Quality of life in a long-term care facility for the elderly in Santa Maria: an experience report

Gabriela Silveira Soares, Júlia Katzer Pedroso, Luiza Müller Rubert, Márcia Goularte Marques, Ynaiara Melo Ferreira, Raquel Flores de Lima Rodrigues, Janaína Pereira Pretto Carlesso

Abstract


This research refers to an experience report of qualitative approach, elaborated in the disciplines of Scientific Writing I and Research in Psychology and Psychology of Adulthood and Old Age. It aimed to analyze the quality of life of the elderly in a rest home institution in the city of Santa Maria-RS, through the observation of interpersonal relationships, aspects related to mental health and promote an intervention according to the aspects analyzed. Data analysis was performed a posteriori using the Content Analysis method recorded in a field diary. The results of this research indicate that although the structural conditions of the asylum are satisfactory, there is still a deficit regarding psychological support to the elderly, which can bring negative points to their lives, reducing their quality of life.


Keywords


Aging; Institutionalized elderly; Well being.

References


Alves, M. B., Menezes, M. R., Felzemburg, R. D. M., Silva, V. A., & Amaral, J. B. (2017). Instituições de longa permanência para idosos: aspectos físico-estruturais e organizacionais. Escola Anna Nery, Rio de Janeiro, 21(4), 1-8. Recuperado de: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414-81452017000400213&script=sci_abstract&tlng =pt.

Alves-Silva, J. D., Scorsolini-Comin, F., & Santos, M. A. (2013). Idosos em instituições de longa permanência: desenvolvimento, condições de vida e saúde. Psicologia: Reflexão e Crítica, 26(4), 820-830. https://dx.doi.org/10.1590/S0102-79722013000400023

Araújo, L. F., Coelho, C. G., Mendonça, E. T., Vaz, A. V. M., Siqueira-Batista, R., & Cotta, R. M. M. (2011). Evidências da contribuição dos programas de assistência ao idoso na promoção do envelhecimento saudável no Brasil. Revista Panamericana Salud Pública, 30(01), 80-6. Recuperado de: https://scielosp.org/article/rpsp/2011.v30n1/80-86/pt/.

Lei nº 10.741 de 1º de outubro de 2003. Dispõe sobre o Estatuto do Idoso e dá outras providências. Recuperado de: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.741.htm.

Bardin, L. (2010). Análise de conteúdo (4a ed.). Lisboa: Edições 70.

Bentes, A. C. O., Pedroso, J. S., & Maciel, C. A. B. (2012). O idoso nas instituições de longa permanência: uma revisão bibliográfica. Aletheia, (38-39), 196-205. Recuperado de: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-03942012000200016&lng=pt&tlng=pt.

Freitas, A.V. S., & Noronha, C. V. (2010). Elderly people in long-term institutions: speaking

about care. Interface - Comunic., Saúde, Educ., 14 (33), 359-69.

Gill, A. C. (2010). Como elaborar projetos de pesquisa (5a ed.). São Paulo: Atlas.

Gill, A. C. (2006). Métodos e técnicas de pesquisa social (5a ed.). São Paulo: Atlas.

Goffman, E. (1987). Manicômios, prisões e conventos (2a ed.). São Paulo: Perspectiva.

Gonçalves, N. T. S. Idosos e a psicanálise. (2005). In: J. Outeiral et al. (Org.). Winnicott: seminários brasileiros (cap 17. pp 129-138). Rio de Janeiro: Livraria e Editora Revinter Ltda.

Guedes, M. B. O. G. et al. (2017). Apoio social e o cuidado integral à saúde do idoso. Physis: Revista de Saúde Coletiva, 27(4), 1185-1204. Recuperado de: http://www.scielo.br/pdf/physis/v27n4/0103-7331-physis-27-04-01185.pdf.

Hartmann, J. A. S. (2012). Depressão em idosos institucionalizados: características clínicas, variáveis psicossociais e qualidade de vida (Tese de doutorado). Universidade Federal de Pernambuco. Recife, Pernambuco, Brasil. Recuperado de: https://repositorio.ufpe.br/bitstream/123456789/20171/1/2012-tese-Jos%C3%A9AntonioSpencerHartmann.pdf.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatistica. (2018). Projeção da População: revisão 2018 (2a ed.). Rio de Janeiro: IBGE. Recuperado de: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101597.pdf

May, T. (2004). Pesquisa social: Questões, métodos e processos (3a ed.). Porto Alegre: Artmed.

Minayo, M. C. S. (org.). (2001). Pesquisa social: Teoria, método e criatividade (18a ed.). Petrópolis: Vozes.

Minayo, M. C. de S; Hartz, Z. M. A., & Buss, P. M. (2000). Qualidade de vida e saúde: um debate necessário. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, 5(1), 7-18. Recuperado de: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232000000100002&lng=en&nrm=iso.

Oliveira, R. C. S. (1999). Terceira idade: Do repensar dos limites aos sonhos possíveis. São Paulo: Paulinas.

Pereira, A.S., Shitsuka, D. M., Parreira F. J., & Shitsuka, R.( 2018). Metodologia do trabalho científico. [eBook]. Santa Maria: UAB / NTE / UFSM. Recuperado de: https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1.

Santos, G. A., & VAZ, C. E. (2008) Grupos da terceira idade, interação e participação social. In: A. V. Zannela et al. (Org.). Psicologia e práticas sociais [online]. (ed. cap. pp. 333-346) Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais. ISBN: 978-85-99662-87-8. Recuperado de: http://books.scielo.org/id/886qz/pdf/zanella-9788599662878-31.pdf.

Scherrer Júnior, G, Okuno, M. F. P., Oliveira, L. M., Barbosa, D. A., Alonso, A. C., Silva, A. G. (2019). Qualidade de vida de idosos institucionalizados com e sem sintomas de depressão. Revista Brasileira de Enfermagem, 72 (Suppl. 2), 127-133. Epub 05 de dezembro de 2019. Recuperado de: https://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2018-0316.

Silva, C. A. et al. Relacionamento de amizade na instituição asilar. (2006) Rev Gaúcha Enferm., 27(2), 274-283. Recuperado de: https://seer.ufrgs.br/RevistaGauchadeEnfermagem/article/view/4606/2526.

Rodrigues, N., Rauth, J. (2002). Os Desafios do Envelhecimento no Brasil. In: E. Freitas et al. Tratado de Geriatria e Gerontologia. (pp 333-346.) Rio de Janeiro: Editora Guanabara.

Rozendo, A. S., & Donadone, J. C. (2017). Políticas públicas e asilos de velhos: grau de dependência em idosos institucionalizados. Revista Kairós Gerontologia, 20(1), 299-309. São Paulo, Brasil. Recuperado de: https://revistas.pucsp.br/kairos/article/view/2176-901X.2017v20i1p299-309/23085.

Toldrá, R. C. et al. Promoção da saúde e da qualidade de vida com idosos por meio de práticas corporais. (2014) O Mundo da Saúde, São Paulo, 38(02), 159-168. Recuperado de: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/artigos/mundo_saude/promocao_saude_qualidade_vida_idosos.pdf.

Vargas, N. S. (2012). Conjugalidade e envelhecimento. In: F. G. Kaufman. Novo velho: envelhecimento, olhares e perspectivas. (1a ed. cap.8 pp.228-245). São Paulo: Casa do Psicólogo.

Zimerman, G. I. Velhice: aspectos biopsicossociais. (2000) Porto Alegre: Artmed.




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i4.2766

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Redalyc, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com
Facebook: https://www.facebook.com/Research-Society-and-Development-563420457493356