Defense strategies in the death and dying process: a challenge for nursing professionals

Samantha Carvalho dos Mons, Glaucia dos Santos Pereira, Lorena Lourenço Massarra de Lima, Caroline do Nascimento Leite, Ronald Teixeira Peçanha Fernandes

Abstract


To identify through literature review the defense strategies adopted by nursing professionals facing the process of death and dying. Descriptive study based on the integrative literature review. The search for the studies was performed in the Latin American Literature and Caribbean Health Sciences, Nursing Databases, and the Medical Literature Analysis and Retrieval System Online databases. After using the inclusion and exclusion criteria, cross-checking data and evaluating the relevance of the selected studies, 22 articles referring to the theme for article development. Among the main defense strategies adopted by nursing professionals against the process of death and dying are: resilience, professional support, trivialization, escape, religiosity and empathy and professional qualification and training. Therefore, it is inferred that the nursing professional is in constant vulnerability and fragility in the face of their own emotions regarding care in the assistance area.


Keywords


Death; Thanatology; Nursing.

References


Abrão, F. M. S., Góis, A. R. S., Souza, M. S. B., Araujo, R. A., Cartaxo, C. M. B. & Oliveira, D. C. (2013) Representações sociais de enfermeiros sobre a religiosidade ao cuidar de pacientes em processo de morte.Rev. bras. enferm. vol.66 no.5 Brasília. Acesso em 23 de setembro de 2019, em http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71672013000500014.

Bandeira, D.& Bisogno, S. B. C. (2011) A abordagem da morte e morrer na graduação em enfermagem: Um relato de experiência. Revista Contexto & Saúde, Ijuí, v. 11, n°.21, Acesso em 05 de junho de 2019, em https://www.revistas.unijui.edu.br/index.php/contextoesaude/article/view/380.

Bandeira, D., Cogo, S. B., Hildebrandt, L. M. &Badke, M. R. (2014) A morte e o morrer no processo de formação de enfermeiros so a ótica de docentes de enfermagem Acesso em 07 de outubro de 2019, em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-07072014000200400&lng=en&nrm=iso.

Borges, M. S. & Mendes, N. (2012) Representações de profissionais de saúde sobre a morte e o processo de morrer. Rev. bras. enferm. Brasília, v. 65, n. 2, p. 324-331. Acesso em 07 de junho de 2019, em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672012000200019&lng=en&nrm=iso.

Figueira, A. B., Barlem, E. L. D., Tomaschewsi-Barlem, J. G., Antunes , M. M., Ramos, A. M. & Pereira, L. A.(2016) Estratégias de resistência dos profissionais de Enfermagem diante de situações de morte de recém-nascidos. Rev. enferm UFPE. Recife, 10(Supl. 4): 3517-23, Acesso em 10 de junho de 2019, em https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaEnfermagem/article/download/11125/12611.

Gil, A. C. (2012). Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 6ª ed.

Hayasida, N, M, A., Assayag, R. H., Figueira, I. & Matos, M. G. (2014). Morte e luto: competências dos profissionais. Revista Brasileira de Terapias Cognitivas. 2014•10(2)•pp.112-121. Acesso em 23 de setembro de 2019, em http://dx.doi.org/10.5935/1808-5687.20140017.

Ivo. O. P. & Pedroso, K. O. (2017). O Processo da Morte e do Morrer: uma Visão dos Acadêmicos de Enfermagem. Id online Revista Multidisciplinar e de Psicologia, vol.11, n.34, p. 271-280. ISSN: 1981-1179. Acesso em 23 de setembro de 2019, em https://idonline.emnuvens.com.br/id/article/view/691/970.

Jardim, D. M. B., Bernardes, R. M., Campos, A. C. V., Pimenta, G. S., Resende, F. A. R., Borges, C. M. & Santana, J. C. B. (2011). O cuidar de pacientes terminais: experiência de acadêmicos de enfermagem durante estágio curricular. Revista Baiana de Saúde Pública, v. 34, n. 1, p. 123-130. Acesso em 10 de abril de 2019, em http://files.bvs.br/upload/S/0100-0233/2010/v34n4/a2171.pdf.

Junior, L. & Eltink, C. F. (2011). A visão do graduando de enfermagem perante a morte do paciente. Journal of the Health Sciences Institute, v. 29, n. 3, p. 176-182. Acesso em 12 de setembro de 2019, em https://www.unip.br/presencial/comunicacao/publicacoes/ics/edicoes/2011/03_jul-set/V29_n3_2011_p176-182.pdf.

Labate, R. C. & Cassorla, R. M. S. (1999).A escolha do profissional de saúde em trabalhar com pacientes mastectomizada. Rev. Bras. Psiquiatr. vol.21 n.2 São Paulo Acesso em 15 de junho de 2019, em http://dx.doi.org/10.1590/S1516-44461999000200006.

Lima, M. J. V. & Andrade, N. M. (2017).A atuação do profissional de saúde residente em contato com a morte e o morrer. Saúde soc. vol.26 no. 4 São Paulo. Acesso em 23 de setembro de 2019, em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902017000400958.

Lima, R. S. & Costa Junior, J. A. (2015). The processo fdeathdying in nurses vision: Processo de morte e morrer na visão do enfermeiro. Revista Ciências & Saberes. FAEMA; 1(1): 25-30. Acesso em 24 de setembro de 2019, em http://www.facema.edu.br/ojs/index.php/ReOnFacema/article/view/13/8.

Mochel, E. G., Gurge, W. B., Mochel, A. G. & Farias, A. M. C. (2011). Análise da formação tanatológica do aluno de enfermagem da Universidade Federal do Maranhão. Brasil. InvestEducEnferm, Maranhão, v. 29, n. 2, p. 230-237. Acesso em 10 de outubro de 2019, em http://aprendeenlinea.udea.edu.co/revistas/index.php/iee/article/view/4841/9192.

Pinho, L. M. O. & Barbosa, M. A. (2010).A relação docente-acadêmico no enfrentamento do morrer. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 44, n. 1, p. 107-112. Acesso em 18 de maio de 2019,em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080- 62342010000100015&lng=em.

Salum, G., Kahl, C., Cunha, K. S., Koerich, C., Santos, T. O. & Erdmann, A. L. (2017). Processo de morte e morrer: desafios no cuidado de enfermagem ao paciente e família. Rev. Rene. 18(4): 528-35. Acesso em 30 de setembro de 2019, em http://www.periodicos.ufc.br/rene/article/view/20280/30814.

Santos, J. L. & Bueno, S. M. V. (2010). A questão da morte e os profissionais de enfermagem. Revista de Enfermagem da EURJ, Rio de Janeiro, v. 18, n. 3, p. 484-487. Acesso em 24 de setembro de 2019, em http://www.facenf.uerj.br/v18n3/v18n3a26.pdf.

Souza e Souza, L. P., Ribeiro, J. M., Rosa, R. B., Gonçalves, R. C. R., Silva, C. S. O. & Barbosa, D. A. (2013). A morte e o processo de morrer: sentimentos manifestados por enfermeiros. Revista EnfermeríaGlobal.n. 32, p. 230-237, out. 2013. Acesso em 13 de junho de 2019, em http://scielo.isciii.es/pdf/eg/v12n32/pt_administracion4.pdf.




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i2.2139

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com