Execution of strategies and safe practices in the prevention of pressure injuries

Bruno Bastos da Silva, Daniel Augusto da Silva

Abstract


Pressure injury is tissue destruction and death as a result of unrelieved soft tissue compression located between bony prominence and hard surface, decreasing circulation and consequent decrease in blood, nutrients and oxygen. Nursing, as a science of care, must perform actions that do not allow the development of pressure injuries to the patient under their responsibility, with attention to those who have movement limitations. Considering this important role, this study aims to analyze the implementation of strategies and safe practices in the prevention of pressure injuries in two health units, one for urgency and emergency and the other in a hospital in a city in the center-west of São Paulo. This is a cross-sectional study with a quantitative approach, carried out with members of the Nursing team. Data collection took place in November 2019, with an instrument developed by the authors and the Pieper Knowledge Test, and were analyzed by descriptive and inferential analysis using ANOVA 1 factor. In general terms, the final result of the test showed a statistically significant difference according to professional training (p = 0.017) and the health unit in operation (p = 0.003). Even if over 60%, mid-level nursing professionals demonstrate the need to improve knowledge on this topicThe nurse and the nursing team play important roles within health institutions. This study demonstrates that knowledge, according to the nursing class, was over 60%, with greater domain by nurses. Continuing and permanent education actions aimed at the theme of pressure injury prevention must be instituted at local institutional levels, which will reflect on improving quality and safety in health care actions.


Keywords


Pressure ulcer; Nursing care; Disease prevention.

References


Almeida, I. S., & Maia, L. F. S. (2015). Atuações do enfermeiro na prevenção de úlcera por pressão em idosos institucionalizados. Revista Recien (São Paulo), 5(13), 12-19.

Brasil. (2013). Protocolo para prevenção de úlcera por pressão. Brasília: Ministério da Saúde.

Caldini, L. N., Silva, R. A., Melo G. A. A., Pereira, F. G. F., Frota, N. M., & Caetano, J. A. (2017). Intervenções e resultados de enfermagem para risco de lesão por pressão em pacientes críticos. Rev Rene (Online), 18(5), 598-605.

Ferreira, J. D. L., Aguiar, E. S. S., Lima, C. L. J., Brito, K. K. G., Costa, M. M. L., & Soares, M. J. G. O. (2016). Ações preventivas para úlcera por pressão em idosos com declínio funcional de mobilidade física no âmbito domiciliar. ESTIMA, 14(1), 36-42.

Fernandes, L. M., Caliri, M. H. L., & Haas, V. J. (2008). Efeito de intervenções educativas no conhecimento dos profissionais de enfermagem sobre prevenção de úlceras pressão. Acta paul. enferm., 21(2), 305-311.

Fernandes, L. M., & Caliri, M. H. L. (2008). Uso da escala de braden e de glasgow para identificação do risco para úlceras de pressão em pacientes internados em centro de terapia intensiva. Rev. Latino-Am. Enfermagem, 16(6), 973-978.

Geovanini, T. (2014). Tratamento de feridas e curativos: Enfoque multiprofissional. In: Rodrigues, A. A. P., Haddad, V. C. D. N. Planejamento da assistência de enfermagem ao paciente com feridas. São Paulo: Rideel. p. 71-88

Guimarães, H. C. Q. P., Salotti, S. R. A., Bassoli, S. R. B., Oda, R. M., Gamba, M. A. (2016). Exame da pele e de seus anexos. In: Barros, A. L. B. L. Anamnese e exame físico: avaliação diagnóstica de enfermagem no adulto. Porto Alegre: Artmed. p. 431-446.

Moro, J. V., & Caliri, M. H. L. (2016). Úlcera por pressão após a alta hospitalar e o cuidado em domicílio. Esc. Anna Nery, 20(3), e20160058.

National Patient Safety Foundation. (2016). Livres de danos: acelerar a melhoria da segurança do paciente quinze anos depois de To Err Is Human. Acesso em 20 janeiro, em https://c.ymcdn.com/sites/npsf.site-ym.com/resource/resmgr/PDF/Free_from_Harm_portugues-br.pdf

Nishio, E. A., Baptista, M. A. D. C. S. (2009). Educação permanente em enfermagem: A evolução da educação continuada. In: Silva, G. M. Y. F., Lima, G. V. B., Baptista, M. A. D. C. S. Indicadores assistenciais como ferramenta para capacitação e treinamento. Rio de Janeiro: Elsevier. p. 137-152.

Pieper, B., & Mott, M. (1995). Nurses' knowledge of pressure ulcer prevention, staging, and description. Adv Wound Care: the Journal for Prevention and Healing, 8(3), 34-38.

Santos, C. T., Almeida, M. A., Oliveira, M. C., Victor, M. A. G., & Lucena, A. F. (2015). Development of the nursing diagnosis risk for pressure ulcer. Rev Gaúcha Enferm, 36(2), 113-121.

Schoonhoven, L., Haalboom, J.R., Bousema, M. T., Algra, A., Grobbee, D. E., Grypdonck, M. H. et al. (2002). Prospective cohort study of routine use of risk assessment scales for prediction of pressure ulcers. BMJ, 325(7368), 797.

Silva, C. P. C., Dell’acqua, M. C. Q., Corrente, J. E., Castro, M. C. N., & Zornoff, D. C. M. (2016). Construção do Aplicativo para o indicador de úlcera por pressão. J. health inform, 8(4), 134-141.

Silva, E. W. N., Araújo, R. A., Oliveira, E. C., & Falcão, V. T. F. L. (2010). Aplicabilidade do protocolo de prevenção de úlcera de pressão em unidade de terapia intensiva. Rev. bras. ter. Intensiva, 22(2), 175-185.

Silva, T. N., Santana, R. F., Santos, G. L. A., Silva, L. F., Bastos, G.M., & Garcia, T. D. (2014). Intervenções de Enfermagem no programa de gerenciamento de crônicos: mapeamento cruzado. Rev Rene, 15(6), 998-1006.

Soares, C. F., & Heidemann, I. T. S. B. (2018). Promoção da saúde e prevenção da lesão por pressão: expectativas do enfermeiro da atenção primária. Texto & contexto enferm, 27(2), e1630016.

Vasconcelos, J. M. B., & Caliri, M. H. L. (2017). Ações de enfermagem antes e após um protocolo de prevenção de lesões por pressão em terapia intensiva. Esc. Anna Nery, 21(1), e20170001.

Vieira, V. A. S., Santos, M. D. C., Almeida, A. N., Souza, C. C., Bernardes, M. F. V. G., & Mata, L. R. F. (2018). Risco de lesão por pressão em idosos com comprometimento na realização de atividades diárias. Rev de enferm do centro-oeste Mineiro, 8:e2599.

Zimmermann, G. S., Cremasco, M. F., Zanei, S. S. V., Takahashi, S. M., Cohrs, C. R., & Whitaker, I. Y. (2018). Predição de risco de lesão por pressão em pacientes de unidade de terapia intensiva: revisão integrativa. Texto & contexto enferm, 27(3), e3250017.




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i3.2653

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com