. (1991) - L'agriculture biologique - Que Sais-je? - PUF, Paris.

Dias, R. (2009). Gestão ambiental: responsabilidade social e sustentabilidade. São Paulo. Atlas.

Donaire, D. (1999). Gestão Ambiental na Empresa. São Paulo. Atlas.

Ehlers, E. M. (1994). O que se entende por agricultura sustentável? Dissertação de Mestrado em Ciência Ambiental. Ciência Ambiental. USP. São Paulo.

Elkington, J. (2012). Sustentabilidade. Canibais com Garfo e Faca. São Paulo. M. Books do Brasil Editora Ltda.

Flores, J. G. (1991). Aproximación interpretativa al contenido de la información textual. In:

Flores, J. G. Analisis de datos cualitativos - aplicaciones a la investigación educativa. Barcelona. PPU.

Galinkin, M.; Bley, C. (2009). Agroenergia da biomassa residual: perspectivas energéticas, socioeconômicas e ambientais. Foz do guaçu/Brasília. Itaipu Binacional, Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação.

Gasquez, J. G. (2013). Brasil desempenha papel de destaque no agronegócio mundial. Globo Ecologia. Acesso em 02 de outubro, em http://redeglobo.globo.com/globoecologia/noticia/2013/06/brasil-desempenha-papel-de-destaque-no-agronegocio-mundial.html.

Gerlach, A. (2003). Sustainable entrepreneurship and innovation, Centre for Sustainability Management, University of Lueneburg. Proceedings of the Conference Corporate Social Responsibility and Environmental Management. Leeds, UK.

Gobble, M. M. (2012). Innovation and sustainability. Research Technology Management, 55(5), 6.

Hockerts, K.; Wüstenhagen, R. (2010). Golias esverdeados versus davids emergentes - teorizando sobre o papel dos titulares e novos entrantes no empreendedorismo sustentável. Journal of Business Venturing, 25(5), 481-492.

Koepf, H. H.; Petterson, B. D.; Schaumann, W. (1983). Agricultura biodinâmica. São Paulo. Nobel.

Kramer, M. R.; Porter, M. E. (2011). A grande idéia: criando valor compartilhado. Harvard Bussiness Review, 89(1), 1-2.

Kuckertz, A.; Wagner, M. (2010). A influência da orientação sobre sustentabilidade nas intenções empresariais - investigando o papel da experiência nos negócios. Journal of Business Venturing, 25(5), 524-539.

Mapa. (2016). Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento. Brasil – Projeções do Agronegócio 2015/2016 a 2025/2026. Brasília. MAPA.

Maranhão, R. L. A.; Vieira Filho, J. E. R. (2016). A dinâmica do crescimento das exportações do agronegócio brasileiro. Brasília. Ipea.

Meleti, M. V.; Fadel, B.; Smith, M. (2012). Perspectiva sistêmica da sustentabilidade nas organizações sob a ótica da cultura organizacional e sua repercussão no desenvolvimento regional. Revista Gestão & Conhecimento.

Ministério da Agricultura. (2013). Setores da Economia. Agronegócio. Acesso em 03 de abril em http://www.brasil.gov.br/sobre/economia/setores-da-economia/agronegocio.

Ministério da Fazenda. (2013). País tem crescimento em todas as modalidades da economia. Acesso em 02 de outubro em: http://www.fazenda.gov.br/noticias/2013/agosto/201cpais-tem-crescimento-em-todas-as-modalidades-da-economia201d-diz-mantega.

Miyasaka, S. (1993). Agricultura natural: um caminho para a sustentabilidade. São Paulo. Associação Mokiti Okada.

Nascimento, R. M.; Caetano, R.; Gimenez, H. C. (2010). Sustentabilidade como estratégia para o sucesso empresarial: Um caso aplicado pela Faber Castell. Especiais, meio ambiente e ecologia, sustentabilidade. UNIP.

Patzelt, H.; Shepherd, D. A. (2011). Reconhecendo oportunidades para o desenvolvimento sustentável. Teoria e Prática do Empreendedorismo, 35(4), 631-652.

Relatório anual natura. (2007). Acesso em 02 de outubro em https://natu.infoinvest.com.br/ptb/3893/ReltorioAnual2007.pdf.

Relatório anual natura. (2017). Acesso em 02 de outubro em https://natu.infoinvest.com.br/ptb/6628/Natura-RA-GRI-2017.pdf.

Relatório anual natura. (2018). Acesso em 02 de outubro em https://natu.infoinvest.com.br/ptb/7117/Relatorio_Anual_Natura_2018.pdf.

Sambiase, M. F., Franklin, M. A., & Teixeira, J. A. (2013). Inovação para o desenvolvimento sustentável como fator de competitividade para as organizações: um estudo de caso Duratex. Innovation and Management Review, 10(2), 144-168.

Schaltegger, S.; Wagner, M. (2011). Empreendedorismo sustentável e inovação em sustentabilidade: categorias e interações. Estratégia de Negócios e Meio Ambiente, 20(4), 222-237.

Soares, A. M. D, Braga, A. M. (1997). Formação profissional e demandas sociais. Educação Agrícola, (165), 5-8.

Telles, C. R. (2016). Análise de proporção entre o número de publicações, diagramação e os valores praticados por veículos de comunicação impressos: possibilidades de redução de despesas. Curitiba. SEEDPR.

Thompson, N., Kiefer, K., & York, J. G.(2011). Distinctions not dichotomies: exploring social, sustainable, and environmental entrepreneurship. In: LUMPKIN, G. T.; KATZ, J. A. (Eds.), Social and sustainable entrepreneurship - advances in entrepreneurship, firm emergence and growth, 13, 201-229.

Tokarnia, C. H.; Canella, C. F. C.; Dobereiner, J. (1961). Intoxicação por um “tingui” (Mascagnia rígida Griseb) em bovinos no Nordeste do Brasil. Instituto de Biologia Animal, (4), 203-215.

VellanI, C. L. (2011). Contabilidade e Responsabilidade Social: Integrando Desempenho Econômico, Social e Ecológico. São Paulo. Atlas.




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i4.3007

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Redalyc, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com
Facebook: https://www.facebook.com/Research-Society-and-Development-563420457493356