Haitian migration and human rights: access to public health in a border region in Brazil

Anaxsuell Fernando da Silva, James Berson Lalane

Abstract


This work seeks to problematize social inequality expressed daily as an inequality in health. More precisely, it is inserted in a region of South America known as the triple Latin American border, a place of intense migratory flow. A privileged locus for discussing relations between migration and health. In this geographic context, the objective is to discuss migration - more specifically, Haitian migration in the context of border region in Brazil - and public health. To do so, we will conduct a discussion in the perspective of access to health as a human right for all people and the duty of the State. Discounts of quantitative and qualitative data. And through the dissemination of data, we will argue that the enjoyment of human rights is allowed in the entire border population, yet non-legalized foreigners residing or domiciled in Brazil (even legalized), does not enjoy rights in the same proportion as nationals.


Keywords


Migration; health; inequality.

References


ASTORGA J. I. (2004); Contexto dos Países e da Fronteira. Revista de Estudo da Rede de Serviços de Saúde na Região de Fronteira Argentina, Brasil e Paraguai: 2001-2002 / Brasília: Organização Pan-Americana de Saúde.

BRASIL. Ministério da Justiça (2002). Lei nº 6.815/80. Regula a situação jurídica do estrangeiro no Brasil. Brasília.

BRASIL. Ministério da Saúde (2006). Determinantes sociais da saúde.

BRAVO, M.I.; MATOS, M.C. (2001). A saúde no Brasil: reforma sanitária e ofensiva neoliberal. In: Serviço Social e Democracia. BRAVO, M.I.; PEREIRA, Potyara A.P (org). São Paulo: Cortez.

CARBALLO, M., e Nerukar, A. (2001). Migration, refugees, and health risks, Emerging Infectious Diseases, 7 (3), pp. 556-560.

Declaração de Alma-Ata. (2001) Conferência Internacional sobre cuidados primários de saúde; 6-12 de setembro 1978. Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Políticas de Saúde. Brasília (DF): Ministério da Saúde.

Redução de custos migração e otimização do desenvolvimento humano. (2010). Fórum Global sobre Migração e Desenvolvimento, realizada na Cidade do México em 2010, disponível em: www.gfmd.org/en/ docs / Mexican-2010 acesso 03/09/2017.

KANDULA, N.R. (2004). Assuring the health of immigrants: what the leading health indicators tell us, Annual Review Of Public Health, 25 (1).

LEVY, M. S. F. (1974) O papel da imigração internacional na evolução da população brasileira (1872 a 1972). Rev Saude Publica, V 8, Supl:49-90.

MAGGI, J. e CATTACIN, S. (2003) Needed Basic Research in «Migration and Health» – 2002-2006 in Switzerland, Switzerland: SFM.

McKay, L., Macintyre, S. e Ellaway, A. (2003) Migration and Health: A Review of the International Literature, Glasgow: Medical Research Council – Social and Public Health Sciences Unit.

OIM. (2004) World Migration: Managing Migration – Challenges and Responses for People on the Move, 2004. Disponível: http://www.iom.int/jahia/Jahia/cache/offonce/pid/1674

OMS. (2004) Estudo da Rede de Serviços de Saúde na Região de Fronteira • Argentina – Brasil – Paraguai • 2001-2002.

OMS. (2010) Health of Migrants – The Way Forward, Report of a Global.Consultation, Madrid (Espagne).

PREFEITURA MUNICIPAL DE FOZ DO IGUAÇU (2017). Prefeitura define regras de emissão do Cartão SUS. Disponível em: http://pmfi.pr.gov.br/noticia/?idNoticia=37774 Acesso em 03/09/2017.

SCHWARCZ L. M. (1995) O espetáculo das raças: cientistas, instituições e questão racial no Brasil 1870-1930. São Paulo: Companhia das Letras; 1995.

SEYFERTH, G. (2000). As identidades dos imigrantes e o melting pot nacional. Horizontes Antropologicos; 6(14):143-76.

SEYFERTH G. (1996) Construindo a nação: hierarquias raciais e o papel do racismo na política de imigração e colonização. In: Maio MC, Santos RV. Raça, ciência e sociedade. Rio de Janeiro: Fiocruz, Centro Cultural Banco do Brasil.

SKIDMORE T, E. (1989). Preto no branco: raça e nacionalidade no pensamento brasileiro. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

SILVA, Jose Afonso. (2002) Curso de direito constitucional. Positivo, 20. ed. São Paulo: Malheiros.

SILVA, Anaxsuell F. PASQUALI, D. (2016). Migração e hábitos alimentares em ambientes educacionais: o caso da Tríplice Fronteira. Educere et Educare, v. 11 (1).

SILVA, Anaxsuell F. PROCOPIO, C. E. P. (2019). Cristianismos em região de fronteira: trânsitos, tensões e reconfigurações religiosas. REVISTA TOMO, v. 34, p. 159-188.

SILVA, M.G.; NOGUEIRA, V.M.R.; SIMIONATTO, I. (2005). Fronteira Mercosul processo de inclusão e exclusão no Sistema Único de Saúde brasileiro.

Sistema Nacional de Cadastro de Estrangeiros – Sincre, Departamento da Polícia Federal, Ministério da Justiça e Segurança Pública. Projeto MT-Brasil/ICMPD-Gedep-PUC Minas. Tabulações especiais, Observatório das Migrações em São Paulo (Fapesp/ CNPq-Nepo/Unicamp).

WHO. (1996). World health day: Healthy cities for better life. World Health Day. Genebra.




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v8i9.1248

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Redalyc, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com
Facebook: https://www.facebook.com/Research-Society-and-Development-563420457493356