Nurse's activities in the pre-hospital care services: potentialities, fragilities and perspectives

Luis Calvo Pereira, Paloma Horbach da Rosa, Claudia Zamberlan, Karine de Freitas Cáceres Machado, Silomar Ilha

Abstract


This study aimed to identify the potentialities and weaknesses experienced by the nurse in the daily work in the prehospital care service, as well as the perspectives of the nurses related to the future of the professional category, in this context. It is an a qualitative, exploratory-descriptive study was carried out with four nurses who worked in the prehospital care service and five residents of a Professional Residency Program in Nursing in Emergency/Trauma, who practiced in a prehospital care service in the state of Rio Grande do Sul. The data collected between August and September of 2018, through a semi-structured interview, were submitted to discursive textual analysis, resulting in three categories emerged: Fragilities experienced/perceived by nurses in Pre-Hospital Care; Potentialities experienced/perceived by nurses in Pre-Hospital Care; Expectations for the future of the nurses' performance in Pre-Hospital Care, which resulted in nine subcategories. It is concluded that from these data, strategies can be thought of in the study scenario, with a view to the quality of Pre-Hospital Care.


Keywords


Emergency relief; Prehospital care; Nursing in emergency

References


Amorin, L. K. A., Souza, N. V. D. O., Pires, A. S., Ferreira, E. S., Souza, M. B. & Vonk, A. C. R. P. (2017). O trabalho do enfermeiro: reconhecimento e valorização profissional da visão do usuário. Rev Enferm UFPE on line, 11(5), 1918-1925. Recuperado de https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/viewFile/23341/18946

Andrade, T. F. & Silva, M. M. J. (2019). Características dos enfermeiros no atendimento pré-hospitalar: concepções sobre a formação e exercício profissional. Enferm. Foco, 10(1), 81-86. Recuperado de http://revista.cofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/view/1444/500

Bonfada, M. S., Pinno, C. & Camponogara, S. (2018). Potencialidades e limites da autonomia do enfermeiro em ambiente hospitalar. Rev Enferm UFPE on line, 12(8), 2235-2246. Recuperado de https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/234915/29743

Brasil. (2006). Política Nacional de Atenção as Urgências. Ministério da Saúde. 3. ed. ampl. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2006. Recuperado de http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_atencao_urgencias_3ed.pdf

Brasil. (2011). Ministério da Saúde. Gabinete do Ministro. Portaria nº 1.600, de 7 de julho de 2011. Brasília. recuperado de http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2011/prt1600_07_07_2011.html

Brasil. (2012). Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 466 de 12 de dezembro de 2012: Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa em seres humanos. Recuperado de http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2013/res0466_12_12_2012.html

Campos, R. M., Farias, G. M. & Ramos, C.S. (2009). Satisfação profissional da equipe de enfermagem do SAMU/Natal. Rev Elet Enf, 11(3), 647-657. Recuperado de http://www.fen.ufg.br/revista/v11/n3/v11n3a24.htm

Conselho Federal de Enfermagem (COFEn). (2017). Resolução n° 551 de 2017. Brasília Recuperado de http://www.cofen.gov.br/resolucao-cofen-no-05512017_52662.html

Conselho Federal de Enfermagem (COFEn). (2018). Resolução n° 581 de 2018. Brasília. Recuperado de http://www.cofen.gov.br/resolucao-cofen-no-581-2018_64383.html

Costa, R., Locks, M. O. H. & Girondi, J. B. R. (2016). Pesquisa exploratória descritiva. In: Lacerda, M. R., Costenaro, R. G. S. Metodologias da Pesquisa para a Enfermagem e Saúde. 1ª ed. Porto Alegre: Moriá Editora, p. 273-289.

Dal Pai, D., Lima, M. A. D. S., Abreu, K. P., Zucatti, P. B. & Lautert, L. (2015). Equipes e condições de trabalho nos serviços de atendimento pré-hospitalar móvel: revisão integrativa. Rev. eletrônica enferm,17(4), 12p. Recuperado de https://www.fen.ufg.br/revista/v17/n4/pdf/v17n4a21.pdf

Fernandes, M. N. F., Esteves, R. B., Teixeira, C. A. B., Gherardi-Donato, E. C. S. (2018). O presente e o futura da enfermagem no Admirável Mundo Novo. Rev Esc Enferm USP, 52, e03356. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v52/1980-220X-reeusp-52-e03356.pdf

Leite, H. D. C. S., Carvalho, M. T. R., Cariman, S. L. S., Araújo, E. R. M., Silva & N. C., Carvalho, A. O. (2016) Risco ocupacional entre profissionais de saúde do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU. Enferm Foco, 7(3/4), 31-35.

Luchtemberg, M. N. & Pires, D. E. P. (2016). Enfermeiros do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência: perfil e atividades desenvolvidas. Rev Bras Enferm, 69(2), 213-220. Recuperado de http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167.2016690202i

Mata, K. S. S., Ribeiro, I. A. P., Pereira, P. S. L., Nascimento, M. V. F., Carvalho, G. C. N., Macedo, J. B., Santos, W. N. & Pereira, K. L. A. (2018). Entraves do atendimento pré-hospitalar do SAMU: percepção dos enfermeiros. Rev Enferm UFPE on line, 2(8), 2137-2145. Recuperado de https://doi.org/10.5205/1981-8963-v12i8a236537p2137-2145-2018

Moraes, R., Galiazzi, M. C. (2011). Análise textual discursiva. 2ª ed. Ijuí: Editora Unijuí.

O’Dwyer, G., Konder, M. T., Reciputti, L. P., Macedo, C. & Lopes, M. G. M. (2017). O processo de implantação do serviço de Atendimento Móvel de Urgência no Brasil: estratégias de ação e dimensões estruturais. Cad. Saúde Pública, 33(7), e00043716.

Peres, P. S. Q., Camponogara, E. L. A. S., Pilau, C. O. B., Menezes, L. P. & Kaefer, C. T. (2018). Atuação do enfermeiro em um serviço de atendimento pré-hospitalar privado. Rev. pesqui. cuid. Fundam, 10(2), 413-422.

Ponte, K. M. A., Moraes, M. V. A., Sabóia, E. C. M. & Farias, M. S. (2017). Qualidade de vida de enfermeiros do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência com dupla jornada de trabalho. J Health Sci, 19(2),103-8.

Silva, A. M. S. M. & Invenção, A. S. (2018). A atuação do enfermeiro no atendimento de urgência e emergência. Revista UNILUS Ensino e Pesquisa, 15(39), 1-9.

Sousa, F. G. M., Erdmann, A. L. & Magalhães, A. L. P. (2016). Contornos conceituais e estruturais da pesquisa qualitativa. In: Lacerda, M. R., Costenaro, R. G. S. Metodologias da Pesquisa para a Enfermagem e Saúde. 1ª ed. Porto Alegre: Moriá Editora, p. 99-122.




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i4.2926

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Redalyc, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com
Facebook: https://www.facebook.com/Research-Society-and-Development-563420457493356