Co-teaching at school: a possible way for inclusive education

Paula de Sousa e Castro Noya Pinto, Renata Andrea Fernandes Fantacini

Abstract


This article intend to do a first explanation of the studies on co-teaching at inclusive classrooms. It is a literature review on positive co-teaching results in some countries around the world and especially in Brazil, where academic research of this subject is still rare. The purpose of this article is to present a part an the existing literature on co-teaching at inclusive classrooms, revisiting authors and structuring some of their ideas, to contribute to the general framework on co-teaching in Brazil. This article is meant to be added with the same direction about co-teaching as an important strategy for inclusion. For the research were selected books, scientific articles and official publications to show some aspects on the subject in some countries in the world and in Brazil. We can first suggest that co-teaching has a positive effected at inclusive classrooms.


Keywords


Special Education; Inclusive education; Collaborative Teaching; Co-teaching.

References


ARANHA, M. S. F. Paradigmas da relação da sociedade com as pessoas com deficiência. Revista do Ministério Público do Trabalho, Brasília, DF, Ano XI, n. 21, p. 160-173, mar. 2001.

BECKER, Howard S. Mundos da Arte. Lisboa: Livros Horizonte, 2010.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Política Nacional de Educação Especial. Brasília: MEC/SEESP, 1994.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, Resolução CNE/CP no 1, de 18 de fevereiro de 2002. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 4 mar. 2002. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rcp01_02.pdf >. Acesso em: 20 set. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Ed. Especial. Política nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: MEC/SEESP, 2008. Disponível em Acesso em: 30 set. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Decreto no 7.611 de 17 de novembro de 2011. Dispõe sobre a educação especial, o atendimento educacional especializado e dá outras providências. Brasília, DF, 18 nov. 2011. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/decreto/d7611.htm >. Acesso em: 2 dez. 2017.

CAPELLINI, V. L. M. F. Avaliação das possibilidades do ensino colaborativo no processo de inclusão escolar do aluno com deficiência mental. 2004. 302 f. Tese de Doutorado em Ciências Humanas - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2004.

CAPELLINI, V. L. M. F.; MENDES, E. G. (2007). O ensino colaborativo: favorecendo o desenvolvimento profissional para a inclusão escolar. Educere et Educare, 2, 113-128.

COSTA, C. R. Análise de princípios para o trabalho colaborativo: um estudo com professores de educação física e do atendimento educacional especializado. 2017. 90 f. Dissertação de Mestrado – Universidade Estadual Paulista (UNESP), Marília, 2017.

CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. Porto Alegre: Artmed, 2007.

DAVID, Lilian; CAPELLINI, Vera Lúcia Messias Fialho. O ensino colaborativo como facilitador da inclusão da criança com deficiência intelectual na educação infantil. Nuances, v. 25, n. 2, p. 189-209, 2014. Disponível em: . Acesso em 28 set 2017.

DUCREY, François; JENDOUBI, Verena. La collaboration dans le cadre scolaire et l’attitude des enseignants face à l’inclusion scolaire: résultats d’une enquête auprès des enseignants genevois. Genève: SRED, 2016.

EUROPEAN AGENCY FOR DEVELOPMENT IN SPECIAL NEEDS EDUCATION. Educação Inclusiva e Práticas de Sala de Aula. Cord. EIJER (Ed): Dinamarca, 2003.

FANTACINI, R. A. F.; DIAS, T. R. S. Ensino Colaborativo: a percepção dos professores do AEE de uma rede municipal de ensino. Camine: Caminhos da Educação, v. 7, p. 89-102, 2015.

FONTES, Rejane de Souza. Ensino Colaborativo: uma proposta de educação inclusiva. Araraquara, SP: Junqueira&Marin, 2013.

FRIEND, Marilyn; COOK, Lynne. Collaboration as a predictor for success in school reform. Journal of Educational and Psychological Consultation. New York, v. 1, n.1, p. 69-86, 1990.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2002.

JANNUZZI, Gilberta S. de Martino. A educação do deficiente no Brasil: dos primórdios ao início do século XXI. Campinas: Autores Associados, 2017.

JESUS, S. N.; MARTINS, M. H. Práticas educativas para a construção e uma escola inclusiva, Revista Caderno de Educação Especial, nº 18, 2001. Disponível em < https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial/article/view/5180/3175> Acesso em: 14 set. 2017.

MARCATO, Daniela Cristina Barros de Souza; RINALDI, Renata Portela. A inclusão escolar pensada através da colaboração. Congresso Nacional de Formação de Professores, 2; Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores, 12, 2011, Águas de Lindóia. Anais 2. Congresso Nacional de Professores 12. Congresso Estadual sobre Formação de Educadores... São Paulo: UNESP; PROGRAD, 2014. p. 8829-8841 Disponível em: .

MASTROPIERI, Margo A; SCRUGGS, Thomas E.; MCDUFFIE, Kimberly A. Co-Teaching in Inclusive Classrooms: A Metasynthesis of Qualitative Research. Exceptional Children. Vol. 73, No. 4, pp. 392-416, 2007.

MAZZOTTA, Marcos José Silveira. Educação Especial no Brasil: História e políticas públicas. 5ª ed., São Paulo, SP: Cortez, 2005.

MENDES, E. G. A radicalização do debate sobre inclusão escolar no Brasil. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 11, n. 33, p. 387-405, 2006.

MENDES E. G.; ALMEIDA, M. A.; TOYODA C. Y. Inclusão escolar pela via da colaboração entre educação especial e educação regular. Educar em Revista, 2011, 81-93. Disponível em Acesso em: 15 set. 2017.

NOOTENS, Pascale; DEBEURME, Godelieve. Pour l’inclusion d’élèves en difficultés langagières: quels besoins chez l’enseignant? Revue Francophone de la Déficience Intellectuelle. Genebra, v. 15, n. 1, p. 41-55, 2004.

ONU – ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Declaração de Salamanca. Sobre princípios, políticas e práticas na área das Necessidades Educativas Especiais. Salamanca, Espanha, jun. 1994.

PETERSON, Patricia J. Inclusão nos Estados Unidos: filosofia, implementação e capacitação de professores. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, v. 12, n. 1, p. 3-10, Abr. 2006. Disponível em: Acesso em: 15 out. 2017.

RABELO, L. C. C. Ensino colaborativo como estratégia de formação continuada de professores para favorecer a inclusão escolar. 200 f. Dissertação de Mestrado - Universidade Federal de São Carlos. São Carlos, 2012.

REIS, M. R. V. A. dos. As dimensões pessoal e interpessoal na relação professor de educação especial e professor do ensino regular. 398 f. Dissertação de Mestrado – Universidade de Aveiro. Aveiro, 2009.

ROCHA, N. C. Ensino colaborativo e desenvolvimento da abordagem Construcionista Contextualizada e Significativa na perspectiva da inclusão. 2016, 172f. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-graduação em Educação, Universidade Estadual Paulista. Presidente Prudente/SP. 2016.

SOUSA, D. R.; SILVA, R. N.; FANTACINI, R. A. F. Ensino colaborativo: benefícios e desafios. Educação, v. 6, p. 91-105, 2016.

THURLER, Monica Gather. Inovar o interior da escola. Porto Alegre: Artmed, 2001.

UNESCO. Declaração Mundial sobre Educação para Todos. Plano de ação para satisfazer as necessidades básicas de aprendizagem. In: Conferência Mundial Sobre Educação Para Todos, 1990, Jomtien. Jomtien, Tailândia: Unicef, 1990. Disponível em: < http://unesdoc.unesco.org/images/0008/000862/086291por.pdf>. Acesso em: 3 dez. 2017.

UNESCO. Educação Para Todos: o compromisso de Dakar. Brasília: UNESCO/CONSED, 2001. Disponível em . Acesso em 3 dez. 2017.

VILARONGA, C. A. R. Colaboração da educação especial em sala de aula: formação nas práticas pedagógicas do coensino. 216 f. Tese de Doutorado - Universidade Federal de São Carlos, 2014.

VILARONGA, C. A. R.; MENDES, E. G. Ensino colaborativo para o apoio à inclusão escolar: práticas colaborativas entre os professores. Revista Brasileira Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 95, n. 239, p. 139-151, jan./abr. 2014. Disponível em: . Acesso em: 27 set. 2017.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1989.




DOI: http://dx.doi.org/10.17648/rsd-v7i3.244

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com