Scientific production and nurses' training: a methodological approach to the state of the art monographs

Leidylene Porcina Alves Nascimento, Leonardo Mendes Bezerra

Abstract


The article objectified to analyze the state of the art of the nursing course leaving of the monographic productions of diverse especialties, with focus in the used methodological procedures for the elaboration of the monographs of the course of Nursing of the Center of Superior Studies of Rafts, campus of the State University of the Maranhão. With the conclusion of 06 (six) groups, and in compliance with the rules of the Ministry of the Education, the Pedagogical Project of the related course makes use concerning the requirement of elaboration of a monograph as work of course conclusion. From the lived deeply experiences and of dialogues with egresses, it was awakened curiosity in knowing the used methodological procedures for the elaboration of the work in question. Hypothetically, what one perceives is that the methodology applied in the form to understand the dimension of the research is not absorbed satisfactorily for the graduating. Ahead of this, to reach the objectives of this study, we use as source the bibliographical, documentary, quantitative research, with the use of resources of the descriptive and qualitative statistics in regards to the analysis of content, considered for Bardin. The reading of 125 (one hundred and twenty and five) monographs was carried through, what it corresponds to a sample of 69,83%. The results had pointed that the research carried through in the elaboration of the monographs of the egresses had had a diversity of methods, techniques, procedures, investigated public, places of the research, but the quantitative research is most recurrent. At first, one sends regards that the monograph is inserted in the sixth period of the course, for being part of a process in the construction to know.  Apart from is to salutar that this study it is used by other groups in the university and other institutions of superior education, to identify the trends searched in the area of the nursing, as well as displaying easinesses and difficulties in the elaboration of the monographs.

Keywords


Nursing; Professional formation; Monograph.

References


Alves, L. M. M., Nogueira, M. S., Godoy, S., & Carnio, E. C. (2004) Pesquisa básica na enfermagem. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 12 (1), 122-127.

Aranha, M. L. A., & Martins, M. H. P. (1997). Temas de Filosofia. São Paulo: Moderna.

Araújo, N. P., Miranda, T. O. S., & Garcia, C. P. C. (2014). Revisão de Literatura: O Estado da Arte sobre a Formação do Enfermeiro para a Gestão em Saúde. Revista Enfermagem Contemporânea, 3(2), 165-180. Acesso em 19 de outubro de 2018, em .

Bardin, L. (2016). Análise de conteúdo. Lisboa-PT: Edições 70.

Bassoto, T.R.P. (2012). Estratégia de Saúde da Família: o papel do enfermeiro como supervisor e educador do ACS. Trabalho de Conclusão de Curso de Especialização em Atenção Básica em Saúde. UFMG. Acesso em 30 de abril de 2018, em .

Bega, A. G., Lopes, A. P. A. T., Dutra, A. C., Decesaro, M. N., & Marcon, S.S.. (2017). A busca de assistência à saúde em serviços de pronto atendimento por mulheres adultas. Rev Fund Care Online, 9 (1), 1-14. Acesso em 20 de junho de 2018, em http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/5395

Bezerra, L. M., & Neves, R. C. (2017). De Moiras a Tânatos: considerações a respeito da morte e do morrer para os profissionais da enfermagem. InterEspaço, 3 (9), 27-48. Acesso em 8 de janeiro de 2018, em http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/interespaco/article/viewFile/7708/4706

Brasil.(2007). Assistência de Média e Alta Complexidade no SUS. Brasília: CONASS.

Brasil. (2001). Anuário Estatístico da Saúde do Brasil. Recursos Físicos. Acesso em 14 de abril de 2018, em http://portal.saude.gov.br/saude/aplicaçoes/anuario2001/index.cfm.

Brasil. (2013). Lei n. 9.610, de 19 de fevereiro de 1998, alterada e revogada e acrescentada pela Lei nº 12.853/13. Brasília: Senado Federal.

Campos, C. J. G. (2004). Método de análise de conteúdo: ferramenta para a análise de dados qualitativos no campo da saúde. Revista Brasileira de Enfermagem, 57(5), 611-614.

Chizzotti, A. (2009). Pesquisa em ciências humanas e sociais. 8.ed. São Paulo: Cortez.

CHRIZOSTIMO, M. M., & BRANDÃO, A. A. P. (2015). A formação profissional do enfermeiro: estado da arte. Enfermagem Global, revista electrónica trimestral de enfermagem, 4(40), 430-445. Acesso em 23 de agosto de 2018, em http://scielo.isciii.es/pdf/eg/v14n40/pt_revision 5.pdf.

Collet, N., & Schineider, J. F. (1995). A filosofia na formação do enfermeiro - algumas considerações. Revista brasileira de Enfermagem, 48 (2), 1-88. Acesso em 22 de março de 2018, em http://www.scielo.br/pdf/reben/v48n2 /v48n2a08.pdf.

Cossutta, F. (1994). Elementos para a leitura dos textos filosóficos. São Paulo: Martins Fontes.

Coutinho, C. P. (2011). Metodologia de Investigação em Ciências Sociais e Humanas: Teoria e Prática. Coimbra: Almedina.

Dias, D. S., & Silva, M. F. (2009). Como escrever uma monografia. Rio de Janeiro: UFRJ.

Erdmann, A. L., Schlindwein, B. H., & Sousa F. G. M. (2006). A produção do conhecimento: diálogo entre os diferentes saberes. Revista Brasileira de Enfermagem. Acesso em 9 de fevereiro de 2018, em http://www.scielo.br/pdf/reben/v59n4/ a17v59n4.pdf.

Fachin, O. (2003). Fundamentos de metodologia. 4. ed. São Paulo: Saraiva.

Ferrari, A. T. (1974). Metodologia da ciência. 3. ed. Rio de Janeiro: Editora Kennedy.

Fernandes, M. S., Spagnol, C. A., Trevizan, M. A., & Hayashida, M. (2003). A conduta gerencial da enfermeira: um estudo fundamentado nas teorias gerais da administração. Revista Latino-americana de Enfermagem, 11(4), 161-167.

Figueiredo, N. M. A., & Tonini, T. (2008). SUS e PSF para enfermagem: práticas para o cuidado em saúde coletiva. Acesso em 20 de julho de 2018, em https://www.webartigos.com/artigos/acoes-de-enfermagem-na-educacao-e-prevencao-de-gravidez-na-adolescencia/58570#ixzz4ytUa1evr.

Freitas, G. L., Vasconcelos, C. T. M., Moura, E. R. F., & Pinheiro, A. K. B. (2009). Discutindo a política de atenção à saúde da mulher no contexto da promoção da saúde. Revista eletrônica de enfermagem, 11(4), 424-8. Acesso em 27 de janeiro de 2018, em http://www.fen.ufg.br/revista/v11/n2/v11n2a26.htm.

Freitas, H., Oliveira, M., Saccol, A. Z., & Moscarola, J. (2000). O Método de pesquisa survey. Revista de Administração da USP, 35 (3): 105-112, acesso em 24 de janeiro de 2018, em http://www.ufrgs.br/gianti/files/artigos/2000/2000_092_RAUSP.PDF.

GASPARETTO, A. (2016). Saúde Pública. Infoescola. Acesso em 15 de maio de 2018, em https://www.infoescola.com/saude/saude-publica/.

Gil, A. C. (2013). Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas.

Gomes, R., Nascimento, E. F., & Araújo, F. C.. (2007). Por que os homens buscam menos os serviços de saúde do que as mulheres? As explicações de homens com baixa escolaridade e homens com ensino superior. Cad. Saúde Pública, 23(3), 565-574.

Greco, R. M. (2004). Ensinando a Administração em Enfermagem através da Educação em Saúde. Revista Brasileira de Enfermagem, 57(1), 504-507.

Höfling, E. M. (2001). Estado e Políticas (Públicas) Sociais. Revista Cadernos CEDES. 21(55), 30-41.

Lakatos, E. M., & Marconi, M. A.(2007). Fundamentos de Metodologia Científica. São Paulo: Atlas.

Lakatos, E. M., & Marconi, M. A.(2010). Metodologia do Trabalho Científico: procedimento básico, pesquisa bibliográfica, projeto e relatório, publicações e trabalhos científicos. São Paulo: Atlas.

Laranjeira, R. (2003). Estado da Arte do direito agrário no Brasil. Anais do XI Seminário Internacional do direito agrário. Associação Brasileira de direito agrário. Maranhão, MA.

Leone, S., Privitera, S., & Cunha, J. T. (Coord.) (2001). Dicionário de bioética. Aparecida: Editorial Perpétuo Socorro/Santuário.

Lucchese, P. T. R. (2004). Políticas públicas em Saúde Pública. São Paulo: BIREME/OPAS/ OMS.

Mattar, F. N. (1996). Pesquisa de Marketing: edição compacta. São Paulo: Atlas.

Mehry, E. E. (2009). A perda da dimensão cuidadora na produção da saúde – uma discussão do modelo assistencial e da intervenção no seu modo de trabalhar a assistência. Campos, C. R., Malta, D. C., Reis, A. T., Santos, A. D., & Mehry, E. E. Sistema Único de Saúde em Belo Horizonte. Reescrevendo o público. São Paulo: Xamã.

Miranda, G. M. D., Queiroga, B. A. M., Lessa, F. J. D., Leal, M. C., & Neto, S. S. (2006). Diagnóstico da deficiência auditiva em Pernambuco: oferta de serviços de média complexidade. Revista Brasileira de Otorrinolaringologia, 72(5), 581-586.

Nazareno, I. N., Bezerra, L. M., & Carvalho, A. M. M. (2018). O enfermeiro enquanto mediador dos conhecimentos em saúde: percepções do seu papel como educador. Pará de Minas: Virtual Books.

Oguisso, T., & Zoboli, E. (2006). Ética e bioética: desafios para a enfermagem e a saúde. Barueri: Manole.

Oliveira, P. P. (2002). Discursos sobre a Masculinidade. Revista Estudos Feministas. 6(1), 1-14. Acesso em 11 de novembro de 2018, em .

Padovani, H., & Castagnola, L. (1958). História da Filosofia. 3. ed. São Paulo: Melhoramentos

Puentes, R. V., Aquino, O. F., & Faquim, J. P. S. (2005). As investigações sobre a formação de professores na América Latina: uma análise dos estudos do estado da arte (1985-2003). Rev. Unisinos, 9 (3), 221-230. Acesso em 21 de dezembro de 2018, em https://revistas.unisinos.br/index.php/educacao/article/view/6322/3477.

Ribeiro, J. P., Tavares, M., Esperidião, E., & Munari, D. B. (2005). Análise das diretrizes curriculares: uma visão humanista na formação do enfermeiro. Rev. Enferm UERJ, 13 (3), 403-409.

Rocha, S. M. M., & Almeida, M. C. P. O (2000). O processo de trabalho da enfermagem em saúde coletiva e a coletividade e a interdisciplinaridade. Revista Latino-americana de Enfermagem. 8 (6), 96-101. Acesso em 4 de junho de 2018, em http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S01041692000000600014&script=sci_abstract&tlng=pt.

Salles, P. (1971). História da Medicina no Brasil. Belo Horizonte: Gr. Holman Ltda.

Sanches, V. F., Christovam, B. P., & Silvino, Z. R.(2006). Processo de trabalho do gerente de enfermagem em unidade hospitalar - uma visão dos enfermeiros. Esc. Anna Nery, 10(2), 2014-220.

Saupe, R., Wendhausen, A. L. P., & Machado, H. B. (2009). Modelo para implantação ou revitalização de trabalhos de conclusão de curso. Rev Latino-americana de Enfermagem, 12 (1), 109-14. Acesso em 10 de abril de 2018, em http://www.scielo.br/pdf/rlae/v12n1/v12n1a15.pdf.

Schimit, M. D., & Lima, M. A. D. S. (2009). O Enfermeiro na Equipe de Saúde da Família: Estudo de Caso. (Artigo de Pesquisa). Revista Enfermagem UERJ, 17(2): 252-256. Acesso em 10 de julho de 2018, em http://www.facenf.uerj.br/v17n2/v17n2a20.pdf.

Silva, V. Holzmann, A. P. F., Versiani, C. C., Figueiredo, M. F. S., Lima, A. C. A. S., Vieira, M. A., & Sena, R. R. (2009). Análise dos trabalhos de conclusão de curso da graduação em enfermagem da UNIMONTES. Revista Eletrônica de Enfermagem, 11(1), 1333-143. Acesso em 11 de outubro de 2018, em http://www.fen.ufg.br/revista/v11/n1/v11n1a17.htm.

Silva, C. R., Andrade, D. N. P., & Ostermann, A. C. (2009). Análise da Conversa: uma breve introdução. ReVEL, 7(13). Acesso em 22 de junho de 2018, em http://www.revel.inf.br.

Silva, P. A. S., Furtado, M. S., Guilhon, A. B., Souza, N. V. D. O., & David, H. M. S. L. (2012). A saúde do homem na visão dos enfermeiros de uma unidade básica de saúde. Esc. Anna Nery. 2012, 16(3), 561-568.

Soares, M. (1989). Alfabetização no Brasil – O Estado do Conhecimento. Brasília: INEP/MEC.

Souza, R. R. (2002). O Sistema Público de Saúde Brasileira: tendências e desafios dos sistemas de saúde nas Américas. Seminário Internacional. Acesso em 16 de abril de 2018, em http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/sistema _saude.pdf.

Universidade Estadual do Maranhão - UEMA. (2005). Projeto Pedagógico do Curso de Enfermagem do Centro de Estudos Superiores de Balsas. Balsas: CESBA.

Universidade Estadual do Maranhão - UEMA. (2008). Projeto Pedagógico do Curso de Enfermagem do Centro de Estudos Superiores de Balsas. Balsas: CESBA.

Universidade Estadual do Maranhão - UEMA. (2013). Projeto Pedagógico do Curso de Enfermagem do Centro de Estudos Superiores de Balsas. Balsas: CESBA.

Universidade Estadual do Maranhão - UEMA. (2018). Projeto Pedagógico do Curso de Enfermagem do Centro de Estudos Superiores de Balsas. Balsas: CESBA.




DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v8i5.1017

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Base de Dados e Indexadores: Base, Diadorim, Sumarios.org, DOI Crossref, Dialnet, Scholar Google, Redib, Doaj, Latindex, Portal de Periódicos CAPES

Research, Society and Development - ISSN 2525-3409

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

Rua Irmã Ivone Drumond, 200 - Distrito Industrial II, Itabira - MG, 35903-087 (Brasil) 
E-mail: rsd.articles@gmail.com