Nutritional diagnosis of institutionalized elderly: a bibliographic review

Diana Stefany Cardoso de Araújo, Thayanne Gabryelle Visgueira de Sousa, Vitória Ribeiro Mendes, Loanne Rocha dos Santos, Stefany Rodrigues de Sousa Melo

Abstract


The present study aimed to evaluate the data in the literature on the nutritional status of institutionalized elderly in Brazil. The bibliographic survey was performed in the Lilacs and Scielo databases, considering the following eligibility criteria: studies carried out in LSIEs in Brazil and published in the last 10 years (2008-2018), in which the nutritional status was determined by the Body Mass Index. (BMI). The keywords used were: “elderly”, “nutritional status” and “ILPIs”, researched in combination with boolean operators. From 60 articles found in the search, 10 studies were used to compose this review. The main finding of this study indicates that most institutionalized elderly are malnourished. However, attention is drawn to a clear rise to overweight and obesity in this population. Given this, it becomes evident the importance of implementing nutritional assessment periodically in order to monitor nutritional risks and / or associated comorbidities; as well as direct resources for nutritional care aimed at promoting the quality of life and autonomy of these individuals.


Keywords


Aged; Homes for the Aged; Nutritional Status.

References


Andrade FLJP, Lima JMR, Fidelis KNM & Jerez-Roig JLKC. (2017). Incapacidade cognitiva e fatores associados em idosos institucionalizados em Natal, RN, Brasil. Rev. bras. geriatr. gerontol., Rio de Janeiro, 20 (2), 186-196.

Azevedo EAM, Lopes HG, Maia AHS, Lima VT, Nunes VMA & Alchieri JC. (2014). Avaliação nutricional de idosos residentes em instituições filantrópicas. J Health Sci Inst. 32(3).

Boström AM, Van D, Kolewaski B, Milke DL & Estabrooks CA. (2011). Nutrition status among residents living in a veterans' long-term care facility in Western Canada: a pilot study. J Am Med Dir Assoc, Indiana,12(3), 217-25.

Brasil. Ministério da Saúde. (2005). Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) - RDC Nº 283, de setembro 2005. Dispõe do Regulamento Técnico para o Funcionamento das Instituições de Longa Permanência para Idosos. Brasília. Disponível em: Acesso em: 05 mai. 2018.

Brasil. (2010). Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde: Departamento de Atenção Básica. Envelhecimento e saúde da pessoa idosa. Brasília. 192p.

Brasil. (2013). Secretaria de Direitos Humanos. Estatuto do Idoso. Dignidade humana como foco. Brasília; 254 p.

Cantarelli L, Blumke AC, Marques AC & Colpo E. (2013). Análise do perfil alimentar e nutricional de idosos residentes em Instituição de Longa Permanência. Rev AMRIGS, Porto Alegre, 57(2).

Colembergue JP & Conde SR. (2011). Uso da Miniavaliação Nutricional em idosos institucionalizados. Scientia Medica, Porto Alegre, 21(2), 59-63.

Ferreira ACD, Barichello GB & Silva VL. (2010). Comparação entre métodos de avaliação do estado nutricional em idosos hospitalizados. Rev Graduação. 3, 1-17.

Ferreira FPC, Bansi LO & Paschoal SMP. (2014). Serviços de atenção ao idoso e estratégias de cuidado domiciliares e institucionais. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol; 17(4).

Gherbon, A. (2014). Prevalence of obesity in a group of elderly. European Scientific Journal. 10(9), 28-40.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2017). Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua - Características dos Moradores e Domicílios, Rio de Janeiro: IBGE. Disponível em: < https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-agencia-de-noticias/noticias/20980-numero-de-idosos-cresce-18-em-5-anos-e-ultrapassa-30-milhoes-em-2017 > acesso em: 05 out. 2018.

Jerez-Roig J, Sousa DLB, Andrade FLJP, Lima Filho BF, Medeiros RJ, Oliveira NPD, et al. (2016). Autopercepção da saúde em idosos institucionalizados. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, 21(11), 3367-3375.

Lima APML, Gomes KVL, Pereira FGF, Barros LM, Máguida GS & Frota NM. (2017). Avaliação nutricional de idosos residentes em instituições de longa permanência. Rev baiana enferm. 31(4).

Oliveira LP, Cabral NLA, Vale D, Lyra CO & Lima KC. (2014). Prevalência de desnutrição em idosos institucionalizados: uma revisão crítica sistemática. J. Health Biol. Sci. 2(3),136-142,.

Rauen MS, Moreira EAM, Calvo MCM & Lobo AS. (2008). Avaliação do estado nutricional de idosos institucionalizados. Rev. Nutr., Campinas, 21(3), 303-310.

Santos FS & Mintem GC. (2015). Perfil antropométrico e risco cardiovascular de idosos institucionalizados na cidade de Pelotas. J. Health Biol Sci.;3(4).

Schmidt L, Soder TF, Volkweis DSH & Benetti F. (2017). Avaliação nutricional de idosos institucionalizados de uma ILPI do interior do estado do Rio Grande do Sul. RBCEH, Passo Fundo, 14(1), 83-92.

Silva JL. (2014). Idosos institucionalizados: um estudo sobre o risco nutricional e seus fatores associados. Dissertação apresentada ao Programa de PósGraduação Integrada em Saúde Coletiva – PPGISC do Departamento de Medicina Social do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal de Pernambuco, como parte dos requisitos para obtenção do título de Mestre em Saúde Coletiva. Recife.

Silvério, J.K.A.; Pedreira, K.R.A.; Kutz, N..A.; Salgueiro, M.M.H.A.O. (2016). Estado nutricional de idosos institucionalizados: uma revisão de literatura. Visão Acadêmica, Curitiba,17 (3).

Sposito G, D'Elboux MJ, Neri AL & Guariento ME. (2013). Satisfação com a vida e a funcionalidade em idosos atendidos em um ambulatório de geriatria. Ciênc. Saúde Colet., Rio de Janeiro,18(12), 3475-3482.

Paz RC, Fazzio DMG & Santos AL. (2012). Avaliação nutricional em idosos institucionalizados. Revisa. 1(1).

Pfrimer K, Messias MM, Salles MSV, Roma Junior LC, Saran Netto A, Zanetti MA, & Vannucchi H. (2015). Avaliação e acompanhamento nutricional em idosos de uma instituição de longa permanência. Archivos Latinoamericanos De Nutrición. 65(2).

Volpini MM & Frangella VS. (2013). Avaliação nutricional de idosos institucionalizados. Einstein (São Paulo), São Paulo, 11(1) 32-40.

WHO (2002) Active Ageing – A Police Framework. A Contribution of the World Health Organization to the second United Nations World Assembly on Aging. Madrid, Spain, April.




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i1.1739

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Redalyc, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com
Facebook: https://www.facebook.com/Research-Society-and-Development-563420457493356