Semiautomatic and quantification identification of deforestation by Remote Sensing

Diego Lanza Lima, Teodorico Sobrinho Alves, Ana Paula Garcia Oliveira, Thais Gisele Torres Catalani, Fabrício Bau Dalmas, Antonio Conceição Paranhos Filho

Abstract


Deforestation has followed population’s growth and development for thousands of years. Climate, culture, technology and commerce have influence on the acceleration or deceleration of the pace of deforestation. It is estimated that approximately 50% of the Cerrado (savanna) biome area has already been cleared to make way for agricultural fields, pasturelands and urban areas. Aiming to disseminate the current simplified deforestation detection procedures, generally performed manually by photointerpretation of satellite images, this study presents, tests and validates the hypothesis that it is possible to perform the monitoring by mathematical operations between thematic maps of remnant vegetation. A case study performed in a 3,865Km2 area, where the variation of vegetation cover was studied using satellite imagery Landsat 5 TM and Geographic Information Systems (GIS), showed that it is possible to carry out the proposed procedure with accurate results and in less time than the one needed for photointerpretation technique. The objective of this research was to quantitatively evaluate the area covered with vegetation in the municipality of São Gabriel do Oeste, for the years 1999 and 2009, through the elaboration of Remaining Vegetation Maps, a product of remote sensing techniques in the PCI Geomatica Focus software.


Keywords


Deforestation; Environmental Monitoring; Geographic Information Systems.

References


Bernardes, T., Alves, H. M. R., Vieira, T. G. C. & Andrade, H. (2007). Avaliação da acurácia do mapeamento do uso da terra no complexo Serra Negra, Patrocínio, MG, por interpretação visual e classificação automática de imagens Landsat. In: XIII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto. Santa Catarina: Florianópolis, p. 5587 - 5594. Abril de 2007.

Brasil. (1981) Lei N° 6.938, de 31 de agosto de 1981: Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências. Brasília, Acesso em janeiro de 2020. Disponível em: .

Brasil. (1990). Decreto n° 99.274, de 06 de junho de 1990: Regulamenta a Lei n° 6.902, de 27 de Abril de 1981, e a Lei n° 6.938, de 31 de Agosto de 1981, que dispõem, respectivamente, sobre a criação de Estações Ecológicas e Áreas de Proteção Ambiental e sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, e dá outras providências. Brasília. Acesso em janeiro de 2020. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/Antigos/D99274.htm>.

Brasil. (2012). Lei N° 12.651, de 25 de maio de 2012: Dispõe sobre a proteção da vegetação nativa; altera as Leis nos 6.938, de 31 de agosto de 1981, 9.393, de 19 de dezembro de 1996, e 11.428, de 22 de dezembro de 2006; revoga as Leis nos 4.771, de 15 de setembro de 1965, e 7.754, de 14 de abril de 1989, e a Medida Provisória nº 2.166- 67, de 24 de agosto de 2001; e dá outras providências. Brasília. Acesso em janeiro de 2020. Disponível em: .

Food and Agriculture Organization of the United Nations . (2011). Global Forest Products Facts and Figures. Relatório técnico.

Food and Agriculture Organization of the United Nations (2012). State of the World’s Forests. Relatório técnico.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2006). Manual Técnico de Uso da Terra. 2 ed. Rio de Janeiro.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2010a). Indicadores de Desenvolvimento Sustentável. Rio de Janeiro.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2010b). IBGE Cidades. Acesso em: outubro de 2011. Disponível em: .

Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (2012). Projeto PRODES: Monitoramento da Floresta Amazônica Brasileira por Satélite. Acesso em janeiro de 2013. Disponível em .

Jensen, J. R. (2009). Sensoriamento remoto do ambiente: uma perspectiva em recursos terrestres. Tradução da 2ª edição por (pesquisadores do INPE): José Carlos N. Epiphanio (coordenador); Antonio R. Formaggio; Athos R. Santos; Bernardo F. T. Rudorff; Cláudia M. Almeida; Lênio S. Galvão. São José dos Campos: Parêntese, p. 672, 2009.

Klink, C.A.; Machado, R. B. (2005). A conservação do Cerrado brasileiro. Megadiversidade. Brasília, 1(1), 147-155.

Brasil. (2007a). Ministério do Meio Ambiente. Cerrado e pantanal: Áreas e Ações Prioritárias para Conservação da Biodiversidade. Brasília.

Brasil. (2007b). Ministério do Meio Ambiente. Relatório Final PROBIO: Subprojeto Mapeamento dos Biomas Brasileiros. Campinas.

Brasil. (2009). Ministério do Meio Ambiente. Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais. Relatório técnico de monitoramento do desmatamento no bioma Cerrado, 2002 a 2008: dados revisados. Brasília: MMA/IBAMA/CID. 69 p.

Brasil. (2010). Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul - NUGEO: Núcleo de Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto. Mato Grosso do Sul. Folder eletrônico. Acesso em janeiro de 2013. Disponível em: .

Paranhos Filho, A. C. (2000). Análise geo-ambiental multitemporal: O estudo de caso da região de Coxim e bacia do Taquarizinho. Tese de doutoramento. Curso de Pós-Graduação em Geologia. Universidade Federal do Paraná.

Paranhos Filho, A. C., Gamarra, R. M., Pagotto, T. C. S., Ferreira, T. da S., Torres, T. G. & Matos Filho, H. J. S. de. (2006). Sensoriamento Remoto do Complexo Aporé-Sucuriú. In: Teresa Cristina Stocco Pagotto; Paulo Robson de Souza. (Org.). Biodiversidade do Complexo Aporé-Sucuriú - Subsídios à conservação e manejo do bioma Cerrado. 1ed. Campo Grande: Editora UFMS6, pp. 31-44.

PCI Geomatics. (2003). Geomatica Focus/Geomática OrthoEngine. Versão 9.1 for Windows. Canadá.

Pereira, A.S. et al. (2018). Metodologia do trabalho científico. [eBook]. Santa Maria. Ed. UAB/NTE/UFSM. Available at: https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1. Accessed on: Feb. 23, 2020.

Richards, J. A.; Jia, X. (2006). Remote Sensing Digital Analysis. 4 ed. Australia: Springer, (2), 27 - 61.

Salinero, E. C. (2008). Teledetección Ambiental: La observación de la Tierra desde el Espacio. 3 ed. Espanha: Ariel Ciencia, Cap. 3 - 7, p. 87-475.

Vilela, T. A., Gottardo, T. V., Liu, W. T. H. & Vieira, C. A. O. (2009). Monitoramento do desmatamento e seus impactos nas mudanças climáticas na bacia do Rio Turvo Sujo. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SENSORIAMENTO REMOTO, 14. (SBSR), Natal. Anais... São José dos Campos: INPE, 2009. p. 1597-1604. DVD, On-line. ISBN 978-85-17-00044-7.

Williams, M. (2002). Deforesting the earth: from prehistory to global crisis. USA: University of Chicago Press.

Zhou, Q. (1999). Digital Image Processing and Interpretation. Hong Kong Baptist University. Department of Geography. China.




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i4.2721

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Redalyc, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com
Facebook: https://www.facebook.com/Research-Society-and-Development-563420457493356