Evaluation of accessibility of people with reduced mobility: a study in the central region of Jaboticabal

Geanderson Oeyke Croti, Walter Gonçalves Ferreira

Abstract


To guarantee the right to come and go, as established in the Federal Constitution, the urban space must be built with accessibility to ensure the displacement of all. A large part of the Brazilian population has some difficulty in locomotion, whether it is related to physical condition that limits a person's movements, age or obesity. In the planning and design of urban spaces, many questions arise about the guarantee of accessibility. Thus, this work aimed to evaluate the public circulation spaces of the central region of Jaboticabal/SP regarding accessibility for people with reduced mobility. To perform the assessment, a technical accessibility assessment model was used regarding the existence of accessibility items, in accordance with NBR 9050/2004 and Decree No. 5,296 / 2004. The technical approach made it possible to measure concretely the routes that receive large circulation of people daily. The division of the studied paths in several segments promoted the identification of critical areas, and enables the adoption and prioritization of corrective actions, which will provide increased accessibility for people with reduced mobility.


Keywords


urban mobility; accessibility index; pedestrian displacement.

References


Barroso, C. D. P., & Lay, M. C. D. (2016). Conforto na acessibilidade do espaço urbano: percepção de usuários com diferentes condições de mobilidade. Arquisur revista. Argentina. n. 9 (2016), p. 106-121.

Bohusch, G. (2013). Mobilidade urbana sustentável: uma proposta de visão ampliada do conceito. Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-graduação em Geografia, Florianópolis, 2013. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/107318

Brasil (2004a). Política Nacional de Mobilidade Urbana Sustentável: Princípios e Diretrizes. Ministério das Cidades. Brasília, 2004.

Brasil A. D. I. (2004b). Decreto nº 5.296, de 2 de dezembro de 2004. Diário Oficial da União.

Dicio. Significado de mobilidade. Dicionário da web. Acesso em: 21/06/2019. Disponível em: https://www.dicio.com.br/mobilidade/

Faustini, F. B., Maia, M. L., & Magagnin, R. C. (2016). Cálculo do índice de acessibilidade destinado aos pedestres em uma cidade de pequeno porte - Pederneiras/ SP. 2016. 14p. Artigo - Universidade Estadual Paulista. São Paulo.

Freitas, P.V.N., da Silveira, J.A.R., da Silva, G. J. A., & da Silva, D. C. (2015). Mobilidade urbana sustentável: problemas e soluções. Revista Científica ANAP Brasil, 8(12).

Henrique, M. C. N. (2018). Avaliação das condições de acessibilidade do passeio público da Avenida Santos Dumont, município de Criciúma-SC. Trabalho de Conclusão de Curso -Universidade do Extremo Sul Catarinense, Departamento de Ciências, Engenharias e Tecnologias. Disponível em: http://repositorio.unesc.net/bitstream/1/6304/1/MariaCaroliniNettoHenrique.pdf

IBGE (2010). Censo demográfico 2010. IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/sp/jaboticabal/panorama. Acesso em 10/01/2019.

Kneib, E. C. (2012). Mobilidade urbana e qualidade de vida: do panorama geral ao caso de Goiânia. Revista UFG, 14(12).

Machado, M. H., & Lima, J. P. (2015). Avaliação multicritério da acessibilidade de pessoas com mobilidade reduzida: um estudo na região central de Itajubá (MG). Urbe. Revista Brasileira de Gestão Urbana, 7(3), 368-382.

Ministério Público de São Paulo [MPSP]. Guia prático de acessibilidade. Critérios e especificações técnicas para avaliação de acessibilidade em edificações, avaliação de acessibilidade em edificações, mobiliário e espaços. mobiliário e espaços. Disponível em: http://biblioteca.fecap.br/wp-content/uploads/2012/08/Manual-APA-2.ed_3.pdf. Acesso em: em 19 de outubro de 2019.

NBR, A. (2004). 9050: Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos. Associação Brasileiras de Normas Técnicas, Rio de Janeiro.

Pereira, A.S. et al. (2018). Metodologia da pesquisa científica. [e-book]. Santa Maria. Ed. UAB/NTE/UFSM. Disponível em: https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1. Acesso em: 06 out. 2019.

Silva, D.A, & Loboda, C. R. (2014). Instrumentos de acessibilidade: uma análise sobre as rampas de acesso na cidade de Ituiutaba–MG. Revista Nacional de Gerenciamento de Cidades, 2(9).

Szabo, M. S., de Lurdes Ferronato, M., de Souza Silva, S., & de Souza Alves, V. K. C. (2017). Acessibilidade na arborização urbana na região central comercial de Pato Branco–PR. Revista Técnico-Científica, 5(6).




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i1.1815

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Redalyc, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com
Facebook: https://www.facebook.com/Research-Society-and-Development-563420457493356