Professional Education between the 30's and 90's: a history of subordination to productive processes in the Brazilian context

Marcelo Wilton Vieira Lopes

Abstract


Between the 1930s and 1990s, the years of Brazilian capitalist development, a series of changes in the organization of Brazilian society began. This article intends to analyze, from a historical perspective, the construction of the educational apparatus in the context of state industrialism, as well as the consolidation of the duality between propaedeutic and professional education, arising from this process. For the development of the present study, the qualitative approach was chosen, using the bibliographic research. For the bibliographic survey were selected different sources that could corroborate with a critical analysis of our object of study, namely: Professional Education in the Brazilian context. Thus, we present the History of Professional Education in Brazil, seeking to reflect on the relationship of the historical-economic context with the formation of the workforce. Finally, it is concluded that throughout Brazilian history, professional education reflects the power relations of a class-divided society, in which the exercise of intellectual and managerial functions is attributed to the elite and the exercise of operational and manual functions. to the working classes


Keywords


Professional Education; educational duality; worker.

References


Anderson, P. (1995). Balanço do neoliberalismo. Pós-neoliberalismo: as políticas sociais e o Estado democrático. In: SADER, Emir e GENTILI, Pablo (orgs.). Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Brasil. Lei nº 9.394/1996: Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional.

Brasil. Decreto nº 2.208, de 17 de abril de 1997. Regulamenta o § 2 º do art. 36 e os arts. 39 a 42 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional.

Carvalho, O. Francisco de. Educação e formação profissional – trabalho e tempo livre. Brasília: Plano, 2003.

Ciavatta, M. A formação integrada: a escola e o trabalho como lugares de memória e de identidade. In: Trabalho necessário. Ano 3. v. 3, n. 3. 2005.

Coutinho, C. N. Contra a corrente. Ensaios sobre democracia e socialismo. São Paulo: Cortez, 2000.

Cunha, L. A. O ensino profissional na irradiação do industrialismo. 2ª edição. São Paulo: Editora UNESP; Brasília, DF: FLACSO, 2005.

Freitag, B. Escola, estado e sociedade. São Paulo: Moraes, 2007.

Fonseca, C. S. História do Ensino Industrial no Brasil. Rio de janeiro: Escola Técnica, 1961.

Frigotto, G.& Ciavata, M. Educação básica no Brasil na década de 1990: subordinação ativa e consentida à lógica do mercado. Educação & Sociedade, Campinas, v.24, n.82, p.93-130, abr. 2003. Disponível em:< http://www.cedes.unicamp.br>. Acesso em: 23 mar. 2019.

Frigotto, G, Ciavatta, M. & Ramos, M. N. (2005). O trabalho como princípio educativo no projeto de educação integral de trabalhadores. In: Costa, H. & Conceição, M. (Org.). Educação integral e sistema de reconhecimento e certificação educacional e profissional. São Paulo: CUT, p. 19-62.

Frigotto, G.; Ciavatta, M. Trabalho como princípio educativo. In: Salete, R.; Pereira, I. B.; Alentejano, P.; Frigotto, G. (Org.). Dicionário da educação do campo. Rio de Janeiro: Escola Politécnica Joaquim Venâncio; São Paulo: Expressão Popular, p. 748-759, 2012.

Frigotto, G. Trabalho como princípio educativo/ Educação Omnilateral. In: Caldart, R.; Pereira, I. Alentejano, P.; Frigotto, G. (Orgs.). Dicionário da Educação do Campo. Rio de Janeiro, São Paulo: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, Expressão Popular, 2012. Disponível em: http://www.epsjv.fiocruz.br/sites/default/files/l191.pdf . Acesso em: 03 mar. 2019.

Gentili, P. Neoliberalismo, Qualidade Total e Educação. Petrópolis: Vozes, 1996.

Ghiraldelli Jr. , Paulo. História da Educação Brasileira. 4ª Ed. - São Paulo: Cortez, 2009.

Júnior, J.R. S.; LIMA,Carlos . A educação superior é mercadoria ou direito no âmbito da organização mundial do comércio? 2004.

Kuenzer, A. Z. Exclusão includente e inclusão excludente: a nova forma de dualidade estrutural que objetiva as novas relações entre educação e trabalho. In: Saviani, Dermeval et al (orgs). Capitalismo, trabalho e educação. Campinas, SP: Autores Associados, HISTEDBR, 2002.

Kuenzer, A. Z. Ensino Médio: construindo uma proposta para os que vivem do trabalho. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2007.

Moura, D.H. (2008). A formação de docentes para a educação profissional e tecnológica. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica. MEC, Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Brasília: MEC, 2008, 1(1):23-37, jun. 2008. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf3/rev_brasileira.pdf. Acesso em: 03 abr. 2019.

Oliveira, M. A. M. & Sales, P. E. N. Educação Profissional e Aprendizagem no Brasil: trajetória, impasses e perspectivas. CEFET, Belo Horizonte, 2010.

Pacheco, E.& Pereira, L. A. C.& Sobrinho, M. D. Educação Profissional e Tecnológica: das Escolas de Aprendizes Artífices aos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia. Revista T&C Amazônia, Manaus, ano VII, Nº 16, p. 02-08, 1º semestre/2009.

Romanelli, O. O. História da Educação no Brasil (1930/1973). 29 ed. Petrópolis: Vozes, 2005.

Schwartzman, S. & Bomeny, H.M.B. & Costa, V.M.R. (1984). Tempos de Capanema. São Paulo: Ed. Usp; Rio de Janeiro: Paz e Terra.




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v8i10.1374

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Redalyc, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com
Facebook: https://www.facebook.com/Research-Society-and-Development-563420457493356