Entrepreneurial intention and academic training: a study with academics of administration in a public institution

Maria Milleyde Limeira Monteiro, Geymeesson Brito da Silva, Francisca Rozângela Lopes de Sousa, Catarinne Xavier de Melo

Abstract


The purpose of this study is to investigate the influence of academic training on the entrepreneurial intention of the administration students from UEPB of Patos-PB. Characterized as a qualitative, participatory and descriptive research, the present investigation had its data collection conducted by a semistructured interview protocol with 21 (twenty one) administration students. The analysis of the results was based on an analysis of the content from which four categories emerged, from which it can be concluded that the administration students have entrepreneurial characteristics, but even with this entrepreneurial profile, some prefer not to follow in the area, others are already entrepreneurs and others have the will. Regarding the influence of the academic formation in relation to the entrepreneurial intention, the research presented a positive result, since the course exerts influence for the entrepreneurial intention, however, for those who have the entrepreneurial spirit and the preparation that the course offers to undertake did not obtain a relevant result, since it left to be desired in the feeling of relating the theory with the practice.


Keywords


Entrepreneurial profile; Academic education; Entrepreneurial Intent.

References


Alves, L. A. X. (2006). Segmentação de mercado como estratégia de marketing: caso gvt. Centro Universitário de Brasília. Brasília/DF, 2006.

Baggio, A. F., & Baggio, D. K. (2014). Empreendedorismo; Conceitos e Definições. Rev. De Empreendedorismo Inovação e tecnologia, 1(1): 25-38. IMED.

Chiavenato, I. (2008). Empreendedorismo: dando asas ao espírito empreendedor. 2.ed. rev. e atualizada. - São Paulo: Saraiva.

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO (2014), Câmara da Educação Superior, Resolução N 01 de 02 de fevereiro de 2004.

Custódio, T. P. (2011). A importância do empreendedorismo como estratégia de negócio fênix locações e eventos Guaiçara-SP. Lins – SP.

Dolabela, F. (1999). Oficina do Empreendedor. 6. ed. São Paulo: Cultura.

Dolabela, F. (2003). Pedagogia Empreendedora. 1. ed. São Paulo: Editora de Cultura.

Dolabela, F. (2008). Oficina do empreendedor. Rio de Janeiro: Sextante.

Dornelas, J. C. A (2001). Empreendedorismo: transformando ideias em negócios. 2ª Ed. Rio de Janeiro: Campos.

Dornelas, J. C. A (2005). Empreendedorismo. Rio de Janeiro: Elsevier.

Degen, R. J. (2009). O Empreendedor: Empreender como opção de carreira. São Paulo: Pearson Prentice-Hall.

MEC - Ministério da Educação (2018). Disponível em: < http://emec.mec.gov.br/> Acesso em: 1 jun. 2018.

Filion, L. J. (1991). O planejamento do seu sistema de aprendizado empresarial: identifique uma visão e avalie o seu sistema de relações. Revista de Administração de Empresas, FGV, São Paulo, julho/setembro.

Filion, L. J (1999). Empreendedorismo: empreendedores e proprietários-gerentes de pequenos negócios. Revista de Administração, São Paulo, v. 34, n. 2, pp. 05-28, Abr./Jun.

Filion, L. J (2000). O empreendedorismo como tema de estudos superiores. In: Instituto EuvaldoLodi. Empreendedorismo: ciência, técnica e arte. Brasília: CNI. IEL Nacional.

Gil, A. C. (2002). Como Elaborar Projetos de Pesquisa. 4ª edição. São Paulo - SP: Editora Atlas

Filardi, F., Delarissa Barros, F., Fischmann., & A. Américo (2014). Do homo empreendedor ao empreendedor contemporâneo: evolução das características empreendedoras de 1848 a 2014. Revista Ibero Americana de Estratégia, vol. 13, núm. 3, julio-septiembre. Universidade Nove de Julho São Paulo, Brasil.

Freitas, H. (2000). Análise de dados qualitativos: aplicações e as tendências mundiais em Sistemas de Informação. São Paulo/SP: Revista de Administração da USP, RAUSP, v. 35, nr. 4, Out-Dez. pp.84-102

Global Entrepreneurship Monitor (2011). Empreendedorismo no Brasil. Disponível em: . Acesso em: 14 set. 2018.

Goldenberg, M. (2004). A arte de pesquisar: como fazer pesquisa qualitativa em Ciências Sociais. 8a ed. Rio de Janeiro: Record.

Hisrich, R, D. (2009). Empreendedorismo. Porto Alegre: Brookman.

INEP - Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (1996). Sinopse Estatística da Educação Superior 1996. Brasília: Inep. Disponível em: . Acesso em: 14 set. 2018.

Isaia, S. M., & Maciel, A. M. R. (2011). Comunidades de práticas pedagógicas universitárias em ação: construindo a aprendizagem docente. Imagens da Educação, v. 1, n. 1, p. 37-47.

Júnior, J. B. C., Araújo, P. C., Wolf, S. M., & Ribeiro, T. V. A. (2006). Empreendedorismo e educação empreendedora: confrontação entre a teoria e prática. Revista de Ciências da Administração – v.8, n.15, jan/jun 2006.

Lakatos, E. M., & Marconi, M. A. (2003). Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas.

Lopes, P. C. (2006). A formação do administrador no ensino de graduação: uma reflexão. Ciências Sociais e Humanas, Londrina, v. 27, n.2, p. 187-201, jul./dez. 2006.

Menezes, L. C. M. (2013). Gestão de Projetos. 2ed. São Paulo: Atlas.

Mueller, J., Zapkau, F.B. & Schwens, C. (2014). Impact of prior entrepreneurial exposure on entrepreneurial intention - cross-cultural evidence. Journal of Enterprising Culture, 22(3): 251–282.

Neto, A. A. (2013). Empreendedorismo e desenvolvimento de novos negócios. In: ALMEIDA, A.; SOUSA, C.P.; ANDREASSI, T. Rio de Janeiro: FGV.

Noel, T (1988). Effects of entrepreneurial education on intent to open a business: Anexploratory study. Journal of Entrepreneurship Education, v. 5, p. 3-13.

Oliveira, S. (2010). Geração Y: o nascimento de uma nova geração de líderes, São Paulo: Integrare.

Ribas, R. (2012). A motivação empreendedora e as teorias clássicas da Motivação.

Santos, G. T. (2013). Aprendizagem Experiencial: um estudo com acadêmicos dos cursos de administração do Estado da Paraíba. Dissertação de mestrado. Programa de pós-graduação em Administração. Universidade Federal da Paraíba. João Pessoa.

Schumpeter, J. A. (1984). Capitalism, socialismanddemocracy. New York: Harper.

SEBRAE - Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (2007). Disciplina de empreendedorismo. São Paulo: Manual do aluno.

Severino, A. J. (2010). Metodologia do Trabalho Científico. 23ª ed. Revista e atualizada. Cortez Editora. São Paulo.

Shane, S., & Venkataraman, S. (2000). The promiseofentrepreneurship as a fieldofresearch, Academyof Management. The Academyof Management Review.

Silva, E. L., & Menezes, E. M. (2005). Metodologia da Pesquisa e Elaboração de Dissertação. 4ª ed. Revisada e atualizada. Florianópolis.

Veinstein, S. B. G. (1994). La elección vocacional ocupacional: Estrategias – técnicas. 2ª ed. Buenos Aires: Mary.




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i1.1736

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Redalyc, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com
Facebook: https://www.facebook.com/Research-Society-and-Development-563420457493356