Hermeneutics, teaching of humanities and teaching activities

Paulo César Ausani, Marcos Alexandre Alves

Abstract


This article analyse, from the hermeneutic approach, the practice and the teaching performance, as a stimulus for the critical-reflexive thought focused on the teaching-learning process and the world of the student's life. Initially, we present the contributions of Schleiermacher, who established the basis for the foundation of hermeneutics as a universal methodology and applicable to all areas of knowledge; and Dilthey who sought to give a new methodological meaning to hermeneutics, which is more directed towards the promotion and development of humanities research. In the sequence, it is exposed the Gadamer thought that proposed a hermeneutic of the dialogical experience and shows the potential of the hermeneutic dialogue in the practice and teaching action. In this perspective, it is argued that dialogue, in the perspective of philosophical hermeneutics, in the humanities area, stimulates autonomy, critical-reflexive thinking and responsible student performance. Finally, the intention of the study is to show the philosophical / pedagogical potential of the dialogue (question / answer) that is realized and opens new possibilities of teaching, learning and ethical understanding of the other.


Keywords


hermeneutic dialogue, teaching-learning, teaching practice.

References


Alves, M. A. (2011a). Da hermenêutica filosófica à hermenêutica da educação. Acta Scientiarum Education. Maringá, 33(1):17-28.

Alves, M. A. (2011b). O modelo estrutural do jogo hermenêutico como fundamento filosófico da educação. Ciência e Educação (UNESP. Impresso), 17(1):235-248.

Alves, M. A. (2012a). Da fenomenologia à ética: uma breve análise desde o pensamento de Levinas. Thaumazein (Santa Maria), v. 10, p. 43-52.

Alves, M. A. (2012b). Interpretação e compreensão: da hermenêutica metodológica à experiência hermenêutica como crítica e fundamento do saber filosófico. Princípios: Revista de Filosofia (UFRN), v. 18, n. 30, p. 181-198, 3 abr.

Alves, M. A.; Ghiggi, G. (2012c). Educação como encontro inter-humano. Revista Sul-americana de Filosofia e Educação, p. 59-77, 2012c.

Amaral filho, F. dos S. (2009). Hermenêutica: o que é isto, afinal?. In: Azevedo, H. H. D. de; Oliveira, N. A.; Ghiggi, G. (org.). Interfaces: temas de Educação e Filosofia. Pelotas: Editora Universitária/UFPel, p. 39-53.

Behrens, M. A. (1999). O paradigma emergente e a prática pedagógica. Curitiba: Champagnat.

Dominicé, P. (1986). "La formation continue est aussi un règlement de compte avec sa scolarité". Éducation et Recherche, 3/86.

Ferry, G. (2004). Pedagogia de la formación. Buenos Aires: UBA. Ediciones Novedades Educativas.

Gadamer, H-G. (2007). Verdade e Método I – Traços fundamentais de uma hermenêutica filosófica. 8. ed. Petrópolis: Vozes.

Gadamer, H-G. (2002). Verdade e Método II – Complementos e índice. 2. ed. Petrópolis: Vozes.

Gadamer, H-G. (2003). O problema da consciência histórica. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV.

Ghedin, E. (2004). Hermenêutica e pesquisa em educação: caminhos da investigação interpretativa. In: II Seminário internacional de pesquisa e estudos qualitativos. Anais [...] Bauru: USC.

Grondin, J. (2012). Hermenêutica. Tradução de Marcos Marcionilo. São Paulo: Parábola Editorial.

Heidegger, M. (1997). Ser y tiempo. Tradução de Jorge Eduardo Rivera Cruchaga. Santiago: Universitária.

Hermann, N. (2002). Hermenêutica e Educação. Rio de Janeiro: DP & A.

Hodder, I. (2002). The Problem: in Reading the Past. Current Approaches to Interpretation in Archaeology. United Kingdom. Cambridge University Press.

Larrosa, J. (2002). Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira de Educação. n.º 19, v. 1.

Lopes, A. C. & Macedo, E. (2011). Teorias de Currículo. Ed. Cortez, São Paulo.

García, M. C. (1999). Formação de Professores: Para uma mudança educativa. Porto: Porto Editora.

Marques, M. O. (2003). Formação do profissional da educação. 4. ed. Ijuí: Ed. UNIJUÍ.

Nóvoa, A. (1999). Os professores e sua formação. Lisboa: Publicações Dom Quixote.

Nussbaum, M. (2015). Sem fins lucrativos: por que a democracia precisa das humanidades. São Paulo: Martins Fontes.

Parellada, C.I. (2009). Arte Rupestre no Paraná, Revista Científica/ Fap, Curitiba, Paraná, Brasil, v.4, n.1, p.1-25.

Schleiermacher, F. D. E. (1999). Hermenêutica: arte e técnica da interpretação. Petrópolis: Vozes.

Schmidt, L. K. (2012). Hermenêutica. Tradução de Fábio Ribeiro. Petrópolis, RJ: Vozes.

Silva, T. T. da. (1995). Os novos mapas culturais e o lugar do currículo numa paisagem pós-moderna. In: Silva, T. T. da & Moreira, A. F. (orgs.). Territórios contestados: o currículo e os novos mapas políticos e culturais. Petrópolis: Vozes.

Veiga, I. P. A. (org.). (2006). Projeto político- pedagógico da escola: uma construção possível. 22. ed. Campinas, SP: Papirus.




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v8i11.1434

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Redalyc, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com
Facebook: https://www.facebook.com/Research-Society-and-Development-563420457493356