Perception of stress among firefighters operating in a barracks of Vale do Taquari/RS

Felipe André Corti, Paula Michele Lohmann, Arlete Eli Kunz da Costa, Camila Marchese

Abstract


The objective was to identify the incidence of stress among firefighters operating in a barracks of Vale do Taquari/RS. It is a qualitative research of exploratory and descriptive character, carried out with nine firemen through a semi-structured interview containing five questions. For data analysis, the Bardin content analysis was used. The results showed that most professionals consider their work as first aid care; fire fighting; helping people, and other activities. Firefighters express satisfaction and pride about their work while feeling the tension and anxiety of what they are about to meet when they are fired. Physical exhaustion, fatigue and stress emerged per se among the reports. We conclude that the majority of the respondents show feelings and emotions repressed throughout the years of profession; in this way, it is necessary to keep an eye on these professionals because of the emotional load they are exposed daily in the work environment.


Keywords


Firefighters; Emergency response services; Stress.

References


AMBRAVAT - Associação Mantenedora do Corpo de Bombeiros da Região Alta do Vale do Taquari (2016). Edital nº 01/2016. Encantado. Retirado em 13 de outubro de 2018, de http://www.rocasales-rs.com.br/wp-content/uploads/2016/08/Edital-Ambravat.pdf

Baker, D. B., & Karasek, R. A. (2000). Stress. In: Levy, B. S., & Wegman, D. H. Occupational health: recognizing and prevening work related disease and injury. Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins.

Bardin, L. (2016). Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70.

Bock, A. M. B. (2001). Psicologias: uma introdução ao estudo de psicologia. 13. ed. São Paulo: Saraiva.

Brasil (2009). Lei nº 11.901, de 12 de janeiro de 2009. Dispõe sobre a profissão de Bombeiro Civil e dá outras providências. Brasília, DF. Recuperado em 13 outubro 2018, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2009/Lei/L11901.htm

Bromberg, M. H. P. F. (2000). A psicoterapia em situações de perdas e luto. Campinas: Livro Pleno.

Capitaneo, D., Ribeiro, K., & Silva, J. C. (2012). O papel idealizado do bombeiro: e o ser humano por trás da farda? Vittalle, 24 (1), 53-68.

Cremasco, L., Constantinidis, T. C., & Silva, V. A. (2008). A farda que é um fardo: o estresse profissional na visão de militares do corpo de bombeiros. Cad. de Terapia Ocupacional da UFSCar, 16 (2), 83-90.

Farias, S. (2013). Transtornos de ansiedade na infância e adolescência. Monografia, Pós-Graduação em Saúde Mental, Universidade do Extremo Sul Catarinense, Criciúma, SC, Brasil.

Fernandes, D. H., & Heck, R. M. (2004). Reflexões acerca do estresse ocupacional: buscando aproximações na enfermagem. Enfermagem hoje: coragem de experimentar muitos modos de ser. 56. Congresso Brasileiro de Enfermagem, Gramado (RS), 24 a 29 de outubro.

Ferreira, L. R. C. (2006). Stress no cotidiano da equipe de enfermagem e sua correlação com o cronótipo. Dissertação de mestrado, Faculdade de Ciências Médicas, Universidade Estadual de Campinas - Unicamp, Campinas, SP, Brasil.

Gonçalves, D. H., & Heldt, E. (2009) Transtorno de ansiedade na infância como preditor de psicopatologia em adultos. Rev Gaúcha Enferm, 30 (3), 533-541.

Gracino, M. E., Zitta, A. L. L., Mangili, O. C., & Massuda, E. M. (2016). A saúde física e mental do profissional médico: uma revisão sistemática. Saúde em Debate, 40 (110), 244-263.

Itani, A. (1998). Trabalho e saúde na aviação: a experiência entre o invisível e o risco. São Paulo: Hucitec/FAPESP.

Lipp, M. E. N. (2000). Inventário de sintomas de stresspara adultos de Lipp (ISSL). São Paulo: Casa do Psicólogo.

Mendes, E. G. (1995). Deficiente mental: A construção cientifica de um conceito e a realidade educacional. Tese de doutorado, Pós- Graduação em Psicologia Experimental, Universidade de São Paulo - USP, São Paulo, SP, Brasil.

Murofuse, N. T., Abranches, S. S., & Napoleão, A. A. (2005). Reflexões sobre estresse e Burnout e a relação com a enfermagem. Rev Latino-am Enfermagem, 13 (2), 255-261.

Natividade, M. R. D. (2009). Vidas em risco: a identidade profissional dos Bombeiros Militares. Psicol Soc, 21 (3), 411-420.

Potter, P., & Perry, A. G. (1999). Grande tratado de enfermagem prática: clínica e prática hospitalar. 3. ed. São Paulo: Santos.

Ramírez, H. D. C. (2002). Estresse no cotidiano de trabalho de bombeiros de Santa Catarina: entre as atividades profissionais e as exigências da organização. Dissertação de mestrado, Pós-graduação em Engenharia, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil.

Resolução n. 466, de 12 de dezembro de 2012 (2012). Aprova as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília (DF), 2013 jun 13; Seção 1:59.

Silva, Y. C. (2000). O preparo para o trabalho de risco. Psicol Cien Prof, 20 (4), 2-15.

Sternberg, R. J. (2000). Psicologia cognitiva. Porto Alegre: Artmed.

Toassi, A. J., Stolf, M. C., & Oliveira, M. R. D. (2006). Inserção tecnológica no trabalho: etnografia das significações profissionais de bombeiros. Psicol Ciênc Prof, 26 (2), 280-293.

Videbeck, S. (2012). Enfermagem em saúde mental e psiquiatria. 5. ed. Porto Alegre: Artmed.




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v8i9.1279

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Redalyc, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com
Facebook: https://www.facebook.com/Research-Society-and-Development-563420457493356