Mobile applications for use in Teaching Chemistry: a brief review

Eduardo da Silva Firmino, Caroline de Goes Sampaio, Marcelo Henrique Freitas Saraiva Guerra, Antonia Clarycy Barros Nojosa, Gabriela Clemente Brito Saldanha, Ana Karine Portela Vasconcelos, Maria Cleide da Silva Barroso

Abstract


The use of mobile applications for smartphones can become an ally of the teacher in the Teaching of Chemistry. Like this, this work aims to present some mobile applications for Smartphones, compatible with the Android operating system, which have potential for use in teaching chemistry, as well as present a brief analysis on them. the applications were searched on the Google Play Store platform, and a total of 5 were found, all free. A class was held in the Chair of Methodology of Teaching of Chemistry in the course of Chemistry Degree of the IFCE - Maracanaú Campus so that the teachers in initial formation could evaluate the potentialities of the selected applications. After the analysis, it was found that they have the potential to be used by the teacher in the chemistry classes.


Keywords


Chemistry Teaching; Mobile Applications; Smartphones.

References


Brasil. (1996). Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. n. 9394/96. Diário Oficial da União de 23 de dezembro de 1996, Brasília.

Brasil. (2000). Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Brasília.

Carvalho, H. W. P., Batista, A. P. L. & Ribeiro, C. M. (2007). Ensino e Aprendizagem de Química na Perspectiva Dinâmico-interativa. Experiência em Ensino de Ciências, 36-47.

Chassot, A. I. (1993). Catalisando transformações da educação. Ijuí: Unijuí.

Comitê Gestor da Internet Do Brasil: Pesquisa sobre o uso das tecnologias de informação e comunicação nas escolas brasileiras. 7. ed. São Paulo: Comunicação NIC.br, 2017. 400 p. Acesso em 17 de abril, em: .

Giordan, M. (2005). O Computador na Educação em Ciências: Breve Revisão Crítica Acerca de Algumas Formas De Utilização. Ciência & Educação, 11(2), 279-304.

Kantar. (2017). Empresa de análise de dados desenvolvida pelas marcas do grupo. Apresenta dados sobre uso de sistemas operacionais em telefonia móvel no mundo. Acesso em 17 de abril, em .

Mathias, G. N., Bispo, M. L. P. & Amaral, C. L. C. (2009). Uso de tecnologias de informação e comunicação no ensino de química no ensino médio. Trabalho apresentado em VII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências (2009). Florianópolis.

Medeiros, A. & Medeiros, C. M. (2002). Possibilidades e Limitações das Simulações Computacionais no Ensino da Física. Revista Brasileira de Ensino de Física. 24(2), 77-86.

Nichele, A. G. (2014). Aplicativos para o ensino e aprendizagem de Química. CINTED- Novas Tecnologias na Educação. 12(2), 1-9.

Nielsen. Pesquisa: Consumidor Móvel 2013. Acesso em 17 de abril, em .

Queiroz, S. L. (2004). Do fazer ao compreender ciências: reflexões sobre o aprendizado de alunos de iniciação científica em química. Ciência & Educação. 10(1), 41-53.

Sousa, L. C. (2016). A TIC na Educação: Uma Grande Aliada no Aumento da Aprendizagem no Brasil. Revista EIXO. 5(1), 20-25.

Souza, N. S., Reis, E. M. & Linhares, M. P. (2009). Ensino de química no proeja: integrando o espaço virtual de aprendizagem às ações de sala de aula. Trabalho apresentado no VII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências (2009). Florianópolis.




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v8i7.1127

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Redalyc, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com
Facebook: https://www.facebook.com/Research-Society-and-Development-563420457493356