A produção de sabão como recurso pedagógico para o ensino de funções orgânicas

Antônio Wauleson Pereira, Pamela Rayssa Diogenes Fernandes, Ayla Márcia Cordeiro Bizerra

Abstract


A aprendizagem de funções orgânicas é tida muitas vezes como um processo difícil pelos estudantes, principalmente pelo fato de serem muitas funções e que, muitas delas são semelhantes. Assim, cabe ao professor utilizar diferentes técnicas, métodos, metodologias ou recursos para o ensino desse tema com objetivo de facilitar a aprendizagem. Assim, o objetivo desse trabalho é descrever o uso da experimentação com a temática de óleos e gorduras como recurso pedagógico facilitador para o ensino de funções orgânicas oxigenadas. O trabalho se configura como uma pesquisa básica em educação em ciências, de natureza qualitativa, com obtenção de dados através da documentação direta e caracterizando-se como pesquisa-ação. A fim de que os discentes pudessem construir seus conhecimentos significativamente, diferentes metodologias foram adotadas, como a contextualização, simulações interativas e experimentação. Os alunos responderam a um questionário inicial para identificação de seus conhecimentos prévios, em seguida foram ministradas aulas com uso de simuladores com a temática de óleos e gorduras, relacionando com as funções orgânicas, em seguida realizou-se uma oficina para elaboração de sabão a partir de óleos já utilizados e para fins de avaliação, realizou-se um jogo de perguntas e respostas. Os resultados obtidos demonstraram êxito na forma como os assuntos foram abordados uma vez que a interação dos alunos bem como seu interesse durante os momentos de ensino e aprendizagem permitiram aos discentes participar ativamente do processo de construção dos conceitos relacionados às funções orgânicas.


Keywords


Produção de sabão; Ensino de funções orgânicas; Aprendizagem; Recurso pedagógico.

References


Albereci, R. M. & Pontes, F. F. F. (2004). Reciclagem de óleo comestível usado através da fabricação de sabão. Engenharia Ambiental. 1(1), 73-76.

Ausubel, D. P., Novak, J. D. & Hanesian, H. (1980). Psicologia educacional. Tradução: Eva Nick. Rio de Janeiro: Interamericana.

Barbosa, A. B. & Silva, R. R. Xampus. (1995). Revista Química Nova na Escola, 2, 3-6.

Ferreira, M. & Del Pino, J. C. (2009). Estratégias para o ensino de química orgânica no nível médio: uma proposta curricular. Acta Scientiae, 11(1), 101-118.

Francisco Jr, W. E., Ferreira, L. H., & Hartwig, D. R. (2008). Experimentação Problematizadora: Fundamentos Teóricos e Práticos para a Aplicação em Salas de Aula de Ciências. Revista Química Nova na Escola, 30, 34-41.

Gameleira, S. T. & Bizerra, A. M. C. (2019). Identificação de conhecimentos prévios através de situações-problema. Revista Educação, Cultura e Sociedade. 9(2), 130-147.

Giordan, M. (1999). O papel da Experimentação no ensino de ciências. Revista Química Nova na Escola, 10, 43-49.

Guimarães, C. C. (2009). Experimentação no ensino de química: caminhos e descaminhos rumo à aprendizagem significativa. Revista Química Nova na Escola. 31 (3),198-202.

Kiill, K. B.; Hartwig, D. R. & Ferreira, L. H. (2007). Características da aprendizagem significativa em proposições escritas: um estudo a partir de material instrucional teórico e experimental. Disponível em: http://www.nutes.ufrj.br/abrapec/vienpec/CR2/p381.pdf

Lemos, E. S. (2002). (Re)situando a teoria de aprendizagem significativa na prática docente, na formação de professores e nas investigações educativas em ciências. Instituto Oswaldo Cruz, FIOCRUZ.

Llanos, J. L. A., Oliveira, F. S., Santos, J. S. & Faro, A. A. S. (2016). O uso da experimentação como estratégia motivadora no ensino de química, abordando a dessalinização da água. In: XVIII Encontro Nacional do Ensino de Química, Florianópolis. Disponível em: http://www.eneq2016.ufsc.br/anais/resumos/R1333-1.pdf

Marconi, M. A. & Lakatos, E. M. (2018). Técnicas de Pesquisa. 8ª Ed. São Paulo: Atlas.

Massoni, N. T. & Moreira, M. A. (2016). Pesquisa Qualitativa em Educação em Ciências: projetos, entrevistas, questionários, teoria fundamentada, redação científica. São Paulo: Editora Livraria da Física.

Meneses, F. M. G. de & Nuñes, I. B. (2018). Erros e dificuldades de aprendizagem dos estudantes do ensino médio na interpretação da reação química como um sistema complexo. Revista Ciência e Educação, 24(1), 175-190.

Mol, G. S. & Silva, R. R. A. (1996). A experimentação no ensino de química como estratégia para a formação de conceito. In: Encontro Nacional de Ensino de Química, 8., 1996, Campo Grande. Anais... Campo Grande: UFMS.

Moreira, M. A. (2006). A teoria da aprendizagem significativa: e sua implementação em sala de aula. Brasília: Editora Universidade de Brasília.

Moreira, M. A. (2008). A teoria da Aprendizagem Significativa segundo Ausubel. In: Masini, Elcie F. Salzano; Moreira, Marco Antonio. Aprendizagem Significativa: Condições para a ocorrência e lacunas que levam a comprometimentos. São Paulo: Vetor, cap. 1, 15-44.

Moreira, M. A. (2011). Aprendizagem Significativa: a teoria e textos complementares. São Paulo: Editora Livraria da Física.

Moreira, M. A. (2011). Metodologias de Pesquisa em Ensino. São Paulo: Livraria da Física.

Moreira, M. A. (2012). Organizadores Prévios e Aprendizagem Significativa. Revista Chilena de Educación Científica, 7(2), 23-30.

Nezi, S. M., Uhdre, D. F. & Romero, A. L. (2011). Implementação do Projeto “Reciclagem de Óleos e Gorduras Usados em Frituras Através da Fabricação de Sabão” na UTFPR. In. Encontro de Produção Científica e Tecnológica, Campo Morão, Paraná.

Pazinato, M. S., Braibante, H. T. S., Braibante, M. E. F., Trevisan, M. C. & Silva, G. S. (2012). Uma abordagem diferenciada para o ensino de funções orgânicas através da temática medicamentos. Revista Química Nova na Escola, 34(1), 21-25.

Reginaldo, C. C., Sheid, N. J. & Gullich, R. I. da C. (2012). O Ensino de Ciências e a Experimentação. In. ... Anais IX ANPED SUL. Seminário de Pesquisa em Educação da Região Sul.

Ribeiro, R. J., Silva, S. C. R., & Koscianski, A. (2012). Organizadores Prévios para Aprendizagem Significativa em Física: O Formato Curta de Animação. Revista Ensaio, 14(3), 167-183.

Rocha, J. S. & Vasconcelos, T. C. (2016). Dificuldades de aprendizagem no ensino de química: algumas reflexões. In: XVIII Encontro Nacional do Ensino de Química, Florianópolis. Disponível em: http://www.eneq2016.ufsc.br/anais/resumos/R0145-2.pdf

Salles, C. M. C. (2012) A Aprendizagem Significativa e as Novas Tecnologias na Educação à Distância. Dissertação. Universidade FUMEC – FACE, Belo Horizonte – MG.

Schwahn, M. C. A., & Oaigen, E. R. (2009). Objetivos Para o Uso da Experimentação no Ensino de Química: A Visão de Um Grupo de Licenciandos. In Encontro Nacional De Pesquisa Em Educação em Ciências. Florianópolis.

Veiga, M. S. M., Quenenhenn, A., & Cargnin. C. (2011). O ensino de química: algumas reflexões. Eixo temático: Didática e Prática de ensino na Educação Básica. In: I Jornada de Didática – o ensino como foco. I Fórum de Professores do Estado do Paraná. Universidade Estadual de Londrina. Disponível em: http://www.uel.br/eventos/jornadadidatica/pages/arquivos/O%20ENSINO%20DE%20QUIMICA.pdf

Wartha, E. J. & Rezende, D. B. (2015). A elaboração conceitual em química orgânica na perspectiva da semiótica Peirceana. Ciência e Educação (Bauru), 21(1), 49-64.

Wartha, E. J., Silva, E. L. & Bejarano, N. R. R. (2013). Cotidiano e Contextualização no ensino de química. Revista Química Nova na Escola, 35(2), 84-91.




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i2.2119

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com