Early diagnosis of sickle cell anemia: a literature review

Francisca das Chagas Araújo, Érica Quirino de Sousa, Tamara Nepomucemo Rodrigues, Itatiana Rebelo Rodrigues, Danielly Silva de Melo, Amanda Paula Costa de Souza Monte, Sâmia Moreira de Andrade, Evaldo Hipólito de Oliveira

Abstract


Sickle-cell anemia (Sickle-cell anemia) is a disease characterized by the presence of abnormal red cells (sickle-shaped) that are removed from the circulation and destroyed by an inherited genetic disorder due to a mutation of the gene encoding the amino acid valine, transcribing an altered hemoglobin. The objective of the research is to verify the main means used for the laboratory diagnosis of sickle cell anemia and the carriers of these traits, as well as to perform an analysis of the literature related to the educational strategies on genetic counselingadded in the Unified Health System (SUS), especially in Attention Basic. An exploratory, descriptive research was carried out through a bibliographic review. The databases consulted were Virtual Health Library - VHL and SciELO - Scientific Electronic Library, where the existence of articles, dissertations, theses related to the subject were verified. It is observed that although there is a vast literature on Sickle Cell Anemia, there is little recent research in the databases used for this research related to the Diagnostics and educational strategies adopted in the Unified Health System (SUS), Anemia and genetic counseling.


Keywords


Sickle cell anemia; Genetic counseling; Diagnosis.

References


Anders, J. C., Lima, R. A. G. & Rocha, S. M. M. (2015). Experiência de pais e outros familiares no cuidado à criança e ao adolescente após o transplante de medula óssea. Revista Brasileira de Enfermagem, 58(4): 416-21.

Ataíde, C. A. (2016). O impacto do diagnóstico: a implicação da doença falciforme para o contexto familiar. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) – Faculdade de Medicina, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte.

Brasil. Ministério da Saúde. (1996). Conselho Nacional de Saúde. Resolução 196, 10 de outubro de 1996. Brasília.

Brasil. Ministério da Saúde. (2014). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Hospitalar e de Urgência. Doença falciforme: o que se deve saber sobre herança genética / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Hospitalar e de Urgência – Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil. Ministério da Saúde. (2015). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Especializada. Temática Doença falciforme: orientação sobre o uso de sulfato ferroso em crianças / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Especializada e Temática – Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil. Ministério da Saúde. (2017). Do Capítulo VI da seção I da Portaria de Consolidação nº 05/GM/MS, de 28 de setembro de 2017, publicada no Diário Oficial da União nº 190, de 03 de outubro de 2017, página 360, seção Suplemento DOU, Disponível em: http://portal.in.gov.br/. Acesso 22 de Fevereiro de 2018.

Castilhos, et al., (2015). Atenção primária e doença falciforme uma revisão sobre o papel do gestor. Santa Maria-RS, 2015, disponível em: https://periodicos.ufsm.br/revistasaude/article/viewFile/15072/pdf. Acesso em 05 de Julho de 2018.

Daudt, L. E. et al., (2002). Triagem neonatal para hemoglobinopatias: um estudo piloto em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. Cad Saúde Pública. 18(3): 833-841.

Ducatti, et al., (2001). Investigação de hemoglobinopatias em sangue de cordão umbilical de recém – nascidos do Hospital de Base de São José do Rio Preto, Rev. bras. hematol. hemoter, 23(1): 23-29.

Fernandes, T. A. A. M. (2014). Fatores associados à variabilidade clínica de pacientes com doenças falciformes provenientes do estado do Rio Grande do Norte. Dissertação (Doutorado em Ciências Médicas) ‐ Universidade de Campinas, Campinas.

Furtado, A. N. et al., (2015). Estudo do perfil dos pacientes portadores de Síndromes Falciformes acompanhados no Serviço de Hematologia do Centro Estadual de Hemoterapia e Hematologia do Espírito Santo (HEMOES). Rev. Bras. Pesq. Saúde. 16(4): 105-112.

Meneses, R. C. T. et al., (2015). Promoção de saúde em população quilombola nordestina: análise de intervenção educativa em anemia falciforme. Escola Anna Nery, 19(1):132-139.

Menezes, A. S. O. P. et al., (2013). Qualidade de vida em portadores de doença falciforme. Rev. paul. pediatr. 31(1):24-9.

Monteiro, A. C. B. et.al., Anemia falciforme, uma doença caracterizada pela alteração no formato das hemácias. Rev. eletr. Saúde em foco/UNISEPE. 7(1): 107-118.

Naoum, P. C. (2015a). Doença das células falciformes. São Paulo: Sarvier.

Naoum, P. C. (2015b). Eletroforese, Técnicas e Diagnósticos. São Paulo: Editora Santos.

Ramalho, A. S. & Magna, L. A. (2007). Aconselhamento genético do paciente com doença falciforme. Rev Bras Hematol Hemoter. 29(3): 229-232.

Rodrigues, A. B. et al., (2014). O guia da enfermagem: fundamentos para assistência. 1. ed. São Paulo: Iátria.

Silva, R. L. L. (2015). Anemia Falciforme: A contribuição do profissional Farmacêutico no Diagnóstico e tratamento, Centro de Capacitação Educacional Educação em Saúde, Curso de Farmácia Hospitlar e Clínica. Recife-PE.

Zago, M. A. & Pinto, A. C. S. (2007). Fisiopatologia das Doenças falciformes da mutação genética á insuficiência de múltiplos órgão. Rev. Bras. Hematol. e Hemoter. 29(3): 207-214.




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i4.2516

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Redalyc, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com
Facebook: https://www.facebook.com/Research-Society-and-Development-563420457493356