Informatics and Philosophy: The Development of a Computational Game as a Learning Process

Ricardo Shitsuka, João Uilson Vieira Filho, Ronilson de Sousa Lopes

Abstract


The purpose of this article is to present a didactic-pedagogical proposal, carried out in the Advanced Campus of Carmo de Minas, under the constructivist bias of Vygotsky. This experience consists in the fulfillment of the Integrator Project (interdisciplinary action) of the Pedagogical Project of the Course (PPC) of Integrated Informatics to High School. The discussion responds to the following research problem: is it possible to study and learn philosophy through the development of an electronic game using programming language? The analysis was done through a literature review and the response of a questionnaire applied to students with objective questions and a discursive one. Based on the theoretical reference, where authors make a defense of the use of the technologies in the formal educational environment, it is understood the plausibility of the realization of the Project in particular, by the implementation in the classroom of the Digital Technologies of Information and Communication (TDIC)  Therefore, this research allows an open reflection to readers, teachers, students and researchers about the benefits, such as facilitators, that is, accessibility to technological means, and the challenges in making use of TDIC as mediation in teaching and learning.


Keywords


Education and technology; Mediation; Teaching and learning.

References


Alves, L.; Bianchin &, Alahmar, M. (2010). O jogo como recurso de aprendizagem. Rev. Psicopedagogia – Ponto de Vista, São Paulo, 27(83): 282-287. Disponível em: http://revistapsicopedagogia.com.br/detalhes/210/o-jogo-como-recurso-de-aprendizagem. Acesso em: 24 julho 2019.

Berni, R.I.G. (2007). A construção da prática do professor de educação infantil: um trabalho crítico colaborativo. Orientador: Mara Sophia Zanotto Paschoal. 143 f. Dissertação (Mestrado em Lingüística Aplicada e Estudos da Linguagem) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

BRASIL (2018). Ministério da Educação. Base Nacional Curricular Comum: Educação é a Base. Brasília, DF.

Campos, T.R. (2018). O uso de jogos digitais no ensino de ciências naturais e biologia: uma revisão sistemática. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Ciências Biológicas) – Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/187703/Monografia_TCC_taynara_%20FINAL_BU.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 24 julho 2019.

Damasceno, A. (2016). Pombal, a modernidade e as origens da reforma de ensino na américa portuguesa e Portugal. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, (69):16-32. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8648240/15125. Acesso em: 23 julho 2019.

Delaneze, T. (2007). As reformas educacionais de Benjamim Constant (1890- 1891) e Francisco Campos (1930-1932): o projeto educacional das elites republicanas. Orientador: Dr. Amarilio Ferreira Júnior. 2007. 224 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos.

Deleuze, G.& Parnet, C.(1998). Diálogos. Ed. Escuta, São Paulo.

Hegel, G.W.F. (1991). Introdução à história da filosofia. Trad. de Artur Morão. Lisboa: Ed. 70, 253p.

IFSULDEMINAS (2015). Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais. Projeto Pedagógico do Curso - PPC. Pouso Alegre – MG. 01 de setembro de 2015. Disponível em: https://portal.cdm.ifsuldeminas.edu.br/images/cursos/resoluo.056.2015_integrado_tcnico_em_informtica_criao_do_curso_e_ppc.pdf. Acesso em: 24 julho 2019.

INEP (2016). Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Brasil no Pisa 2015. Brasília-DF. 6 de dezembro de 2016. Disponível em . Acesso em: 23 julho 2019.

Lopes, M. da G.(2001). Jogos na Educação: criar, fazer e jogar. Ed. Cortez, São Paulo.

Martins, O. B & Moser, A. (2012). Conceito de mediação em Vygotsky, Leontiev e Wertsch. Revista Intersaberes. Curitiba, 13(7): 8 – 28. Disponível em: https://www.uninter.com/intersaberes/index.php/revista/article/viewFile/245/154 Acesso em: 23 julho 2019.

Minayo, M.C.S. (2012). Análise qualitativa: teoria, passos e fidedignidade. Ciênc. saúde coletiva [online]. Rio de Janeiro, 3(17): 621-626. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-81232012000300007&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 24 julho 2019.

Nascimento, F, Fernandes, H.L. & Mendonça, V. M. (2010). O ensino de ciências no brasil: história, formação de professores e desafios atuais. Revista histedbr on-line, Campinas, (39): 225-24. Disponível em http://www.histedbr.fe.unicamp.br/revista/edicoes/39/art14_39.pdf. Acesso em: 24 julho 2019.

OECD (2016). Pisa 2015: assessment and analytical framework: Science, Reading, Mathematic and Financial Literacy. Paris: OECD Publishing.

Pereira, A.S., Shitsuka, D.M., Parreira, F.J. & Shitsuka, R. (2018). Metodologia da Pesquisa Científica. Santa Maria, RS: UFSM, NTE.

Valente, J.A. (1998). Computadores e conhecimento: repensando a educação. 2.ed. Ed. UNICAMP/NIED, Campinas, SP.

Vygotsky, L. S. (1998). A Formação Social da Mente. 6.ed. Trad. José Cipolla Neto, Luis S. M. Barreto e Solange C. Afeche. Martins Fontes, São Paulo.

Vygotsky, L. S. (2001). A construção do pensamento e da linguagem. Martins Fontes, São Paulo.




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v8i11.1446

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Redalyc, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com
Facebook: https://www.facebook.com/Research-Society-and-Development-563420457493356