Preceptor of dentistry and its role in health professional training: a phenomenological study

Monica Moura da Silveira Lima, Rose Mary Costa Rosa Andrade Silva, Eliane Ramos Pereira, Neusa Aparecida Refrande, Rita de Cássia Ferreira da Silva, Elisabete vallois

Abstract


The role of the Preceptor is reflected in mediating the teaching-learning process and also being responsible for inserting the academic in the social reality of the internship field in the public service. However, the distance between the training university and the Preceptor, has negative effects on the education of dentistry students. Therefore, this research aims to discuss the role of Dentistry preceptorship in the emergency department of a public hospital in the city of São Gonçalo / RJ. This is a qualitative, phenomenological study conducted with 8 dentistry preceptors. The method suggested by Amedeo Giorgi was followed and the data analysis was conducted through interviews in the light of Merleau-Ponty's phenomenology. Two categories emerged in this study: Perception of the preceptor dentist within the healthcare team and The preceptor and the understanding of his role in the formation of the dental student. The university's relationship with the professional preceptor enables the academic to gain a better knowledge of social reality and to train a professional with social involvement and knowledge of the real needs of the population.


Keywords


Preceptor; Dentists; Emergency medical services; Assistance teaching integration.

References


Almeida, L.; Bastos, P. R. H. O. (2017). O desvelar do significado do corpo envelhecido para o idoso: uma compreensão fenomenológica. Revista Espacios, v. 38, n. 29, pp. 23-25.

Barreto, V. H. L. et al (2011). Papel do preceptor da Atenção Primária à Saúde em saúde da formação da graduação e pós-graduação da Universidade Federal de Pernambuco: um termo de referência. Rev. Bras. Educ Méd. 35(4): 578-583. DOI: 10.1590/S0100-55022011000400019.

Brasil (2012). Conselho Federal de Odontologia. Código de ética odontológica. Aprovado pela Resolução CFO-118/2012. Recuperado em 7 de janeiro de 2020, de http://cfo.org.br/website/wp-content/uploads/2018/03/codigo_etica.pdf.

Brasil (2019). Conselho Federal de Odontologia. Quantidade Geral de Cirurgiões-Dentistas Especialistas. Recuperado em 19 de novembro de 2019, de http://cfo.org.br/website/estatisticas/quantidade-geral-de-cirurgioes-dentistas-especialistas/.

Brasil (1990). Lei orgânica da saúde 8080, de 30 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 20. Set. 1990, Seção 1. Recuperado em 7 de janeiro de 2020, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8080.htm.

Brasil (2012). Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Comissão Nacional de Ética em Pesquisa. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Brasília: Ministério da Saúde, 2012. Recuperado em 11 de março de 2018, de http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf.

Broca, P. V; Ferreira, M. A. (2018). A comunicação da equipe de enfermagem de uma enfermaria de clínica médica. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 71, n. 3, p. 951-958. Recuperado em 29 de julho de 2019, de http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672018000300951&lng=en&nrm=iso&tlng=pt.

Cardoso Filho, F. A. B. et al (2015). Perfil do Estudante de Medicina da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN). Rev. bras. educ. med. 39(1): 32-40. DOI:10.1590/1981-52712015v39n1e01092014.

Costa, I. C. C.; Araújo, M. N. T. (2011). Definição do perfil de competências em saúde coletiva a partir da experiência de cirurgiões-dentistas atuantes no serviço público. Cien Saude Colet. 16 (Supl. 1): 1181-1189. DOI: 10.1590/S1413-81232011000700050.

Duffy, A. (2009). Guiding students through reflective practice: the preceptors experiences: a qualitative descriptive study. Nurse Educ Pract. 9(3): 166-75. DOI: 10.1016/j.nepr.2008.07.002.

Forte, F. D. S. et al (2015). Reorientação na formação de cirurgiões-dentistas: o olhar dos preceptores sobre estágios supervisionados no Sistema Único de Saúde (SUS). Interface (Botucatu) Comun. saúde educ. 19 (supl.1): 831-843. DOI: 10.1590/1807-57622014.1013.

Freitas, D. A. et al (2016). Saberes docentes sobre processo ensino-aprendizagem e sua importância para a formação profissional em saúde. Interface (Botucatu). 20(57): 437-448. DOI: 10.1590/1807-57622014.1177.

Friedrichsen, S et al (2014). Innovations in interprofessional education: building collaborative practice skills. J Calif Dent Assoc. 42(9):627-35.

Giorgi, A. (1985). Sketch of a psychological phenomenological method. In: Giorgi, A. (Org.), Phenomenology and psychological research. Pittsburg: Duquesne University Press.

Gonçalves, R. R. et al (2008). Merleau-Ponty, Sartre e Heidegger: três concepções de fenomenologia, três grandes filósofos. Estud. pesqui. psicol., Rio de Janeiro , v. 8, n. 2, ago. Recuperado em 19 de novembro de 2019, de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1808-42812008000200019&lng=pt&nrm=iso.

Luz, G. W.; Toassi, R. F. C. (2016). Percepções sobre o preceptor cirurgião-dentista da Atenção Primária à Saúde no ensino da Odontologia. Revista da Abeno. 16(1): 2-12. doi: 10.30979/rev.abeno.v16i1.210.

Merleau-Ponty, M. (2015). Fenomenologia da percepção. São Paulo: Martins Fontes. (Biblioteca do Pensamento).

Nascimento, Y. A. et al. (2017). A fenomenologia de Merleau-Ponty nas investigações sobre o uso de medicamentos: construção de uma cascata metodológica. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 51e03296, São Paulo/SP.

Ottawa (1986). Carta de Ottawa In: PRIMEIRA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE PROMOÇÃO DA SAÚDE OTTAWA. Genebra, Anais... Genebra: OMS, 1986. Recuperado em 7 de janeiro de 2020, de http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/carta_ottawa.pdf.

Satre, J. P. (2002). O ser e o nada: ensaio de ontologia fenomenológica. 11. ed. Petrópolis, RJ: Vozes. 782 p.

Sousa, A. T. O. et al. (2015). A utilização da teoria da aprendizagem significativa no ensino da Enfermagem. Rev. Bras. Enferm. 68(4): 713-722. DOI: 10.1590/0034-7167.2015680420i.

Souza, A. I. J.; Erdmann, A. L. (2006). Contribuições para o conhecimento em enfermagem à luz da fenomenologia da percepção de Merleau-Ponty. Rev Gaúcha Enferm, Porto Alegre (RS), v 27, n 2, p. 166-75. Recuperado em 19 de novembro de 2019, de https://seer.ufrgs.br/RevistaGauchadeEnfermagem/article/view/4593/2514.

Terra, M. G. et al. (2009). Fenomenologia de Maurice Merleau-Ponty como referencial teórico filosófico numa pesquisa de ensino em enfermagem. Revista Gaúcha de Enfermagem, Porto Alegre, v. 30, n. 3, p. 547-51. Recuperado em 5 de janeiro de 2020, de https://seer.ufrgs.br/RevistaGauchadeEnfermagem/article/view/4163/6975.

Vasconcelos, A. C. F.; Stedefeldt, E.; Frutuoso, M. F. P. (2016). Uma experiência de integração ensino-serviço e a mudança de práticas profissionais: com a palavra, os profissionais de saúde. Interface (Botucatu). 20(56):147-58. DOI: 10.1590/1807-57622015.0395.




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i3.2541

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com