Teaching nutritional education in the initial training of nutritionists: a brief review

Daniel Pinheiro Fernandes, Magno Marcio de Lima Pontes

Abstract


Nutritional Education is fundamental in the training of nutritionist professionals, given its pedagogical focus on modifying the eating behavior of specific individuals or groups, and its extremely important contribution to the understanding of the socio-cultural, economic and demographic phenomena that influence food. In this sense, this article sought to highlight the role of Nutrition Education teaching in the initial training of nutritionists. To this end, a bibliographical and exploratory survey was carried out on the Google Scholar databases and Catalog of Theses and Dissertations from the Coordination for the Improvement of Higher Education Personnel (CAPES), as well as books and documents related to Teaching and Nutritional Education. According to the results, it is seen that the nutritionist acts primarily as an educator, regardless of his area of activity, seeking change and maintaining healthy behavior. It has been seen that Nutritional Education, especially in practical activities, stimulates students' critical-reflective thinking, making learning based not only on the assimilation of content and later on the insertion of their practice, but also on the elaboration of their own ideas. However, it was noticed, from the analysis, that this discipline has been neglected, as it has a low workload in relation to others, not presenting substantial practical activities, in addition to being considered “light” and “funny” by most Thus, we consider that the teaching of Nutritional Education is a crucial part of the initial training of the nutritionist professional, as it acts as a stimulating factor for professional criticality and is related to interdisciplinary actions that cover the most varied areas of nutrition. Further research that shows this, given the scarcity of current studies on the subject.


Keywords


Nutritional Education; Teaching; Initial formation; Nutritionist.

References


Boog, M.C.F. (1999). Educação nutricional em serviços públicos de saúde. In Cad. Saúde Pública (15th ed., pp. 139-147). Rio de Janeiro.

Boog, M.C.F. (1996), Educação Nutricional em Serviços Públicos de Saúde: busca de espaço para ação afetiva, Dissertação (Doutorado em Saúde Pública) – Universidade De São Paulo, Faculdade de Saúde Pública, São Paulo, Brasil. Disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/6/6135/tde-20022018 172455/publico/DR_293_Boog_1996.pdf.

Burgess, A. & Dean, R.F.A. (1963). Education Nutritional. In Organización Panamericana de la Salud (Ed), La malnutrition y los hábitos alimentários (pp. 26-106). Washington DC: OPAS – Publicación Científica.

Cerqueira, M.T. (1985). Educaclon en Nutricion, Metas y Metodologia. Bol Of Sanit Panam, 99(5), 1-12.

Cervato-Mancuso, A.M. (2016). Educação Alimentar e Nutricional como prática de intervenção. Revista de Saúde Coletiva, 26(1), 225-249.

Conselho Nacional De Educação. Resolução CNE/CES 5/2001 (2001). Seção 1, p. 39, Brasília.

Costa, N.M.S.C. (2009). Formação pedagógica de professores de nutrição: uma omissão consentida? Rev. Nutr, 22(1), 97-104.

Diez-Garcia, R.W & Cervato-mancuso, A.N. (2016). Mudanças alimentares e Educação nutricional. (1 ed.). Rio de Janeiro: Ed Guanabara Koogan.

Freire, P. (1987). Pedagogia do Oprimido. (17 ed.). Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Freire, P. (1985). Educação e Mudança. (12 ed.). Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Freire, P. (1967). Educação como prática da liberdade. (1405 ex.). Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Galisa, M.S. (2015). Educação alimentar e nutricional: da teoria à prática. (1 ed.). Vila Maria - SP: Roca.

Guimarães, M.M. (2017). Matriz De Habilidades E Competências Para A Formação Do Nutricionista Como Instrumento De Avaliação Do Projeto Pedagógico Do Curso. Rev. Eletr. Farm. 14(1), 23-31.

Liden, S. (2011). Educação Alimentar e Nutricional: algumas ferramentas de ensino. (2 ed.). São Paulo: Livraria Varela.

Luz, M.M.A. (2015), A formação do profissional nutricionista na percepção do docente, Comunicação Saúde Educação; 19(54): 589-601.

Machado, V. C. (2014), FORMAÇÃO DE NUTRICIONISTAS: Uma discussão a partir da análise e interpretação das significações constituídas pelo discente nas atividades de estágio curricular, Tese (Educação: Psicologia em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Miranda, S.M.R.C & Malagutti, W. (2010). Educação em Saúde. (1 ed.). São Paulo: Phorte.

Motta, D.G. da (2003). A formação Universitária em Nutrição. Pro-Posições-UNICAMP, 14(1), 69-85.

Reboul, O. (1974). Filosofia da Educação. (1 ed.). São Paulo: Nacional/EDUSP.

Rezende, E. G. et. al. (2011) Educação Nutricional e a cultura como questão, Ponto-e-Vírgula: Revista de Ciências Sociais, 10(1) p. 89-100.

Santos, J.C.R. (2017). Metodologias ativas e interdisciplinaridade na formação do nutricionista. Semina: Ciências Sociais e Humanas, 38(1), 117-128.

Taddei, J.A.A.C. (2016). Nutrição em Saúde Pública. (2 ed.). Rio de Janeiro: Rubio.




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i4.2955

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com