The importance of affectivity in the Occupational Therapy teaching pratice

Eliane Caldas da Silva, Marcele Pereira da Rosa Zucolotto

Abstract


Due to the relevance of the affectivity in the subject interrelationship, its role in the relationship must be considered between students and teachers. In this way this study has as objective demonstrate research data about the importance of the affectivity for the Occupational Therapy teachers. For this, a qualitative, empirical and exploratory research was carried out in two universities in Rio Grande do Sul with six Occupational Therapy professors. The teacher statements were analyzed in categories according to the content, this allowed to verify that the principles of affectivity, so important for the knowledge mediation and in teaching interpersonal relationships, are common to their professional practices. Is expected that this research stimulate the reflection about affectivity in higher education teaching and learning relations.


Keywords


Teaching practice, mediation, interpersonal relationships.

References


Anastasiou, L. G. C.; Alves, L. P. (Orgs) (2003) Processos de ensinagem na universidade: pressupostos para as estratégias de trabalho em aula. Joinville: UNIVALLE.

Aquino, J. G. (1998) A indisciplina e a escola atual. Revista Faculdade de Educação. São Paulo, 24 (2), 181 -204.

Aranha, M. L. A. (2006) História da Educação e da pedagogia: geral e Brasil. 3º ed. ver. e ampl., São Paulo: Moderna.

Araújo, R. S. (2011). A carência de professores de ciências e matemática na educação básica e a ampliação das vagas no ensino superior. Ciência & Educação, 17 (4), 807-822.

Aschidamini, F; Cristiano, G. D; Perondi, M. (2014). Um demarcador geracional para os jovens universitários. In Ribeiro, J. J; Perondi, M; Lacerda, M. P. C; Grosso, P. K. (orgs) Juventudes na Universidade: olhares e perspectivas. Porto Alegre: Redes Editora.

Batista, N. A.; Batista, S. (2004). Docência em Saúde: temas e experiências. São Paulo: Editora SENAC São Paulo.

BARDIN, L. (2006) Análise de conteúdo (L. de A. Rego & A. Pinheiro, Trad.). Lisboa: Edições 70.

Bechara, A. (2003) O papel positivo da emoção e cognição in Arantes, V. A. (org.) Afetividade na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus.

Bock, A.M. B; Furtado. O; Teixeira, M. L. T. (2011) Psicologias: uma introdução ao estudo da psicologia. São Paulo: Editora Saraiva.

Brasil (2013) Lei nº 12.852, de 5 de agosto de 2013. Estatuto da Juventude. Brasília: Diário Oficial da União.

Brasil (2019) Cadastro Nacional de Cursos e Instituições de Educação Superior - Cadastro e – MEC. Recuperado em: http://emec.mec.gov.br/. Acesso em: 25 de fevereiro de 2019.

Canário, R. (2003) Formação e Situações de Trabalho. Portugal, Porto Editora.

Caníglia, M. (2005) Terapia ocupacional: um enfoque disciplinar. Belo Horizonte: Ophicina de Arte & Prosa.

Constantinidis T. C, Cunha A. C. (2013) A formação em terapia. Revista Terrapia Ocupacional da Universidade de São Paulo. São Paulo, 24 (2), 149-54.

Costa, J. S. (2008) Docência no ensino superior: Professor aluista ou professor pesquisador? Caderno Discente do Instituto Superior de Educação. 2 (2).

Dantas, H. (1992) A afetividade e a construção do sujeito na psicogenética. Em: La Taille, Y. (org.). Piaget, Vygotsky e Wallon: Teorias Psicogenéticas em discussão. São Paulo: Summus Editorial.

Galvão, I. (2014) Henri Wallon: uma concepção dialética do desenvolvimento infantil. 23. Ed. Petrópolis, RJ: Vozes.

Goelzer, J.; Oliveira, L. R.; Santos, C. S. In Henz, C. I.; Toniolo, J.M.S.A.T. (2015) Dailogus: círculos dialógicos, humanização e auto(trans)formação de professores. São Leopoldo: Oikos.

Hardt, L. S. (2004) Os fios que tecem a docência. Tese (doutorado). Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Programa de pós-graduação da faculdade de educação. Porto alegre, RS, Brasil.

Isaia, S. M. A. (2007) Pedagogia Universitária e Aprendizagem. In: Engers, M. E. A.; Morosini, M. C. Porto Alegre: EDIPUCRS.

Isaia, S. M. A.; Bolzam, D. P. V. (2010) Convergências e tensões no campo da formação e do trabalho docente: políticas e práticas educacionais, XV, 2010. Belo Horizonte. In: Anais do XV ENDIPE. Belo Horizonte: Autêntica.

Lacerda, M. P. C; Godinho, J. M. (2014) Desafios à Universidade: A questão das pluralidades juvenis. X ANPED SUL, Florianópolis, out. 2014.

La Taille, Y. (2003) Ação moral e estereótipos culturais in Arantes, V. A. (org.) Afetividade na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus. 2003.

Leite, S. A. S.; Tagliaferro, A. R. (2005) Afetividade na sala de aula. Um professor Inesquecível. Psicologia Escolar e Educacional, 9 (2), 247-260.

Leite, S.A.S. (2012) Afetividade nas práticas pedagógicas. Temas em Psicologia, São Paulo, 20 (2), 355-368.

Magalhães, S. M. O. (2011) Afetar e sensibilizar na educação: uma proposta transdisciplinar. Revista Linhas Críticas, Brasília, 17 (32), 163-181.

Maturana, H. (1985) Biologie der Socialität. Revista Delfín, Alemanha, 10.

Maturana, H. (1988) Ontologia del conversar. Revista Terapia Psicológica, Chile, 10.

Maturana, H. (2002) Emoções e linguagem na educação e na política. Belo Horizonte: UFMG.

Medeiros, M. H. R. (2010) Terapia Ocupacional. Um enfoque epistemiológico e social. São Paulo: EdUFSCar.

Pereira, A.S.; Shitsuka, D.M.; Parreira, F.J. & Shitsuka, R. (2018). Metodologia da pesquisa científica. Editora UAB/NTE/UFSM, Santa Maria/RS. Recuperado em: http://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1 .

Raposo, M.; Maciel, D. A. (2005) As Interações Professor-Professor na Co-Construção dos Projetos Pedagógicos na Escola. Revista Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, 21 (3), 309-317

Ribeiro, M. L. (2010) A afetividade na relação educativa. Estudos de Psicologia, Campinas, 27 (3), 403-412.

Rodrigues, A.; Esteves, M. (1993). A análise de necessidades na formação de professores. Porto: Porto.

Rodrigues, M. A. P. Análise de práticas e necessidades de formação. Lisboa, 2006.

Rodrigues, M. B. C. (2003) Reflexões sobre a prática docente no ensino superior in Quadros, Claudemir (ORG). Trabalho docente na educação superior proposições e perspectivas. Santa Maria, Unifra.

Sastre, G.; Moreno, M. (2003) O significado afetivo e cognitivo das ações. In: Arantes, V. (Org.) Afetividade na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus.

Scott Junior, V. (2015) A afetividade na formação de professores universitários, licenciaturas, a partir do diálogo entre a educação e o direito. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação. Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS, Brasil.

Scherer. G.; Perondi. M.; Silva, K. (2014) O que é “ser jovem”? Reflexões sobre o conceito de juventudes na perspectiva de jovens universitários IN: Ribeiro, Joé Jair Et all (orgs) Juventudes na Universidade: olhares e perspectivas Porto Alegre : Redes Editora.

Silva, G. G.; Espíndola, D. S.; Lazzari, D. D.; Backes, V. M. S. ; Martini, J. G.; Busana, J. A. (2015) Formação inicial de professores na Enfermagem, Fisioterapia e Odontologia. Saúde e Transformação Social, Florianópolis, 6 (3), 118-128.

Silva, E. C.; Zucolotto, M. P. R. Percepção dos docentes sobre afetividade no ensino superior em um curso da área da saúde. Id on Line Revista Multidisciplinar e de Psicologia, Jaboatão dos Guararapes, 13 (44), 240-252.

Souza, K. S. M. (2009) O sujeito da educação superior: subjetividade e cultura. Revista psicologia em estudo. Maringá, PR, 14 (1), 129 – 135.

Tassoni, E. C. M. (2008) A dinâmica interativa na sala de aula: as manifestações afetivas no processo de escolarização. Tese (doutorado). Universidade de Campinas, Faculdade de educação. Campinas, SP, Brasil.

Vasconcelos, E. (org). (2006) Perplexidade na Universidade vivências nos cursos da saúde. São Paulo, Hucitec.

Veiga-Neto, A. (2016) Foucault e a Educação. Belo Horizonte: Autêntica Editora.

Vygotsky, L.S. (1998) A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes.

Vygotsky, L. S. (2001) Psicologia Pedagógica. São Paulo: Martins Fontes.

Vygotsky, L. S. (2004) Teoria de las emociones: estúdio histórico-psicológico. Madri: Espanha.

Wallon H. A atividade proprioplástica. In Nadel-Brulfert J. & Werebe, M.J.G. Henri Wallon (antologia) (1986). São Paulo: Ática.

Wallon, H. (1968) A evolução psicológica da criança. Lisboa: Edições 70.

Zabalza, M. A. (2004) O ensino universitário: seu cenário e seus protagonistas. Porto Alegre: Artmed.




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v8i7.1161

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Redalyc, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com
Facebook: https://www.facebook.com/Research-Society-and-Development-563420457493356