Rescuing the culture of home births: an integrative literature review

Maiza Leal Medeiros, Tamyles Morais dos Santos, Maguida Patrícia Lacerda Cordeiro Oliveira, Antonio Werbert Silva da Costa, Eimar Neri de Oliveira, Maria Albertina Ribeiro Silva, Rosivalda Ferreira de Oliveira

Abstract


The study aims to analyze the scientific evidence on home birth and how the work of nurses is developing in their daily lives. It is an integrative review of the literature through research in the Virtual Health Library (VHL) with pre-selected descriptors, obtaining studies indexed in the LILACS, MEDLINE and BDENF databases from 1998 to the first half of 2017. Twelve articles were found, divided by similarity and used as a basis for the creation of 3 categories for discussion: I Historical and Cultural Restitution of Home Delivery: transition to institutionalized delivery, with 3 articles; II Performance of Obstetric Nurses in Home Delivery, with 5 articles; and III The choice for home delivery and the role of the nurse in strengthening it, with 4 articles. The detailed reading of the articles allowed us to observe that home birth has been approached as a channel of trust by the woman with herself and with the professional, since both become responsible for making decisions regarding the planning of their care, so that the woman participates actively and is the protagonist of their delivery.

The study aims to analyze the scientific evidence on home birth and how the work of nurses is developing in their daily lives. It is an integrative review of the literature through research in the Virtual Health Library (VHL) with pre-selected descriptors, obtaining studies indexed in the LILACS, MEDLINE and BDENF databases from 1998 to the first half of 2017. Twelve articles were found, divided by similarity and used as a basis for the creation of 3 categories for discussion: I Historical and Cultural Restitution of Home Delivery: transition to institutionalized delivery, with 3 articles; II Performance of Obstetric Nurses in Home Delivery, with 5 articles; and III The choice for home delivery and the role of the nurse in strengthening it, with 4 articles. The detailed reading of the articles allowed us to observe that home birth has been approached as a channel of trust by the woman with herself and with the professional, since both become responsible for making decisions regarding the planning of their care, so that the woman participates actively and is the protagonist of their delivery.


Keywords


Home delivery; Nursing; Obstetric nurse.

References


Acker, J. I. B. V., Annoni, F., Carreno, I., Hahn, G. V., & Medeiros, C. R. G. (2006). As parteiras e o cuidado com o nascimento. Revista Brasileira de Enfermagem, 59(5), 647-651.

Ackermann-Liebrich, U., Voegeli, T., Gunter-Witt, K., Kunz, I., Zullig, M., Schindler, C., ... & Zurich Study Team. (1996). Home versus hospital deliveries: follow up study of matched pairs for procedures and outcome. Bmj, 313(7068), 1313-1318.

Agência Nacional de Saúde Complementar. (2008). O modelo de atenção obstétrica no setor de saúde suplementar no Brasil: cenários e perspectivas.

Azevedo, L. G. F. (2008). Estratégias de luta das enfermeiras obstétricas para manter o modelo desmedicalizado na Casa de Parto David Capistrano Filho [dissertação]. Rio de Janeiro (RJ): Faculdade de Enfermagem, Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Barcellos, R. M. G. (2005). A infra-estrutura física na humanização do parto. Rattner D, Trench B, organizadores. Humanizando nascimentos e partos. São Paulo: Editora Senac.

Cechin, P. L. (2002). Reflexões sobre o resgate do parto natural na era da tecnologia. Revista Brasileira de Enfermagem, 55(4), 444-448.

Davim, R. M. B., & Menezes, R. M. P. D. (2001). Assistência ao parto normal no domicílio. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 9(6), 62-68.

Davis Floyd, R. (2001). The technocratic, humanistic, and holistic paradigms of childbirth. International Journal of Gynecology & Obstetrics, 75, S5-S23.

Eason, E., & Feldman, P. (2000). Much ado about a little cut: is episiotomy worthwhile?. Obstetrics & Gynecology, 95(4), 616-618.

Feyer, I. S. S., Monticelli, M., Volkmer, C., & Burigo, R. A. (2013). Publicações científicas brasileiras de enfermeiras obstétricas sobre parto domiciliar: revisão sistemática de literatura. Texto & Contexto Enfermagem, 22(1), 247-256.

Gualda, D. A experiência, o significado e a realidade da enfermeira obstetra: um estudo de caso. São Paulo, 1998 (Doctoral dissertation, Tese (Livre Docência)-Escola de Enfermagem, Universidade de São Paulo).

Hotimski, S. N. (1997). Lidando com a dor no trabalho de parto. Editorial. Genp.

Koettker, J. G., Collaço, V. S., Feyer, I. S., & Burigo, R. A. (2008). Hanami: o florescer da vida-enfermeiras no atendimento ao parto domiciliar planejado. In CONGRESSO SULBRASILEIRO DE ALEITAMENTO MATERNO E BANCOS DE LEITE HUMANO-NASCIMENTO E AMAMENTAÇÃO: DESAFIOS PARA O 3º MILÊNIO, I.

Kruno, R. B., & Bonilha, A. L. D. L. (2004). Parto no domicílio na voz das mulheres: uma perspectiva à luz da humanização. Revista gaúcha de enfermagem= Revista gaucha de enfermería= Nursing journal of Rio Grande do Sul. Porto Alegre. Vol. 25, n. 3 (dez., 2004), p. 396-407.

Leal, M. D. C., Pereira, A. P. E., Domingues, R. M. S. M., Filha, M. M. T., Dias, M. A. B., Nakamura-Pereira, M., ... & Gama, S. G. N. D. (2014). Intervenções obstétricas durante o trabalho de parto e parto em mulheres brasileiras de risco habitual. Cadernos de Saúde Pública, 30, S17-S32.

Maia, M. B. (2010). Humanização do parto: política pública, comportamento organizacional e ethos profissional. Editora Fiocruz.

Medeiros, R. M. K., Santos, I. M. M. D., & Silva, L. R. D. (2008). A escolha pelo parto domiciliar: história de vida de mulheres que vivenciaram esta experiência. Escola Anna Nery, 12(4), 765-772.

Mendes, K. D. S., Silveira, R. C. D. C. P., & Galvão, C. M. (2008). Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto & Contexto-Enfermagem, 17(4), 758-764.

Milbrath, V. M., Amestoy, S. C., Soares, D. C., & Siqueira, H. C. H. D. (2010). Vivências maternas sobre a assistência recebida no processo de parturição. Escola Anna Nery, 14(3), 462-467.

Monticelli, M. (1997). Nascimento: como um rito de passagem: abordagem para o cuidado as mulheres e recem-nascidos. Robe.

Moreira, T. M. M., Viana, D. D. S., Queiroz, M. V. O., & Jorge, M. S. B. (2008). Conflitos vivenciados pelas adolescentes com a descoberta da gravidez. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 42(2), 312-320.

Nakano, A. M. S., & Mamede, M. V. (1994). O significado do parto na visão de casais grávidos. Revista Brasileira de Enfermagem, 47(2), 118-123.

Notas sobre nascimento e parto (1997). Editorial. Genp, outubro; 2(4).

de Oliveira, A. S. S., Rodrigues, D. P., Guedes, M. V. C., & Felipe, G. F. (2010). Percepção de mulheres sobre a vivência do trabalho de parto e parto. Revista da Rede de Enfermagem do Nordeste, 11, 32-41.

Organização Mundial da Saúde (1996). Assis¬tência ao parto normal: um guia prático. Genebra.

Pereira, A. L. D. F., & Moura, M. A. V. (2009). Hegemonia e contra-hegemonia no processo de implantação da Casa de Parto no Rio de Janeiro. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 43(4), 872-879.

Progianti, J. M., & da Costa Vargens, O. M. (2004). As enfermeiras obstétricas frente ao uso de tecnologias não invasivas de cuidado como estratégias na desmedicalização do parto. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, 8(2), 194-197.

Resende, J. (2005). Obstetrícia. 10ªed. Rio de Janeiro (RJ): Guanabara Koogan.

Rezende, J. (2011). Obstetrícia fundamental. 12th ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.

Sanfelice, C. F. D. O., Abbud, F. D. S. F., Pregnolatto, O. S., Silva, M. G. D., & Shimo, A. K. K. (2014). Do parto institucionalizado ao parto domiciliar. Rev. Rene, 362-370.

Souza, H. R. (2005). A arte de nascer em casa: um olhar antropológico sobre a ética, a estética e a sociabilidade no parto domiciliar contemporâneo. Disertação de Mestrado UFSC.

Souza, Z. N. R., da Rosa, M. C., & Bastiani, J. D. A. N. (2011). Maternidade: percepções de gestantes primíparas usuárias do Serviço Básico de Saúde. Health Sci Inst. 29(4):272-5.

Torres, J. A., Santos, I. D., & Vargens, O. M. D. C. (2008). Construindo uma concepção de tecnologia de cuidado de enfermagem obstétrica: estudo sociopoético. Texto & Contexto-Enfermagem, 17(4), 656-664.

Tosi, L. (1998). Mulher e ciência: a revolução científica, a caça às bruxas e a ciência moderna. cadernos pagu, (10), 369-397.




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i4.2792

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Redalyc, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com
Facebook: https://www.facebook.com/Research-Society-and-Development-563420457493356