Perception of the population of São Gonçalo do Rio Abaixo (MG) about the socio-environmental and economic impacts caused by the explotation of iron ore in the Brucutu mine

Mauro José Ferreira, Juni Cordeiro, Giovanna Moura Calazans, Graziele Lage Alves Santiago, José Luiz Cordeiro, Juliana Caroni Silva Guimarães

Abstract


Mining represents one of the pillars of the Minas Gerais state, given that the Quadrilátero Ferrífero corresponds to one of the most representative regions in the State's mineral exploration. However, this exploitation implies in environmental degradation, as well as negative impacts in the social and economic spheres. In view of this, this work aimed to verify the perception of the São Gonçalo do Rio Abaixo (MG) population about the socio-environmental and economic effects of the mining activity in the city. A questionnaire has been applied to 370 individuals from this community. Thus, in the perception of 79.7% of the respondents, the installation of mining enterprises in the municipality is important, with 30.8% of the participants affirming that the main positive impact is the generation of employment. However, in the view of 57.5% of the respondents the mining activity promotes soil degradation, water contamination, air pollution, and contribute to the loss of biodiversity. Given the importance of mining for the city's economy, it is necessary to monitor and conduct research on the impacts of mining exploration, seeking the promotion of actions in order to minimize their negative effects on the environment and the community.


Keywords


Economic growth; Sustainable development; Social and environmental impacts; Mining.

References


ALMEIDA, I. T. A Poluição atmosférica por material particulado na mineração a céu aberto. 1999. 186p. Dissertação (Mestre em Engenharia Mineral) – Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. São Paulo, 1999.

APPOLINÁRIO, F. Metodologia da ciência: filosofia e pratica da pesquisa. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2006. 240p.

BORGES, L. A. C.; REZENDE, J. L. P.; PEREIRA, J. A. A Evolução da Legislação Ambiental no Brasil. Revista em Agronegócios e Meio Ambiente, v.2, n.3, p. 447-466, set./de. 2009.

BRASIL. Constituição Federal de 1988. Promulgada em 5 de outubro de 1988. Disponível em: Acesso em: 13 out 2017.

BRASIL MINERAL. Vale inaugura mina de Brucutu. n. 274, São Paulo, 11 out de 2006. Disponível em: . Acesso em: 23 out. 2017.

CASALARDE, F. L.; MORÃES, F. B.; ACCOLY, S. M. L.; ABREU, R. R; CRESPO, J. C. M.; ARAÚJO, F.O. Mineração em Minas Gerais: Território e paisagem cultural. Minas Gerais: 2006. Disponível em:. Acesso em: 13 set. 2017.

CORREA, S. M. B. B. Probabilidade e estatística. 2ª ed. Belo Horizonte: PUC Minas Virtual, 2003.

COSTA, F. P. Aplicações de técnicas de otimização a problemas de planejamento operacional de lavras em mina a céu aberto. 2005. 141 p. Dissertação (Mestrado em Engenharia Mineral). Programa de Pós-Graduação. Universidade Federal de Ouro Preto, 2005.

DIAS, J. E. C. A percepção da comunidade do município de Mariana/MG em relações às ações sociais e ambientais das empresas mineradoras que atuam na região. 2015. 110p. Tese (Mestrado em Sustentabilidade Socioeconômica Ambiental) – Universidade Federal de Ouro Preto. Minas Gerais, 2015.

ENRIQUEZ, M. A.R. S. Royalties da Mineração: Instrumento de Promoção do Desenvolvimento Sustentável de Regiões Mineradoras na Amazônia Oriental? Cadernos do IG/UNICAMP, Campinas, v. 08, n.1/2, p. 03-21, 2000.

ENRIQUEZ, M. A. R. S. Maldição ou dádiva? Os dilemas do desenvolvimento sustentável a partir de uma base mineira. 2007. 449p. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Sustentável), UnB, Brasília, DF, 2007.

FERNANDES, H. R. S. M.; FRANKLIN, M. R.; FLEXOR, J.-M.; FONTES, S. L.; PEREIRA Fº, S. R.; NASCIMENTO, F. M. F. Impactos de mineração e sustentabilidade no semi-arido. Estudo de caso: unidade de concentração de urânio-URA (Caetité-BA). 2011. Disponível em: . Acesso em: 18 out. 2017.

FREITAS, L. S.; DANTAS, H. F. S. Sustentabilidade na indústria mineral no município de Pedra Lavrada - PB: um estudo a partir do ISM - Índice de Sustentabilidade da Mineração. Revista Universo Contábil. V.10, n.2, 2014.

INSTITUTO BRASILEIRO DE MINERAÇÃO (IBRAM). Estatística. Investimento em MG. (Apresentação PowerPoint), 2011. Disponível em: . Acesso em: 16 out. 2017.

INSTITUTO BRASILEIRO DE MINERAÇÃO (IBRAM). Economia Brasileira por minério. Brasília: IBRAM, 2012. Disponível em:Acesso em: 22 set. 2017.

INSTITUTO BRASILEIRO DE MINERAÇÃO (IBRAM). Sumário executivo. Brasília: IBRAM, 2014. Disponível em: :. Acesso em: 25 out. 2017.

INSTITUTO BRASILEIRO DE MINERAÇÃO (IBRAM). Informações sobre a economia mineral brasileira. Brasília: IBRAM, 2015. Disponível em: Acesso em: 22 set. 2017.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). São Gonçalo do Rio Abaixo (MG). In: IBGE Cidades, 2010a. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/cidadesat/xtras/perfil.php?codmun=316190&r=2. Acesso em: 26 set. 2017.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Carta Internacional ao Milionésimo. 2010b. Disponível em: . Acesso em: 01 set. 2017.

KITULA, A. G. N. The environmental and socio-economic impacts of mining on local livelihoods in Tanzania: A case study of Geita District”, Journal of Cleaner Production, 14: 405-414.2006.

LAGÔA, T. Licença da Vale em Brucutu deve ser liberada. Diário do Comércio. 2016. Disponível em: . Acesso em: 28 set. 2017.

LIMA, R. T. Percepção ambiental e participação pública na gestão dos recursos hídricos: perfil dos moradores da cidade de São Carlos, SP (bacia hidrográfica do rio do Monjolinho). São Carlos, 1993. 114p. Dissertação (Mestrado) – PPG-SEA – Escola de Engenharia de São Carlos – Universidade de São Paulo. São Paulo.

LUME ESTRATÉGIA AMBIENTAL. Projeto Expansão Oeste da Mina Brucutu Cava Divisa. Relatório de Impacto Ambiental. Lume: 2013.

MACHADO, I. F. Recursos minerais: política e sociedade. São Paulo: Edgard Blücher,1989.

MATOS, T. V. S. Mapeamento das Áreas de Preservação Permanente do Município de São Gonçalo do Rio Abaixo. Monografia de Especialização em Geoprocessamento. Departamento de Cartografia. Instituto de Geociências, UFMG, 2010.

MARCONI, M. de A.; LAKATOS, E. M. Técnicas de pesquisa: Planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisa, elaboração, análise e interpretação de dados. 5ªed. SãoPaulo: Atlas, 2002.

MECHI, A.; SANCHEZ, D. L. Impactos ambientais da mineração no estado de São Paulo. Estudos Avançados, v. 24, n. 68, p. 209-220, 2010.

MORAES, R. Análise de conteúdo. Revista Educação, Porto Alegre, v. 22, n. 37, p. 7-32, 1999.

PRODANOV, C. C.; FREITAS, E. C. Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2. ed. Novo Hamburgo: Feevale, 2013.

REIS, E. Estatística descritiva. Lisboa: Edições Sílabo,1996.

RIGOTTI, J. I. R.; BARBIERI, A. Projetos de Desenvolvimento Econômico e Dinâmica Demográfica: uma avaliação de impacto sobre o crescimento populacional de duas regiões no Estado de Minas Gerais. Revista Latinoamericana de Población. Minas Gerais, v.9, Nº 17, p. 151-152, 2015.

ROBERTO, J. B. Influência dos diversos tipos litológicos nas operações de concentração da instalação de beneficiamento de Brucutu. Mar. 2010, 102f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Metalúrgica e de Minas). Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte (MG).

SILVA, G. E. N. Direito ambiental internacional: meio ambiente, desenvolvimento sustentável e os desafios da nova ordem mundial Rio de Janeiro: Thex; Biblioteca Estácio de Sá, 1995.

SILVA, V. C. Variáveis que interferem nos problemas ambientais gerados durante os desmontes de rochas. 1998.b 136 f. Tese (Doutorado em Engenharia Mineral) – Universidade de São Paulo. São Paulo, 1998.

SILVA, J. P. S. Impactos ambientais causados por mineração. Revista Espaço da Sophia - Nº 08, Nov. 2007. MENSAL, ANO I. Disponível em: . Acesso em: 08 set. 2017.

SILVA, R. A. Percepção da população acerca da atividade minerária e contaminação do solo e da água por arsênio no município de Santa Bárbara - MG. 2015. 104p. Trabalho de conclusão de curso (Monografia) Engenharia Ambiental, Fundação Comunitária de Ensino Superior de Itabira, Itabira, 2015.

SOJA, E. Geografias Pós-Modernas: a reafirmação do espaço na teoria social crítica. RJ: Jorge Zahar Ed., 1993.

SPINOLA, D. N.; VIDAL, J. C.; RESCK, B. C.; PORTES, R. C.; CRISPIM, F. A. Análise da evolução espacial da mina de Brucutu, em São Gonçalo do Rio Abaixo – MG entre 2003 e 2008 através da classificação supervisionada de imagens multitemporais Landsat 5 TM. Anais XIV Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, Natal (RN), 25-30 abr. 2009, INPE, p. 1551-1558. Disponível em: . Acesso em: 23 out. 2017.

VALENTE, S. As Minas da Panasqueira e seus impactos nas comunidades locais. 2008. 16p. Dissertação de Mestrado em Sociologia – Políticas Locais e Descentralização do Poder: As Novas Áreas do Social. Faculdade de Economia, Universidade de Coimbra, 2008.

VERGARA, S. C. Projeto e Relatórios de Pesquisa em Administração. São Paulo: Atlas, 2007.

VIANA, M. B. Avaliando Minas: índice de sustentabilidade na mineração (ISM). Brasília, 2012. 372 p. Tese (Doutorado em desenvolvimento sustentável). Universidade de Brasília, Brasília, 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.17648/rsd-v7i5.180

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com